Mobile
Mobile
Digital Drops Blog de Brinquedo

Review: Moto Maxx ou “essa bateria é realmente necessária?”

Por em 24 de novembro de 2014

moto-maxx-001

Devo dizer que estou impressionado com o que a Motorola vem realizando nos últimos tempos, embora é preciso convir que o mérito não é inteiramente dela: ela foi completamente remodelada pela quando foi adquirida pelo Google em 2011, indo de uma fabricante de aparelhos medianos e um pós-venda terrível a um sério player no mercado de Androids, graças aos excelentes aparelhos que vem lançando nos últimos dois anos.

Os novos Moto X e Moto G, bem como o Moto E são produtos destinados a perfis bem distintos de usuários: o primeiro é para o que gosta de funcionalidades e design (um que provavelmente compraria um iPhone), o segundo é para quem quer um aparelho de meio-termo que não faça feio, e o último é o modelo de entrada mas bem eficiente. Com o Moto Maxx, a Motorola resolveu mirar no power user, aquele que usa seu smartphone como um verdadeiro computador de bolso e precisa de uma máquina parruda. E nisso ele não decepciona.

continue lendo

emCelular Destaque Destaques Google Resenha

Atualização de firmware do Pebble agora suporta notificações Android em bom português

Por em 24 de novembro de 2014
Laguna_Pebble_Steel

Pebble Steel Black Matte (Crédito: The Verge)

Antes de o espião da Samsung se infiltrar na Apple e cometer o Apple Watch, empresas como Motorola e LG fizeram um excelente trabalho de design em seus smartwatches tornando-os semelhantes a tradicionais relógios esportivos, redondos. A Microsoft, mais esperta, preferiu trilhar um outro caminho com o Microsoft Band.

Só que antes de toda essa palhaçada houve o pioneiro Pebble, um smartwatch multiplataforma com tela e-paper (um LCD transflectivo na verdade) não tão esperto quanto aqueles mas que cumpre dias de serviço sem precisar de recarga. A história do Pebble começou no Kickstarter lá em 2012, foi bem-sucedido na arrecadação e no ano seguinte o relógio de plástico teve seu lançamento oficial. Durante a CES 2014, foi anunciado o Pebble Steel, atualização metálica e mais cara do relógio mais-ou-menos inteligente.

O Pebble é tão simples que apenas suportava exibir notificações em inglês, ou seja, caracteres especiais como letras acentuadas e aquelas vindas de alfabetos incomuns como cirílico não eram suportados. Pois bem, tal espera acabou.
continue lendo

emAcessórios Android e Linux Apple e Mac Destaques Mercado

Google Contributor transforma os leitores em mecenas dos sites que mais gostam

Por em 23 de novembro de 2014

lorenzo_da-vincis-demons

Assim como acontece no mundo real lá fora, quando a gente cria um projeto online, é preciso muito trabalho, tempo, paciência e muita perseverança pra ver ele dando certo, ou seja, dando retorno financeiro. Falando pessoalmente, o único modelo de negócios que funciona é uma combinação entre trabalho duro e contatos com agências de publicidade, mas existem outros relatos que envolvem outras soluções como o apoio do público, nunca porém sem o primeiro elemento da equação.

Criada para tentar agilizar este processo, enquanto rende bons lucros, a nova ferramenta Google Contributor é uma assinatura mensal com a qual o leitor que mais curte os blogs pode passar a patrocinar seu conteúdo com contribuições mensais de US$ 1, 2 ou 3, e como recompensa deixar de ver os anúncios do Google, que são trocados por um padrão de pixels com uma mensagem de agradecimento.

google_contributor

O Contributor tem uma diferença fundamental para o Patreon, uma das plataformas de crowdfunding mais populares entre os criadores de conteúdo, a respeitável chancela do Google, que literalmente entra com o “seu na reta”, ao tirar as exibições de anúncios, grande e histórica fonte de faturamento da empresa. Os criadores dos sites recebem parte do valor das contribuições, e o resto fica com o Google, é claro, que ninguém é de ferro.

Sites respeitados como Mashable, The Onion, ScienceDaily, Imgur, WikiHow e Urban Dictionary foram os primeiros escolhidos, e por enquanto a entrada no programa está restrita a sites de moradores dos Estados Unidos, o que é uma pena, mas conhecendo o Google, em breve também estará disponível para o resto dos mortais ao redor do mundo. Como algumas das coisas mais legais do Google, a entrada como contribuidor é feita por convite, e você pode se inscrever para ser colaborador. Para se inscrever como dono de um site, além de morar por lá, é preciso enviar um email.

Saiba mais sobre o Google Contributor.

emDestaques Google Publicidade

Robôs e Katanas? Skynet aprova

Por em 21 de novembro de 2014

gundam-katana-mecha-robots-80715-1024x683

Que nós vamos ser dizimados pelas máquinas é uma certeza. Elon Musk já falou que temos no máximo 5 anos antes da Inteligência Artificial se rebelar. Detalhe: logo depois o tweet comentando isso foi apagado. Por ele ou pela Skynet?

Outros futurólogos especulam que a vida biológica é só um degrau evolucionário, que toda sociedade cria máquinas inteligentes que eventualmente superam seus criadores e tomam seu lugar, sem violência, sem rancor. O Homo sapiens não tinha raiva do Neandertal, que não tinha raiva do CroMagnon, que não tinha raiva do Australopiteco, que não tinha raiva dos dinossauros, que não tinham raiva dos proto-peixes, que não tinham raiva das amebas, que não tinham raiva dos príons, que não tinham raiva dos comentaristas de portais de notícias.
continue lendo

emDestaques Hardware Robótica

Habemos Duolingo para Windows Phone

Por em 21 de novembro de 2014

monty-python

Muito tempo atrás trabalhei com uma inglesa casada com um colombiano. Eles tiveram uma filha. Um belo dia reparei que a garotinha estava falando com a mãe em inglês, com o pai em espanhol e com uma outra mulher em português, e a criança não tinha 5 anos. Perguntei pra gringa e ela explicou que ainda rolava um tiquinho de francês, na casa deles. Essa guria tem tudo pra se dar bem na vida, conhecer mais de um idioma abre seus horizontes, aumenta sua empregabilidade e remove antolhos.

Hoje é muito mais simples aprender idiomas, há cursos semi-presenciais, cursos online e até cursos em seu celular, como o Duolingo, disponível em um monte de idiomas e ensinando outro monte de línguas, começa do basicão the e-book is on the table e vai até níveis avançados. Você define quantas lições quer fazer por dia, e o melhor de tudo, é digrátis.
continue lendo

emCelular Computação móvel Destaques Internet Software

Acordo põe fim à guerra de patentes entre Apple e Google

Por em 21 de novembro de 2014

apple-android-war

Em 2011 o Google deu um passo errado que acabou por lhe custar muito caro: quando as patentes da Nortel estavam à venda foi-lhe oferecido um acordo pelo consórcio Rockstar, formado por empresas como Apple, Sony, Microsoft, Ericsson e Blackberry a fim de adquirir os papéis em conjunto, numa negociação que privilegiaria todo mundo.

Pois bem, Mountain View não quis. Quando a Rockstar adquiriu o pacote por US$ 4,5 bilhões, US$ 100 milhões a mais do que a empresa de buscas ofereceu ela começou o mimimi, dizendo que o grupo queria destruí-la. A resposta foi sensacional, foi revelado que o Google não só recusou o acordo como o fez na intenção de adquirir as patentes sozinha e usá-las contra todo mundo.

continue lendo

emApple e Mac Computação móvel Destaques Google Internet Mercado Microsoft Planeta Sem Fio Telecom Web 2.0

SciCast #56 — Arthur C. Clarke

Por em 21 de novembro de 2014

SciCast_MP3Cover

Sir Arthur Charles Clarke nasceu em uma fazenda onde desenvolveu um amor intenso pelas estrelas, tanto por observar o céu quanto pelas revistas de ficção científica que lia.

Clarke encontrava-se em um em um mundo dividido entre duas politicas, socialismo e capitalismo, essas duas formas de ver o mundo competiam em tudo, e uma de suas maiores competições era a “Corrida Espacial”. A cada dia que se passava os cientistas descobriam algo novo, pois havia incentivos extremos a pesquisa, o desenvolvimento cientifico era muito rápido e como sempre, de nada adianta ter conhecimento se não existe um visionário para imaginar algo em que o conhecimento fosse usado.

Clarke escrevia com muita influência das revistas de ficção científica que lia quando era criança, uma narrativa simples e com muitas descrições detalhadas (algumas até com descrição das equações envolvidas no projeto em questão).

O que torna sua literatura tão especial é o fato de Arthur ser por própria natureza um gênio da ciência, colocando em suas historias nada mais, nada menos do que suas teorias de como algo funcionaria, por exemplo: era conhecido o rádio e propriedades geoestacionárias, Arthur juntou os dois com a ideia dos satélites.

E como forma de homenagear este fantástico autor, físico e matemático, um gênio em todos os sentidos, o SciCast desta semana é sobre ele.

Agora você pode ajudar a financiar o SciCast. Visite o hotsite do SciCast para fazer o download e ler outras informações relacionadas.
continue lendo

emBrasil Destaque Destaques Podcast SciCast