Home » Mobile » Galaxy Fold chega ao Brasil assustadoramente caro e incrível

Galaxy Fold chega ao Brasil assustadoramente caro e incrível

Ele é inovador, mas custa três Galaxy Note 10+

17/01/2020 às 6:03

Chegou, o Galaxy Fold chegou ao Brasil e ele é o smartphone mais incrível e caro que nosso mercado nacional pode oferecer aos seus compradores. Ele é um celular dobrável, que vira um tablet pequeno com tela de 7,3 polegadas e a versão que o brasileiro pode comprar já é a com correções para os problemas do primeiro modelo. Ah, ele custa R$ 13 mil - é R$ 12.999, mas esse um real faz uma baita diferença psicológica.

galaxy fold

Galaxy Fold corrigido, ainda bem

A primeira tentativa de vendas do Galaxy Fold, lá fora, foi desastrosa. Como qualquer “primeiro de seu tipo”, o Fold teve falhas pesadas e que mostram que é mais importante inovar do que trazer uma inovação que dá pra usar – lembrei de você também, Galaxy Note 7. A tela dobrável fazia um espaço no meio que entrava sujeira com a maior facilidade do mundo, além do produto exibir uma película que qualquer usuário de smartphone retira logo de cara – pra colocar aquela película 10 reau do shopping trem depois.

A Samsung disse que as pessoas utilizaram errado o aparelho, mas as falhas apareceram nas mãos de jornalistas e especialistas que lidam com o assunto todo dia, sabem identificar uma película que não deve ser removida, ou tomar cuidado pra que uma sujeira do bolso não entre abaixo da tela. Imagine então o que aconteceria com o Zé da padaria (o dono, já que esse celular custa bem caro), ou o João do posto (o dono também).

O lançamento foi cancelado, pré-venda não cumprida e o aparelho voltou para Coreia do Sul, pra ver o que poderia ser feito. As alterações foram feitas e os novos Galaxy Fold já não deixam a sujeira entrar com tanta facilidade na tela, a película agora vai até onde o olho não vê, as dobradiças foram reforçadas e até o momento....a coisa deu certo.

É esta revisão que vem pra cá, com a pressa do lançamento sanada e o orgulho da Samsung restaurado - além dos acionistas mais felizes e isso significa empresa mais feliz. Yay!

Tela dobrável: medo e delírio!

A Samsung foi a primeira empresa conhecida mundialmente a lançar um smartphone de tela dobrável e ele é incrível. O aparelho vem com duas telas, sendo uma Super AMOLED pequena (demais!) do lado de fora, com 4,6 polegadas e resolução de 1680 x 720 pixels, que dá espaço pra telona Dynamic AMOLED de dentro, que tem 7,3 polegadas e resolução de 2152 x 1536 pixels, em uma proporção doida (ótima pra acessar web, péssima pra vídeos) de 4,2:3.

A tela dobrável é o chamariz deste aparelho, é o que difere ele de qualquer outro Galaxy e qualquer outro celular do mundo. A experiência de uso é bastante agradável, ao menos foi o que senti nas poucas vezes que pude tocar no Galaxy Fold. Me incomodou o peso, são 263 gramas e isso significa um ganho de gordura que é pouco mais de 50% maior do que o peso do Galaxy S10+, com seus 175 gramas.

Eu sei, é questão de costume, mas é um salto muito grande do peso médio de celulares. Enfim, um ponto que precisa ficar bem claro é que a tela dobrável faz um vinco, uma lombada que segue toda a parte do meio do celular. Ele é visível? Ô se é, mas só com muita luz do lado de fora. Quando o ambiente está mais escuro, esse vinco fica menos visível.

Samsung / Galaxy Fold (parte interna)

A tela é de plástico, o vidro (ainda) não é tão maleável assim. Eu fico imaginando como estará o Galaxy Fold depois de dois anos de uso, que é o tempo médio que uma pessoa fica com o celular. Sabendo o público dele, aposto em um ano ou menos, que ainda sim é bastante tempo de abertura pra deixar o vinco cada vez mais visível - ele pifou antes do prazo que a Samsung dá, de 200 mil dobradas, nas mãos do CNET.

Força de sobra

No Brasil temos um Snapdragon 855 com oito núcleos e é exatamente o mesmo que equipa o Galaxy S10+ vendido nos Estados Unidos e China, só que aqui a RAM tem 12 GB (sem nenhuma opção pra baixo). Tudo isso controlado pelo Android 9 - poxa Samsung, o Android 10 foi lançado publicamente quatro meses atrás!

Se o S10+ já roda tudo com folga, aqui a folga deve ser tipo 5% menor pela tela maior, que oferece uma experiência de multitask mais imersiva, já que o display acomoda dois apps abertos ao mesmo tempo com mais conforto e eu sei que você vai utilizar isso. Trocando em miúdos: você que tem bala na agulha pra comprar o Galaxy Fold, sabe que terá um celular muito potente por uns dois anos, sem reclamar da vida.

Quanto custa? (spoiler: muito mais do que você esperava)

galaxy fold hero

O Galaxy Fold chega ao Brasil na semana que vem, em um estilo de venda diferente. O valor dele é - sente, tome um chá, guarde a carteira – de R$ 13 mil. Este é o smartphone mais caro que a Samsung já lançou, mais caro que o iPhone 11 Pro Max, que o Galaxy Note 10 e dá pra comprar quase três Note 10+ com esse preço, já que ele custa, no momento da publicação deste texto, R$ 4,5 mil.

O tipo de venda diferente funciona assim: você só poderá comprar um Galaxy Fold entre às 21h do dia 22 de janeiro e às 21h do dia 23 deste mesmo mês. As vendas acontecerão apenas via online ou nas lojas da Samsung espalhadas pelo país, com a entrega em até 24 horas depois da compra e isso vale até mesmo pra loja física. Ele será vendido em unidades limitadas, mas a Samsung não diz quantas são - é caro, tão caro, que ela sabe que vai vender pouco.

Ainda é cedo pra falar se o preço vale, preciso passar um tempinho com o smartphone pra opinar melhor, mas pagar quase três vezes mais do que um Galaxy Note 10 só pela versatilidade de dobrar e desdobrar um smartphone, me parece muito dinheiro. Ele é realmente elegante, chamará atenção em qualquer mesa que estiver e certamente ficará enorme em qualquer bolso, mas é o suprassumo da tecnologia em celulares no momento.

(Ainda) Não há nada no mundo mais inovador do que o Galaxy Fold e toda inovação tem um preço salgado. Ele vale se você é early adopter e sabe que comprou algo beta, ainda em testes. Ele vale se você faz questão de ter o status massageado, vale se você tem um cartão de crédito sem limites. Pra qualquer outro humano, eu sugiro um Galaxy Note 10 e use o restante do dinheiro pra viajar pra longe.

Ah, sim, se você comprar o Galaxy Fold neste pequeno período de vendas, vai levar pra casa um Galaxy Buds e uma capinha de fibra de aramida, que chamamos de Kevlar no mundo dos humanos.

Samsung Galaxy Fold - ficha técnica:

  • Telas:
    • Infinity Flex Display (dobrável), Dynamic AMOLED de 7,3 polegadas, 2152 x 1536 pixels, proporção de 4,2:3.
    • Super AMOLED (externa) 1680 x 720 pixels, proporção de 21:9
  • Processador: Qualcomm SM8150 Snapdragon 855, octa-core (1 núcleo em 2,84 GHz, 3 núcleos em 2,42 GHz e 4 núcleos rodando em 1,78 GHz)
  • GPU: Adreno 640
  • RAM: 12 GB
  • Memória: 512 GB (UFS 3.0)
  • Câmeras traseiras:
    • 12 megapixels, f/1,5-2,4
    • 12 megapixels, f/2.4 (telefoto)
    • 16 megapixels f/2,2 (ultrawide)
  • Câmeras internas:
    • 10 megapixels f/2,2
    • 8 megapixels f/1.9 (serve de sensor de profundidade)
  • Câmera frontal (externa): 
    • 10 megapixels f/2,2
  • Alto-falantes: estéreo
  • Entrada para fone de ouvido: não tem
  • Conectividade: Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac/ax, dual-band, Wi-Fi Direct, Bluetooth 5.0 (A2DP, LE, aptX HD), NFC, USB-C 3.1, GPS (A-GPS, GLONASS, GALILEO, BDS)
  • Bateria: 4.380 mAh
  • Sistema operacional: Android 9 Pie

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários