Home » Internet » Google prepara serviço pago de notícias rival do Apple News+

Google prepara serviço pago de notícias rival do Apple News+

Google estaria negociando taxas de licenciamento com agências de notícias, para lançar uma versão premium do Google Notícias

17/02/2020 às 9:30

O Apple News+ pode ganhar seu primeiro rival de peso: segundo o The Wall Street Journal, o Google estaria negociando com veículos de mídia o lançamento de uma versão do Google Notícias com conteúdo pago, de modo similar ao agregador da maçã.

Android / Google News

Vamos voltar um pouquinho: as versões livres do Apple News e do Google Notícias são agregadores de conteúdo informativo, de jornais, sites e blogs (como o Meio Bit) que podem ser acessados pelos dispositivos móveis, ou no caso do serviço de Mountain View, pelo site dedicado news.google.com, que continua bem feinho.

Ambos vieram na esteira do Flipboard, o primeiro app de sucesso a agregar e organizar feeds na forma de revista eletrônica. Por muito tempo ele foi o app vitrine do iPad, até sair para Android e Cupertino não ficar muito contente com isso, o que acabou desencadeando o desenvolvimento do News; já a gigante das buscas tentou mais de uma vez replicar o formato, com os finados Google Currents (não confunda com o atual serviço do G Suite) e Google Play Banca.

Este último foi convertido no atual Notícias, que herdou o recurso de..., bem, banca: ele permite comprar revistas digitais, de forma similar aos apps irmãos que vendem filmes e livros. Os feeds podem ser ajustados manualmente, e conteúdos serão exibidos com base em seus resultados de busca, afinal, Google. Por fim, ambos apps suportam os paywalls de sites fechados a assinantes.

Só que a Apple nunca gostou muito dessas soluções, de conversar com os logins dos sites, permitir que os parceiros exibissem anúncios (no formato Apple, com 30% do rendimento revertido à maçã, ou próprios, que são sujeitos às ferramentas de bloqueio nativas dos iGadgets) ou deixar que o leitor saísse do app e abrisse o conteúdo no navegador.

Dessa forma surgiu o Apple News+, que segue a filosofia da Netflix e cia. ltda.: por US$ 9,90/mês, o usuário tem acesso a um enorme conteúdo exclusivo, de mais de 300 revistas e jornais, sem paywalls, sem nada (e com a Apple tirando sua parte, que chegaria a 50% do montante). Agora, tudo indica que o Google fará a mesma coisa.

Apple / Apple News Plus

Segundo o WSJ, o Google está negociando taxas de licenciamento com publicações inicialmente de fora dos Estados Unidos, para contar com seus conteúdos em uma possível versão premium do Google Notícias, que seria basicamente a mesma coisa do Apple News+: o usuário paga uma mensalidade fixa e tem acesso a um grande número de jornais e revistas.

O Google não fez muita questão de esconder o movimento, e ressaltou a importância de investir em jornalismo de qualidade (que precisa de recursos). Pouco tempo depois do artigo ir ao ar, Richard Gingras, VP de Notícias do Google, enviou uma nota ao jornal declarando o seguinte:

"Nós queremos ajudar as pessoas a acessarem conteúdos jornalísticos de qualidade – tal movimento é importante para uma democracia informada e ajuda a manter a indústria de notícias de forma sustentável.

Nós (o Google) nos importamos muito com isso, e estamos conversando com parceiros e buscando mais formas de expandir nosso trabalho conjunto com editorias, nos apoiando em programas como a Iniciativa Google Notícias."

O Google e a Apple, bem como o Facebook e outras gigantes tech enfrentam a pressão da Velha Mídia a anos. Em 2018, Rupert Murdoch sugeriu que as companhias deveriam pagar para veicular e indexar links de notícias confiáveis, algo que foi feito na Espanha por força de Lei, com lobby dos jornais locais; o Google não aceitou, removeu o Notícias do país e como esperado, o tiro saiu pela culatra.

A atual aproximação do Google, similar ao que a Apple fez com o News+ é a estratégia de longo prazo, manter jornais e revistas contentes e recebendo uma quantia fixa, em troca do acesso irrestrito a seus conteúdos. Mountain View, no entanto poderá tornar seu "Google Notícias+" mais abrangente, se baseando nos atuais acordos para vender publicações individuais.

Não há previsão de quando e em que países a versão premium do Google Notícias será lançada; já o Apple News e Apple News+ estão disponíveis apenas nos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e Austrália; não há indícios de que ele será lançado em mais mercados, como o Brasil.

Com informações: The Wall Street Journal.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários