Meio Bit » Games » David Jaffe, o homem que recusou um projeto de US$ 100 milhões!

David Jaffe, o homem que recusou um projeto de US$ 100 milhões!

Segundo David Jaffe, a Tencent teria lhe oferecido um orçamento de US$ 100 milhões para criar um jogo, mas por discordar do governo chinês, ele recusou

16 semanas atrás

Ter um grande orçamento à disposição e não precisar se preocupar com dinheiro é o sonho de quase todo desenvolvedor de jogos. Porém, para David Jaffe, nem mesmo uma oferta feita pela Tencent e que muitos considerariam irrecusável conseguiu lhe convencer a trabalhar para a companhia chinesa.

David Jaffe

Crédito: Reprodução/youtube

Tendo iniciado sua carreira na indústria em 1993 como um simples testador de jogos, sua primeira atuação como game designer aconteceria já no ano seguinte, quando ajudou a criar o Mickey Mania. Já em 1995 David Jaffe daria um salto ainda maior, ao participar do desenvolvimento de um jogo que conquistou muitos admiradores no primeiro PlayStation, o Twisted Metal.

Após dirigir duas continuações para aquele frenético jogo de corrida, ele ainda atuaria como designer num título que não fez tanto sucesso, o Kinetica, até que em 2005 viesse o que podemos considerar sua obra-prima, o God of War. Até ali, tudo indicava que Jaffe marcaria seu nome como um dos maiores da indústria, mas assim como sua carreira decolou, rapidamente ela despencou.

Sua aposta em Calling All Cars! não funcionou, o Twisted Metal lançado para PlayStation 3 em 2012 não alcançou o sucesso que a Sony esperava e o promissor Drawn to Death nunca conquistou a atenção dos apaixonados por arena shooters. Em 2018 chegava a hora dele fechar seu estúdio, o The Bartlet Jones Supernatural Detective Agency, e colocar em dúvida seu retorno ao desenvolvimento de jogos.

Afirmando estar farto de trabalhar em jogos de grande porte, desde então David Jaffe tem se dedicado ao seu canal no Youtube, onde está quase sempre destilando comentários ácidos em relação à mídia. Mesmo assim, os executivos da Tencent julgaram que seria uma boa ideia convidá-lo para dirigir um novo jogo, mas o resultado foi muito diferente do que eles esperavam.

Twisted Metal (2012), o último grande projeto de David Jaffe (Crédito: Divulgação/Eat Sleep Play)

Ao participar do podcast Sacred Symbols+, o ex-game designer e agora influenciador digital contou como aconteceu essa proposta e o que o levou a negar uma proposta tão tentadora.

Eu tinha um acordo de US$ 100 milhões. Fui cortejado por uma companhia chinesa... e disse ‘não, obrigado’... porque vocês são a Tencent e não quero nada com vocês.

Foi ruim, porque era a Tecent ocidental e era um cara ocidental que respeito e que estava me ligando e estava tentando não o envergonhar. Espero que ele tenha uma casca grossa o suficiente e que seja um executivo nesse negócio por mais tempo do que eu, mas eu estava apenas tipo, ‘cara, eu não quero fazer negócio com uma companhia como essa, com um governo como esse.’

Mesmo com a mensagem tendo sido bem clara, mais tarde ao criticar a quantidade de dinheiro que as empresas têm despejado nos estúdios, David Jaffe foi além e atacou diretamente a maneira como o povo é tratado na China.

Parem de matar as pessoas. Mais uma vez as pessoas vão pensar, ‘as mãos dos Estados Unidos não estão limpas’, não, elas não estão limpas mesmo, mas também não estamos, sabe... nós temos um sistema que, se dermos a mínima, podemos mudá-lo.

Na China, você pode ser simplesmente pego na rua se estiver online e disser algo ruim sobre a polícia, o governo ou qualquer outra coisa e quem sabe quando o veremos novamente. Isso sem mencionar se você for um maldito uigur.

Logo após sua declaração ganhar repercussão, várias pessoas passaram a acusar David Jaffe de ter inventado a história para se promover, talvez até para “cavar” uma vaga em alguma empresa. Para elas, não faz sentido uma companhia fazer uma proposta desse tamanho a alguém que está há tanto tempo afastado do desenvolvimento e sem emplacar um grande sucesso desde o God of War II, quando atuou como diretor criativo.

Incomodado com as acusações, Jaffe usou sua conta no Twitter para se defender, publicando o que seria a resposta por email que ele deu ao executivo da Tencent que o procurou. Mesmo assim, alguns defendem que a imagem não prova nada, já que ela poderia ter sido manipulada e o sujeito estaria apenas buscando uma maneira de reforçar sua narrativa.

Jaffe foi o diretor criativo do God of War II (Crédito: Divulgação/Santa Monica Studio)

Talvez nunca saibamos ao certo se a proposta foi real ou se Jaffe a criou como uma maneira de defender sua ideologia. O fato é que ao criticar tão duramente a Tencent e o governo chinês, ele fechou diversas portas que provavelmente nunca voltarão a ser abertas, tornando bem mais difícil conseguir espaço numa grande empresa do ramo.

Fundada em 1998, a Tencent Holdings Ltd. é um conglomerado de tecnologia e entretenimento que vem se tornando cada vez maior, já sendo apontada como a maior companhia de videogames do mundo. Como a lista de editoras e desenvolvedoras em que ela tem participação é imensa, podemos citar a Epic Games, Grinding Gear Games, Dontnod Entertainment, Ubisoft, Activision Blizzard, Roblox Corporation e Paradox Interactive. Além disso, eles controlam 100% das ações da Funcom, Riot Games, Turtle Rock Studios, Sumo Group, Leyou e 1C Entertainment.

No entanto, todo esse poder conquistado pela Tencent não veio sem algumas polêmicas, indo desde acusações de violações de direitos autoriais até a aquisição agressiva de empresas, consolidando assim seu monopólio. Além disso, a proximidade da gigante ao governo chinês e a suspeita de censura aos usuários do aplicativo WeChat tem incomodado aqueles que temem que os jogos criados numa dessas subsidiárias poderiam vir a sofrer do mesmo mal.

Fonte: Video Games Chronicle

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários