Meio Bit » Ciência » Aranhas-saltadoras seriam capazes de ter sonhos

Aranhas-saltadoras seriam capazes de ter sonhos

Observações de aranhas-saltadoras sugerem que elas possuem algo similar ao sono REM, e poderiam inclusive ter sonhos

09/08/2022 às 11:08

Um novo estudo sugere que as aranhas-saltadoras, também conhecidas como aranhas-papa-moscas, membros da família mais numerosa da ordem e que muitos criam como animais de estimação, têm uma característica inesperada em comum com humanos e outros vertebrados: um comportamento similar ao sono REM, que sugere inclusive que estes pequenos aracnídeos são capazes de... sonhar.

Aranhas-saltadoras, como a Platycryptus undatus acima (tamanho real: 9 mm) apresentam comportamento que até então, se pensava ser exclusivo de vertebrados (Crédito: Kevincollins123/Wikimedia Commons)

Aranhas-saltadoras, como a Platycryptus undatus acima (tamanho real: 9 mm) apresentam comportamento que até então, se pensava ser exclusivo de vertebrados (Crédito: Kevincollins123/Wikimedia Commons)

O que é sono REM?

O sono é geral é dividido em várias fases, separados por diferenças na atividade cerebral. Sono REM ou R.E.M. (agora você sabe de onde veio o nome da banda), de Rapid Eye Movement, ou Movimento Rápido dos Olhos em português, já foi chamado no passado de sono paradoxal, pois devido à atividade do tálamo, o cérebro se comporta como se estivéssemos acordados. Mas continuamos dormindo.

É nesta fase do sono que coisas estranhas acontecem. O controle muscular autônomo é cortado, para que o corpo não "encene" as situações criadas durante os sonhos mais vívidos, que se formam neste cenário. É daí que vem a paralisia do sono, quando "acordamos" parcialmente neste ponto; estamos conscientes, mas completamente imóveis.

O sono REM propriamente desenvolvido é exclusivo dos mamíferos, em especial dos humanos, embora já tenha sido observado em répteis e pássaros. Até então, pensava-se ser um processo cognitivo presente apenas em vertebrados.

Essa percepção mudou completamente por acaso, graças a uma pesquisa não relacionada conduzida pela Dra. Daniela Rößler, ecologista comportamental e pós-doutoranda da Universität Konstanz, ligada ao Instituto Max Planck da Alemanha.

Ela coletou aranhas-saltadoras para outra pesquisa, que visava analisar seu comportamento quando confrontadas com versões impressas em 3D de aranhas predadoras, quando notou algo curioso.

É durante o sono REM que os sonhos mais vívidos se formam, com uma mãozinha de Lorde Morfeu, claro (Crédito: Vertigo/Warner Bros.)

É durante o sono REM que os sonhos mais vívidos se formam, com uma mãozinha de Lorde Morfeu, claro (Crédito: Vertigo/Warner Bros.)

Uma noite, ela observou que todas as aranhas estavam penduradas de cabeça para baixo, suspensas por seus fios de seda, no que Rößler inicialmente pensou que todas estavam mortas. Uma análise mais detalhada constatou que, na verdade, elas estavam dormindo.

Aranhas sonham com moscas elétricas?

Uma espécie em específico, a Evarcha arcuata, se tornou o objeto de estudos da dra. Rößler, dado a um comportamento noturno peculiar. Com apenas 6 mm de comprimento, esta aranhinha exigiu a aquisição de uma câmera de visão noturna (um modelo barato, segundo a pesquisadora), ligada a uma lente de aumento graças à boa e velha gambiarra, com fita adesiva.

O que a câmera capturou a seguir foi algo que a naturalista não esperava. Enquanto dormia, a Evarcha arcuata movia as pernas, o abdômen e até mesmo as fieiras, as organelas que produzem as teias. As patas inclusive se retraíam em direção ao esterno, como as aranhas fazem quando morrem.

Como a aranha continuava dormindo, a dra. Rößler deduziu que este poderia ser um comportamento similar ao do sono REM, atestado ao observar espécimes recém-nascidos. Graças a seu exoesqueleto semitransparente nos primeiros momentos de vida, foi possível observar que os tubos retinianos, estruturas internas que aranhas usam para reposicionar seus olhos, se movimentam enquanto o espécime dorme.

Outros artrópodes não possuem estruturas especializadas para mexer os olhos. Moscas e abelhas, por exemplo, precisam mover suas cabeças para direcionar a visão a um determinado ponto.

A pesquisa é importante porque desafia o que se sabe sobre o sono REM, principalmente, que ele não é um processo tão complexo assim, e que pode ter surgido muito mais cedo, na linha do tempo da Evolução, do que se pensava.

Além disso, o comportamento levanta a hipótese de que estas aranhas, que não são maiores que uma unha, podem ter experiências similares a sonhos, embora não se saiba o quão rudimentar eles sejam.

No mais, fica a dúvida de como seria a aparência do Rei dos Sonhos, do ponto de vista de uma aranha-saltadora.

Referências bibliográficas

RÖßLER, D. C., KIM, K., DE AGRÒ, M., SHAMBLE, P. S. Regularly occurring bouts of retinal movements suggest an REM sleep–like state in jumping spiders. PNAS, Volume 119, N.º 33, 3 páginas, 8 de agosto de 2022. Disponível aqui.

Fonte: Scientific American

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários