Home » Mobile » Galaxy Fold tem vinco visível, mas é um bom começo para telas dobráveis

Galaxy Fold tem vinco visível, mas é um bom começo para telas dobráveis

Galaxy Fold é bem recebido pelos primeiros que o testaram; celular com tela dobrável da Samsung deve chegar ao Brasil no dia 24 de abril

13 semanas atrás

O Galaxy Fold, o celular com tela dobrável da Samsung está finalmente dando as caras. Após a queda de um embargo mais restrito que o de Vingadores: Ultimato, os veículos selecionados para testa-lo ou experimenta-lo começaram a publicar o que acham do aparelho.

E preparem-se: o Fold deverá chegar ao Brasil na próxima semana.

Samsung / Galaxy Fold / telas dobráveis

A Samsung está limitando enormemente o acesso ao Galaxy Fold, por razões óbvias. O dispositivo traz uma tecnologia ainda na infância (que como manda a regra, é bem cara), e que a companhia ainda não tem total segurança, principalmente porque todo mundo vai reclamar do elefante na sala: sim, o display interno de 7,3 polegadas possui um vinco, bem visível e palpável.

O SamMobile, que testou o aparelho por dez minutos, ressalta que embora pesado, o aparelho é confortável e a tela, que possui um revestimento em polímero especial flexível, é incrivelmente brilhante e não se parece em nada com um acabamento plástico. Vale lembrar que a Corning está desenvolvendo um novo tipo de vidro flexível, o que poderá no futuro melhorar ainda mais essa experiência.

Na matéria do site The Verge, o autor elogia o design do Fold e, ponto comum entre todos o que o testaram, o gadget não deve ser pensado como um celular, e sim como um tablet de bolso. Seu peso e espessura o tornam desconfortável como um smartphone tradicional, mas se comparado com o iPad mini e outros produtos similares, ele ganha em portabilidade, ainda que seja bem mais grosso quando fechado (17 mm contra 6,1 mm; aberto, o Fold possui 6,9 mm).

O site elogiou o design em si e a tela externa, que embora pequena, ostenta toda a qualidade tradicional dos displays Super AMOLED, mas criticou a necessidade da Samsung em atochar câmeras demais. São seis ao todo, sendo duas internas, três traseiras e uma selfie, junto à tela frontal.

De certa forma, a apresentação do Huawei Mate X com todas as três câmeras e um sensor ToF (que o Fold não tem) numa "lombada", podendo utiliza-las como sensores principais ou selfies conforme o modo de uso, é uma solução melhor.

O YouTuber Marques Brownlee também colocou as mãos no bichinho:

Em sua análise, Brownlee lembra que a sensação da tela interna do Galaxy Fold é melhor do que a Royole Flexpai, mas lembrou algo que passou batido: este é o primeiro celular da Samsung a não contar com uma entrada P2 para fones de ouvido tradicionais. Por outro lado, todo mundo que comprar o Fold vai levar os Galaxy Buds para casa.

A dobradiça é sólida e resistente, e segundo a fabricante, ela e a tela resistem a até 200 mil movimentos de abre-e-fecha, antes de pedirem penico. Claro, isso é algo que só usando diariamente para saber com certeza.

Sobre o software, o site Digital Trends lembra que a One UI com o Android 9 Pie não é muito diferente do que você vai encontrar em outros celulares recentes da Samsung, como o Galaxy S10+, o que é uma boa coisa, mas tanto ele quanto o The Verge apontam que o recurso de três janelas ativas, sendo uma grande à esquerda e duas menores à direita, pode deixar certos apps apertados. Ainda assim, é uma opção para quem realmente precisa trabalhar com mais de um app ao mesmo tempo.

Na parte da potência, o Galaxy Fold não faz feio: com o processador Snapdragon 855 da Qualcomm, 12 GB de memória RAM e 512 GB de espaço interno, ele dá conta de qualquer coisa que você rodar, de filmes a apps pesados e jogos. A bateria de 4.380 mAh, dividida em duas células nos dois lados do aparelho resiste a um dia inteiro de uso em média, segundo a Samsung, mas este ainda é um ponto a ser verificado.

Por fim, sobre a tela dobrável: a Samsung alertou todos os que testaram o aparelho que as unidades em demonstração não são o produto final, e que o vinco nas unidades dedicadas às vendas será "menos perceptível", mas não invisível. De certa forma, é um detalhe que aqueles com grana sobrando terão que engolir, mas no geral, a tecnologia é promissora.

Em última análise, a Samsung tem tempo e dinheiro de sobra para refinar os displays flexíveis, até porque é de seu interesse vendê-los para outros fabricantes, especialmente a Apple, que preza pela experiência de uso perfeita.

Galaxy Fold chega ao Brasil dia 24 de abril

Samsung / convite para evento do Galaxy Fold

O Galaxy Fold já foi homologado pela Anatel, e o aparelho conta inclusive com um site localizado, demonstrando que já está tudo pronto para o lançamento do celular de tela dobrável em terras tupiniquins. Só faltava o convite.

Não mais: a Samsung começou a enviar a membros da imprensa brasileira os convites para um evento de apresentação simultâneo, realizado em conjunto com a divisão latina na Cidade do México (o convite dos mexicanos já deu a letra), no dia 24 de abril às 10:00, horário de Brasília.

O Meio Bit estará presente no lançamento, e trará todas as informações.

Com informações: The Verge, Digital Trends, SamMobile.

relacionados


Comentários