Home » Hardware » AMD lança processadores Ryzen 3000 para laptops e confirma Ryzen 3 para desktops

AMD lança processadores Ryzen 3000 para laptops e confirma Ryzen 3 para desktops

AMD revela os processadores Ryzen 3000 para laptops e confirma terceira geração para desktops, com arquitetura Zen 2 e suporte a PCIe 4.0

11/01/2019 às 9:30

A AMD começou 2019 renovando a família Ryzen: ela introduziu sete novos processadores da segunda geração para notebooks, além de confirmar a terceira geração de chips para desktops, que chegarão ao mercado com suporte a PCI Express 4.0 e arquitetura Zen 2, de sete nanômetros.

Vejamos tudo o que foi apresentado:

Para laptops: AMD Ryzen 3000 e Athlon

AMD / Ryzen

A segunda geração da linha Ryzen Mobile da AMD consiste em nove processadores, divididos entre duas categorias e três nomenclaturas. Primeiro, temos sete chips de alto desempenho, voltados para notebooks profissionais, ultrabooks potentes e até modelos para o consumidor gamer, dependendo do caso.

Ainda que estes novos chips sejam fabricados no processo de 12 nanômetros, a AMD diz que eles oferecem maior desempenho e são melhores que os atuais processadores da Intel: numa comparação entre o Ryzen 5 3500U e o Core i5-8250U, o primeiro foi 14% mais rápido em navegação (números do PCMark 10) e 27% mais veloz em edição de imagens no Adobe Photoshop.

Estes são os novos chips de ponta da AMD para laptops, sendo seis Ryzen 3000 e um Athlon:

  • Ryzen 7 3750H: quatro núcleos, oito threads, clock base de 2,3 GHz (4 GHz com boost), 6 MB de memória cache, GPU Radeon Vega 10 e TDP de 35 W;
  • Ryzen 7 3700U: quatro núcleos, oito threads, clock base de 2,3 GHz (4 GHz com boost), 6 MB de cache, Radeon Vega 10 e TDP de 35 W;
  • Ryzen 5 3550H: quatro núcleos, oito threads, clock base de 2,1 GHz (3,7 GHz com boost), 6 MB de cache, Radeon Vega 8 e TDP de 35 W;
  • Ryzen 5 3500U: quatro núcleos, oito threads, clock base de 2,1 GHz (3,7 GHz com  boost), 6 MB de cache, Radeon Vega 8 e TDP de 15 W;
  • Ryzen 3 3300U: quatro núcleos, quatro threads, clock base de 2,1 GHz (3,5 GHz com boost), 6 MB de cache, Radeon Vega 6 e TDP de 15 W;
  • Ryzen 3 3200U: dois núcleos, quatro threads, clock base de 2,6 GHz (3,5 GHz com boost), 5 MB de cache, Radeon Vega 3 e TDP de 15 W;
  • Athlon 300U: dois núcleos, quatro threads, clock base de 2,4 GHz (3,3 GHz com boost), 5 MB de cache, Radeon Vega 3 e TDP de 15 W.

A AMD já garantiu uma parceria com a ASUS, que irá equipar os notebooks gamer TUF Gaming FX505DY e FX705DY com o Ryzen 5 3550H (este último usará a GPU Radeon RX 560, com 4 GB de RAM GDDR5), mas resta saber se outros fabricantes irão preferir os seus processadores aos da Intel. No final, a empresa terá que gastar uns bons cascalhos para assegurar participação nos próximos lançamentos do mercado.

Os processadores Ryzen 3000 e Athlon deverão aparecer em notebooks ao longo do ano, e a AMD deu uma boa notícia: a partir deste trimestre, todos os processadores móveis receberão atualizações nos chips gráficos junto com as liberadas para os de desktops.

Para desktops: AMD Ryzen 3

AMD / Ryzen

Aproveitando, a AMD anunciou no esquema "se piscar, perdeu" que a terceira geração dos processadores Ryzen para desktops, chamada Ryzen 3 chegará ao mercado em breve. A companhia não forneceu muitas informações, mas algumas coisas já são de conhecimento público.

Primeiro, a arquitetura Zen 2 é baseada no processo de litografia de sete nanômetros da TSMC, o mesmo que ela emprega nos chips Apple A12 e A12X Bionic, presentes nos iPhones XS, XS Max, XR e no iPad Pro com Face ID. Curiosamente, ele utiliza uma matriz de 14 nm nos controladores e memória e instruções I/O, para diminuir a latência e prover outras vantagens.

A AMD fez uma demonstração rápida com um protótipo, que contava com oito núcleos e 16 threads; nos testes com o Cinebench R15, ele marcou 2.023 pontos com um consumo médio de 130 W, contra 2.042 pontos do Intel Core i9-9900K, mas com este comendo 180 W.

No fim, a diferença é muito pequena e o consumo energético, bem menor. Segundo a fabricante, o ganho médio de desempenho vai girar na casa dos 15%, com um consumo bem menor do que a concorrência ou de gerações anteriores.

AMD / protótipo do Ryzen 3, exibindo a matriz de 14 nm (esq.) e o chiplet de 7 nm (dir.)

Protótipo do Ryzen 3, com a matriz de 14 nm à esquerda e o chiplet de 7 nm à direita (créditos: AnandTech)

Segundo, o Ryzen 3 dará suporte ao padrão PCI Express 4.0, cujas especificações foram fechadas em 2017 e promete velocidades de até 64 GB/s. Isso é o dobro da velocidade do PCIe 3.0, introduzido em 2010.

Isso é possível porque o padrão traz uma largura de banda por linha de cerca de 2 GB/s, assim, dispositivos x16 podem alcançar uma taxa máxima de 32 GB/s, em teoria, claro. E como o PCIe 4.0 opera em modo full duplex, recebendo e enviando dados simultaneamente, chegamos ao número máximo prometido. A AMD é a primeira a introduzir o padrão em soluções para o consumidor final.

A AMD não forneceu datas, mas espera-se que os processadores Ryzen 3 cheguem ao mercado no segundo ou terceiro trimestre de 2019.

Com informações: AnandTech, ExtremeTech.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários