Home » Mobile » A "Netflix das notícias" da Apple está tirando editores do sério

A "Netflix das notícias" da Apple está tirando editores do sério

Nova plataforma de notícias da Apple custaria US$ 10 mensais, com a maçã ficando com 50%; serviço pode ser revelado em março

14 semanas atrás

A Apple está se preparando para lançar uma nova plataforma de notícias, relançando o serviço de assinatura da Texture, que ela comprou em março de 2018. No entanto, os planos para a tal “Netflix dos periódicos” não estão agradando os barões da mídia, e o motivo é um só: dinheiro.

Texture no iPad / Apple notícias

O Texture, que ainda está disponível para iOS e Android é um serviço que oferece acesso ilimitado a uma série de revistas, mediante uma assinatura mensal de US$ 10. Algumas publicações especiais, como a The New Yorker ficam atrás de um paywall adicional de US$ 5 mensais, mas o futuro novo produto será diferente.

Segundo informes, a Apple pretende lançar uma nova plataforma, integrada ao já existente Notícias e que vai englobar, num só lugar revistas e jornais, com total conteúdo liberado aos usuários. A maçã estaria tentanto convencer grandes conglomerados de mídia, como o The New York Times, o The Washington Post e o The Wall Street Journal, entre outros, para entrarem no programa e adaptarem seu conteúdo, como já ocorre no News, de modo a não exibir PDFs estáticos, que é o formato atual do Texture.

O problema, como sempre é grana. A Apple não está disposta a cobrar taxas adicionais dos consumidores, e pretender liberar todo o conteúdo das revistas, jornais e notícias exclusivas por US$ 10 mensais. E para completar, Cupertino está pela primeira vez propondo uma divisão igualitária da receita, sendo 50% para si, e os demais 50% sendo dividido entre todas as editoras, "de acordo com o tempo em que o usuário consumir respectivo conteúdo".

Vale lembrar que por via de regra, a Apple (e o Google) ficam com 30% de qualquer operação financeira em apps que distribui, com os 70% ficando para editores ou desenvolvedores. Em caso de apps por assinatura, a divisão fica em 85%/15% a partir do segundo ano. E isso vale também para o News.

A revisão na divisão da receita teria enfurecido as editoras, por uma simples razão: elas possuem cada uma seu próprio modelo de assinatura (que o News já dá suporte), e todos eventualmente custam mais que US$ 10. Para completar, a Apple também não fornecerá acesso aos dados financeiros dos usuários às publishers, como endereços de e-mail e números de cartões de crédito, de modo a evitar a criação de bancos de dados com tais informações.

Como resultado, tanto o Times quanto o Post (que pertence a Jeff Bezos) ainda não fecharam com a Apple; o WSJ também não, embora relatos apontem que as negociais com a Apple teriam sido "produtivas".

Serviço de notícias da Apple pode ser relevado em 25 de março

Apple News / Apple notícias

Segundo fontes apuradas pelo BuzzFeed News, a Apple estuda apresentar sua nova plataforma de notícias e revistas em um evento, focado em serviços, a ser realizado no dia 25 de março. A informação, como sempre é um rumor, e deve ser levada com cautela.

Ao mesmo tempo, é incerto quando a maçã introduzirá seu futuro serviço de streaming, que já cria polêmica por não querer ser polêmico. De acordo com fontes, ele deverá ser apresentado somente em abril.

Com informações: The Wall Street Journal, Ad Age, BuzzFeed News.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários