Meio Bit » Hardware » Galaxy Book3 Ultra: ultrafino potente, para poucos

Galaxy Book3 Ultra: ultrafino potente, para poucos

Galaxy Book3 Ultra é ultrafino da Samsung que oferece alta performance em corpo compacto, mas cobra um preço (muito) alto por isso

11 semanas atrás

O Galaxy Book3 Ultra é o mais recente membro da família de laptops ultrafinos premium da Samsung. Mesmo sendo bem leve e fino, ele oferece configurações de ponta, com um processador Core-i7 Raptor Lake e uma GPU dedicada, no caso a RTX 4050 da Nvidia.

Apesar da potência, do acabamento premium e uma ótima tela, o design compacto limitou o desempenho máximo da placa de vídeo, e seu alto preço faz dele um notebook voltado ao usuário corporativo e profissional/criativo, competindo com a linha MacBook Air da Apple.

Galaxy Book3 Ultra (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

Galaxy Book3 Ultra (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

O Galaxy Book3 Ultra é uma boa opção para quem quer um notebook potente e portátil? Eu o testei por duas semanas e conto minhas impressões a seguir.

Nota de transparência

Desde 2004, o Meio Bit publica análises opinativas com o intuito de ajudar os leitores a tomarem sua própria decisão de compra, seja de um gadget, de um game, ou de um serviço/software/app. Nós somos francos em nossas opiniões e destacamos pontos positivos e negativos de igual maneira, não importando a natureza dos produtos, de modo a manter a integridade e transparência do site.

Ninguém externo à redação do Meio Bit teve acesso ao review de forma antecipada, bem como não houve nenhum tipo de interferência, pagamento, ou direcionamento da Samsung e/ou terceiros, em relação ao seu conteúdo.

O Galaxy Book3 Ultra foi fornecido pela Samsung em caráter de empréstimo; ele será devolvido à empresa após os testes.

Design e conectividade

A apresentação do Galaxy Book3 Ultra segue o design do MacBook Air, não dá para negar. Temos um corpo de linhas retas e estrutura em metal, com bordas finas ao redor e teclado compacto, com um grande touchpad. A Samsung fez um bom trabalho para acomodar tudo em um chassi minimalista, e como resultado, o laptop pesa apenas 1,8 kg e tem 1,65 cm de espessura.

A fabricante fez um bom trabalho em aproveitar a área disponível para acomodar uma tela de 16 polegadas, sem implicar em um maior tamanho do notebook, que com 35 x 25 cm, passa como qualquer outro de 15".

Galaxy Book3 Ultra (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

Galaxy Book3 Ultra (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

Por se tratar de um modelo ultrafino, o Galaxy Book3 Ultra não tem espaço para muitas portas, mas a Samsung conseguiu atochar uma quantidade decente delas. Temos uma HDMI 2.0, uma USB-A 3.2, duas Thunderbolt 4 USB-C, uma P2 para fone de ouvido/microfone, e um leitor de cartões microSD.

Em boa parte dos concorrentes, o leitor de cartões não é mais adicionado, e alguns optam por uma ou duas portas USB-A; é preciso levar em conta que a alimentação do laptop é feita por uma das Thunderbolt, já que não existe uma entrada dedicada.

Galaxy Book3 Ultra (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

Galaxy Book3 Ultra (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

O modelo suporta Wi-Fi 6E e Bluetooth 5.1, e produtos da categoria dificilmente trazem portas Ethernet, então nem dá para criticar sua ausência; de qualquer forma, para expandir a opção de portas, é preciso apelar para adaptadores.

Tela e som

O display é um dos pontos altos deste laptop, mesmo não sendo o Galaxy Book3 Ultra inicialmente voltado para o consumidor médio, ou o gamer. A tela Dynamic AMOLED de 16" e proporção 16:10 tem resolução de 2.880 x 1.800 pixels, uma taxa de atualização de 120 Hz, e um brilho de 500 nits, com suporte a HDR.

O cuidado com a tela mira profissionais criativos, que trabalham com arte, ilustração e fotografia, e nesse sentido, a definição de cores é bem alta e o preto é bastante uniforme, tornando-o apto às necessidades de tais profissionais.

A Samsung JURA que o display oferece um tempo de resposta igual ou menor a 0,2 ms, mas é quase certo que este número não passa de marketing. O mais sensato é considerar a taxa dentro do mais aceitável entre laptops, de mais gerenciáveis 1 ms, até porque poucos notariam a diferença de qualquer forma.

Galaxy Book3 Ultra (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

O som é aquilo que se espera de um laptop, embora este traga quatro alto-falantes da AKG, com suporte a Dolby Atmos. A definição é satisfatória para um produto do tipo, mas como sempre, quem quer mais qualidade sonora será mais feliz com fones de ouvido, ou caixas externas.

Teclado, touchpad e câmera

A Samsung espremeu o teclado ABNT2 de design completo (com pad numérico) na parte superior do corpo do Galaxy Book3 Ultra, em outra decisão de design próxima às do MacBook Air. Isso permitiu que o touchpach crescesse e aparecesse, sendo 39% maior do que o presente no Galaxy Book2 Pro, segundo a Samsung.

As teclas são firmes e oferecem uma digitação agradável, e o touch em si é amplo e firme, bom o bastante para quem prefere usá-lo ao invés de um mouse dedicado.

Galaxy Book3 Ultra (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

Galaxy Book3 Ultra (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

A Samsung também deu atenção à câmera. Visto que este laptop mira em profissionais, que realizam videoconferências de forma frequente, a presente no Galaxy Book3 Ultra possui 1080p e uma lente grande angular, ao invés de 720p conforme recorrente em muitos modelos, mesmo os voltados ao consumidor gamer.

Claro que a qualidade de uma câmera dedicada segue melhor à de uma integrada, mas ao menos é bom ver que a Samsung está dando atenção a quem precisa de mais resolução na hora de fazer chamadas de vídeo.

Desempenho e autonomia

Aqui as coisas começam a ficar estranhas. O Galaxy Book3 Ultra enviado ao Meio Bit pela Samsung é o modelo básico, equipado com o processador Core i7-13700H, com 14 núcleos e clock de até 5 GHz, e com a GPU RTX 4050 da Nvidia, com 6 GB de RAM GDDR6, além de 32 GB de RAM DDR5 (raro na categoria, em que muitos trazem 16 GB) e um SSD de 1 TB.

O topo de linha sai da caixa com o i9-13900H e a RTX 4070, com 8 GB. A RAM vem soldada à placa-mãe, mas, por outro lado, é possível substituir o SSD M.2 ou instalar um adicional, graças aos dois slots PCIe 4.0.

Primeiro, vamos tirar o bode da sala logo: ambas GPUs tiveram suas capacidades limitadas, graças à redução do fornecimento de energia, a fim de manter as temperaturas estáveis em um case ultrafino. O TGP foi limitado a 60 W, bem abaixo do original de 115 W nos dois modelos.

Segundo, a Samsung implementou um modo de limitação de desempenho draconiano, no modo Otimizado a CPU trabalha entre 15 e 25 W, e a GPU, entre 25 e 35 W. Apenas habilitando o modo Alto Desempenho nas configurações específicas da fabricante, dentro do app Samsung Settings, é possível libertar o poder "quase total" do bichinho, mas em compensação, o consumo e o barulho são bem maiores.

Galaxy Book3 Ultra (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

Galaxy Book3 Ultra (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

Nos testes com o Geekbench 6, no modo Alto Desempenho, o Galaxy Book3 Ultra cravou 2.362 pontos no single-core e 11.736 no multi-core; rodando games, estes foram os resultados com DLSS ativado quando possível, em quadros por segundo (fps):

  • Forza Horizon 5 (Ultra): 90 (média), 99 (pico);
  • Battlefield 2042 (Max): 80 (média), 90 (pico);
  • Grand Theft Auto V (Very High): 120 (média, estável);
  • Overwatch 2 (Ultra): 90 (média), 101 (pico);
  • Fortnite (Épico): 84 (média), 88 (pico).

A bateria, de 76 Wh, é preparada para aguentar o tranco em situações de uso com as configurações de desempenho otimizadas, e mesmo a fonte de 100 W, conectada a uma das portas Thunderbolt 4, pode não dar conta do consumo se você decidir rodar alguns games.

Lembrando, este não é um produto para a Glorious PC Gamer Master Race, o Galaxy Book3 Ultra é dedicado a profissionais que querem poder de fogo em um corpo compacto. De qualquer forma, realizei meus testes tirando o laptop da tomada às 8:00, e rodei duas horas de streaming de vídeo, duas horas de streaming de áudio, navegação e redes sociais, sempre com o brilho no máximo, conectado à rede via Wi-Fi, e desempenho ajustado em Otimizado.

A bateria pediu arrego após 7 horas e 40 minutos de uso, o que é uma boa marca; como sempre, não jogue nem rode programas pesados fora da tomada.

Software e extras

O Galaxy Book3 Ultra sai da caixa com uma quantidade grande de bloatwares pré-instalados. Além do já mencionado Samsung Settings, há ajustes personalizados para as mais diversas funções, desde segunda tela ao espelhamento de dispositivos Android (obviamente, mirando na linha Galaxy S/Tab), galeria de imagens e mais, além de permitir login com uma conta Samsung.

Há de convir que nem todos esses aplicativos são necessários para operar o Windows 11 Home, a maioria é completamente dispensável, mas para quem está inserido no ecossistema da Samsung e possui diversos produtos da fabricante, talvez eles possam ser úteis.

Galaxy Book3 Ultra (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

De minha parte, eu preferiria que boa parte deles fosse opcional.

Conclusão

O Galaxy Book3 Ultra é um laptop ultrafino elegante, compacto e até poderoso, se lembrarmos que o foco aqui não são gamers, mas profissionais criativos e/ou corporativos. A tela Dynamic AMOLED é um dos pontos altos do produto, bem como ele já vir de fábrica com 32 GB de RAM, o que é incomum entre seus pares.

Seu ponto fraco é o preço. O modelo com Core i7-13700H e RTX 4050 tem valor sugerido de salgados R$ 15,5 mil, e o com Core i9-13900H e RTX 4070 sai pela insana quantia de R$ 21 mil, o mesmo valor de um MacBook Air M2 com 16 GB de RAM e 1 TB de espaço interno.

No momento em que este texto vai ao ar, a Samsung oferece ambos modelos em preços promocionais, respectivamente R$ 11.250 e R$ 16,2 mil, ainda não exatamente barato.

Galaxy Book3 Ultra (Crédito: Ronaldo Gogoni/Meio Bit)

Embora hajam pontos interessantes a favor do Galaxy Book3 Ultra, o preço puxado não ajuda em destacá-lo como uma opção do MacBook Air, mesmo este sendo mais caro, ou oferecer menos espaço interno por valores similares (quantidade de RAM é relativo, graças à otimização de código).

Considerando que este não é um produto para gamers, profissionais criativos ainda têm mais afeição pelos Macs, e a menos que a Samsung ofereça algo muito vantajoso em troca, poucos investirão uma quantia do tipo no Galaxy Book3 Ultra, podendo optar por um produto da maçã para o mesmo fim.

Samsung Galaxy Book3 Ultra — Ficha Técnica

  • Processador: Intel Core i7-13700H, 14-core Raptor Lake com clock de até 5 GHz (TurboBoost) e 24 MB de memória cache;
  • Placa de vídeo: nVidia GeForce RTX 4050, com 6 GB de RAM GDDR6 e TGP de 60 W;
  • Memória: 32 GB de RAM LPDDR5 a até 6.400 MHz soldados à placa-mãe, não expansível;
  • Armazenamento: SSD de 1 TB NVMe M.2 (slot PCIe 4.0), contém slot adicional;
  • Tela: Dynamic AMOLED de 16 polegadas;
  • Resolução: 2.880 x 1.800 pixels (proporção 16:10), com HDR e brilho de 500 nits;
  • Taxa de atualização: 120 Hz;
  • Tempo de resposta: 0,2 ms;
  • Teclado: Padrão ABNT2, retroiluminado;
  • Câmera: 1080p;
  • Conectividade: Wi-Fi 6E e Bluetooth 5.1;
  • Portas: 1 HDMI 2.0, 1 USB-A 3.2, 2 Thunderbolt 4 (USB-C), 1 P2 para fone de ouvido/microfone, 1 leitor de cartões microSD;
  • Bateria: 76 Wh;
  • Alimentação: Adaptador CA de 100 W;
  • Dimensões: 35,5 x 25 x 1,65 cm;
  • Peso: 1,79 kg;
  • Sistema operacional: Windows 11 Home.

Pontos fortes:

  • Core-i7 e RTX 4050 em um ultrafino;
  • Tela excelente;
  • Mais RAM do que a média da categoria.

Pontos fracos:

  • Tá caro, né?
  • Desempenho limitado graças à redução do TGP.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários