Home » Games » Patrick Mahomes e o fim da Maldição Madden

Patrick Mahomes e o fim da Maldição Madden

Depois de vários anos com os atletas na capa da série Madden registrando desempenhos ruins, o quarterback dos Chiefs, Patrick Mahomes, triturou a maldição.

04/02/2020 às 8:38

Quem gosta de futebol sabe que o esporte está cercado por superstição. Dos jogadores aos torcedores, passando até mesmo pelos dirigentes, muitas pessoas gostam de acreditar que boa parte dos sucessos ou fracassos se devem a forças ocultas, mas não ache que isso é exclusividade da modalidade. Mesmo o futebol americano, onde a estratégia se faz tão presente convive com uma lenda bem antiga e o responsável por “quebrá-la” foi Patrick Mahomes, quarterback do Kansas City Chiefs.

Patrick Mahomes

Conhecida como Madden Curse, ou a Maldição Madden, tudo começou lá em 1999, quando a série criada pela Electronic Arts passou a adotar apenas um atleta na capa dos seus jogos e Garrison Hearst (San Francisco 49ers) foi escolhido. De lá para cá, os jogadores tiveram que conviver com quedas nos seus desempenhos no mesmo ano em que apareceram na capa do game, muitas vezes devido a lesões e/ou não conseguiram se sagrar campeões do Super Bowl, a grande final do futebol americano.

O único caso que pode ser considerado uma exceção é o de Rob Gronkowski, que em 2017 viu o seu New England Patriots faturar o título, mas do banco. Tendo participado de apenas oito partidas na temporada regular naquele ano, o tight end sofreu com lesões nas costas e nos músculos da coxa.

Mas então chegamos ao início em 2019 e quando o promissor Patrick Mahomes apareceu na capa do Madden 20, muitos torcedores dos Chiefs começaram a temer pelo pior. Tendo registrado um ótimo desempenho no ano anterior e sendo escolhido o MVP (Most Valuable Player, ou Jogador Mais Valioso), era natural que a EA quisesse ter o jovem atleta ilustrando a capa do seu próximo jogo, mas com o time de Kansas City vindo de um jejum de quase 50 anos sem títulos, aquela era uma "homenagem" que poderia cobrar um preço muito alto.

O mais impressionante é que até o início do último quarto do jogo disputado no domingo passado (02), o time de Mahomes perdia para o San Francisco 49ers por 10 pontos, quando ele fez valer seu talento. Ao todo o rapaz acertou 26 de 42 passes (com duas interceptações), tendo lançado para 286 jardas e anotado três touchdowns, sendo um deles correndo.

Patrick Mahomes

Com isso, o jogador que veio da universidade Texas Tech em 2017 e foi a 10ª escolha geral no draft de 2017 se tornou o quarterback mais jovem a ser escolhido o MVP de um Super Bowl, estando com 24 anos e 138 dias. Agora, apenas ele, Tom Brady e “Big” Ben Roethlisberger podem se orgulhar por terem sido campeões antes de completarem 25 anos, mas as marcas de Patrick Mahomes não param por aí. Isso porque ele lançou para 12 touchdowns na pós-temporada, um a mais que os números registrados pelo “Marido da Gisele” e por Joe Flacco.

Diante de um desempenho tão espetacular, restou à EA Sports brincar com a situação, com a conta do jogo no Twitter publicando uma bem humorada mensagem sobre a tão temida maldição.

Mas mesmo com o próprio John Madden tendo afirmado em 2013 que a lenda não existe e que ele apareceu em capas dos jogos por vários anos sem ter sofrido uma lesão, naquele mesmo ano o Detroit Lions de Calvin Johnson não conseguiu chegar aos playoffs e o próprio Patrick Mahomes por pouco não foi mais um a fazer “parte das estatísticas”.

O motivo foi uma lesão sofrida pelo quarterback na semana sete, quando durante a partida contra o Denver Broncos ele teve um deslocamento da patela do joelho direito, o que o fez perder duas rodadas. Aí veio sua recuperação, mas mesmo durante o Super Bowl LIV parecia que a praga rondava o jogador, que como dito anteriormente, já havia sido interceptado duas vezes.

Contudo, como o esporte adora contar uma boa história, Mahomes fez com que a sua equipe anotasse 21 pontos no último quarte, numa das viradas mais espetaculares já vistas na final. Desta forma podemos dizer de uma vez por todas que acabou a lenda de que um astro que aparecesse na capa de um Madden não teria sucesso no mesmo ano. Porém, alguém duvida de que outras superstições continuarão rodando este e outros esportes?

Ps.: e mais uma vez a EA conseguiu acertar o vencedor do Super Bowl. Embora o placar da partida não tenha sido o mesmo, a simulação realizada pela empresa no Madden 20 foi mais uma a cravar o grande campeão do futebol americano.

Fonte: Business Insider.

relacionados


Comentários