Home » Entretenimento » Filmes dos anos 90 que você precisa ver

Filmes dos anos 90 que você precisa ver

Repleto de filmes que se tornaram verdadeiros clássicos, relembre conosco algumas das melhores produções que marcaram os anos 90.

24/01/2020 às 9:56

A década de 80 foi fantástica por muitos motivos (você não, lambada!) e por mais que aquele período tenha nos dados ótimos filmes, foram os lançados nos anos 90 que consolidaram o meu gosto pelo cinema. Isso porque conforme avançava pela adolescência eu passei a admirar melhor os roteiros e a apreciar longas que abordavam temas mais delicados, o que certamente me faz ter um carinho especial pelos filmes lançados naquela época.

Filmes dos anos 90 - Pulp Fiction

Foi naquela década que eu perdi totalmente o interesse por filmes de pancadaria, que eu passei a conhecer melhor alguns diretores, que percebi que drama não necessariamente era um gênero chato ou que aprendi a adorar filmes de faroeste — obrigado por isso, Clint Eastwood e o seu espetacular Os Imperdoáveis.

Também foi com os filmes dos anos 90 que entendi o fascínio que algumas pessoas têm por histórias da Segunda Guerra Mundial e quando entendi que acompanhar roteiros que giravam em torno da violência e/ou de sociedades decadentes curiosamente poderiam servir como uma excelente válvula de escape para a realidade.

Enfim, se na lista sobre aquilo que foi produzido para o cinema na década de 80 eu achei que tive muita dificuldade para chegar a apenas 10 indicações, foi porque eu não tinha pensando muito no que havia sido lançado nos anos seguintes. Então, depois de sofrer bastante e certamente cometer algumas injustiças, aqui estão alguns daqueles que considero entre os melhores filmes dos anos 90.

O Silêncio dos Inocentes

Filmes dos anos 90 - O Silêncio dos Inocentes

Baseado no livro homônimo de Thomas Harris, que por usa vez se inspirou no assassino mexicano Alfredo Ballí Treviño que o autor havia conhecido nos anos 60, O Silêncio dos Inocentes é uma aula de como entregar um roteiro impecável, de como criar um ótimo suspense e principalmente, de como um vilão pode ser ao mesmo tempo fascinante e incrivelmente assustador.

Some a isso um Anthony Hopkins em uma das atuações mais impressionantes de todos os tempos e uma Jodie Foster, capaz de mesclar a insegurança de uma policial novata com a resiliência de uma mulher disposta a vencer na carreira, e temos uma das melhores duplas de todos os tempos.

Alguns anos depois eu pude ler o livro escrito por Harris e embora as diferenças físicas descritas para o Dr. Hannibal Lecter tenham acabado com um pouco do encanto que eu tinha pelo personagem no filme, ainda o considero uma das figuras mais aterrorizantes que apareceram na telona.

Menções Honrosas: Seven: Os Sete Crimes Capitais, Os Suspeitos.

Forrest Gump: O Contador de Histórias

Acho que todo mundo gosta de uma boa história e se tivermos que apontar alguém que sabe contar várias delas, este é o nosso querido Forrest Gump. Mostrando da infância do personagem até sua meia idade, o filme faz uma viagem pela história dos Estados Unidos, com destaque para várias cenas em que o sujeito foi incluído digitalmente em gravações reais.

Repleto de passagens memoráveis e embalado por uma das melhores trilhas sonoras de todos os tempos, Forrest Gump: O Contador de Histórias é o tipo de filme que consegue agradar praticamente todos os tipos de pessoas e que por mais que o assistamos diversas vezes, sempre haverá algum detalhe a ser descoberto ou um momento que nos emocionará.

Menção Honrosa: Thelma & Louise.

Clube da Luta

Filmes dos anos 90 - Clube da Luta

Alguns filmes são muito bons, outros conseguem até ser considerados clássicos, mas poucos são capazes de entrar na cabeça do espectador e nos fazer pensar na sociedade em que vivemos. O brilhante Clube da Luta é um desses raros casos.

Eu ainda lembro da primeira vez que assisti este filme e do espanto que senti quando ele se encaminhava para a parte final. A revelação do que estava acontecendo me fez agir de uma maneira que nunca havia acontecido, que foi rebobinar a fita VHS e ver o filme inteiro novamente. Ao fazer isso pude perceber muita coisa que não havia visto inicialmente, o que fez com que um filme fantástico se tornasse muito, mas muito melhor.

A minha única ressalva em relação a obra de David Fincher é em relação ao seu desfecho, a cena no prédio. Eu já não havia gostado dela quando vi o filme, mas quando li o livro de Chuck Palahniuk algum tempo depois, ela se tornou ainda pior e mais… pobre.

Menção Honrosa: Trainspotting: Sem Limites.

A Bruxa de Blair

Embora a ideia de criar um documentário falso não fosse inédita, o que os responsáveis pelo A Bruxa de Blair fizeram em 1999 foi algo digno de tirar o chapéu. Quando esse filme apareceu nos cinemas, chegou a haver uma espécie de histeria coletiva, com grandes multidões querendo assistir os últimos momentos registrados pelos jovens Heather, Josh e Mike, que haviam desaparecido numa floresta perto de Burkittsville, Maryland.

É bem possível que a minha repulsa por spoilers venha deste filme, pois quando finalmente consegui assisti-lo, já sabia que a história vendida por ele não havia acontecido realmente. Mesmo assim, a tensão e o terror que aquele longa conseguiu me passar foi algo impressionante e para alguém que sempre gostou de filmes de terror, eu não esperava que um dia um deles ainda poderia me surpreender.

A única coisa que lamento é o legado deixado por este pseudodocumentário, já que ainda hoje parece que todo filme de terror precisa recorrer a uma câmera em primeira pessoa para tentar (quase sempre sem êxito) nos assustar.

Menções Honrosas: O Sexto Sentido, Drácula de Bram Stoker, Audição.

Pulp Fiction: Tempo de Violência

Eu sou fã de Quentin Tarantino, gosto de quase todos os filmes feitos por ele, mas na minha opinião o diretor nunca conseguirá criar algo tão espetacular quanto o Pulp Fiction: Tempo de Violência. Tudo naquela obra beira a perfeição: dos roteiros aos diálogos, da fotografia a inesquecível trilha sonora, das atuações a montagem.

Sendo hoje apontado não só como um dos melhores filmes dos anos 90, mas como um ícone da cultura pop, na época em que o assisti pela primeira vez eu não tinha muita noção de no que o longa iria se tornar, mas mesmo sendo um fedelho que ainda estava descobrindo seu gosto cinematográfico, a certeza que tinha era de que eu havia adorado aquela história.

Menções Honrosas: Cães de Aluguel, Os Bons Companheiros, Assassinos por Natureza, O Poderoso Chefão III.

Fargo: Uma Comédia de Erros

Apesar do título nacional poder passar a ideia de que Fargo é um filme engraçado e ele de fato seja carregado de humor negro, não se deixe enganar. Com um roteiro genial e uma série de diálogos fantásticos, ele é um thriller policial muito interessante e que mostra todo o talento dos irmãos Joel e Ethan Coen.

Nele conhecemos a história de Jerry Lundegaard, um vendedor de carros que contrata dois marginais para sequestrarem sua esposa, para assim receber o dinheiro do seguro. O problema é que a dupla está longe de ser muito competente e logo uma série de assassinatos começa a acontecer, fazendo com que uma chefe de polícia grávida — e brilhantemente interpretada por Frances McDormand — tenha que se desdobrar para solucionar o caso.

Menções Honrosas: O Grande Lebowski, O Show de Truman, Feitiço do Tempo, Quero ser John Malkovich.

Matrix

Filmes dos anos 90 - Matrix

Misturando conceitos de diversas religiões, filosofia e tecnologia, no final dos anos 90 Matrix chegou aos cinemas como muito mais do que somente um dos melhores filmes da década. Com efeitos especiais de última geração e cenas de ação de tirar o fôlego, não é de se estranhar que ele tenha feito tanto sucesso e até servido como referência para muita coisa produzida nos anos seguintes.

O filme foi tão impactante que não é difícil encontrarmos diretores como M. Night Shyamalan, James Cameron ou Darren Aronofsky o elogiando e por mais que a sua importância para indústria seja inegável, o simples fato dele ter nos apresentada à bela Carrie-Anne Moss já deveria ser motivo mais do que suficiente para o adorarmos.

Menções Honrosas: O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final, Contato.

Um Sonho de Liberdade

Vários bons filmes foram feitos tendo a obra de Stephen King como base, mas na minha opinião nenhum conseguiu ser tão fiel (e bom) quanto Um Sonho de Liberdade. Tirando um pequeno detalhe em relação a aparência física de um dos personagens e que é irrelevante para a história, a adaptação consegue retratar exatamente tudo o que temos no conto Rita Hayworth e a redenção de Shawshank, que foi publicado no livro Quatro Estações.

Nele acompanhamos Andy Dufresne, um sujeito condenado à prisão perpetua por ter matado a mulher e seu amante, e que na prisão cria um belo laço de amizade com outro detento.

Com ótimas atuações de Morgan Freeman e Tim Robbins, o filme foi adotado por muitos como um exemplo de perseverança e até o carvalho em que o protagonista deixa um bilhete virou um símbolo de esperança para algumas pessoas.

De acordo com o site IMDB, Um Sonho de Liberdade está no topo da lista dos melhores filmes já feitos e embora isso seja um tanto questionável, não acho exagero apontá-lo como um dos maiores clássicos dos anos 90.

Menções Honrosas: A Espera de um Milagre, Malcolm X, Filadélfia, Magnólia.

Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros

Sendo o filme que apresentou as maravilhas da genética para muita gente e que conseguiu “dar vida” a dinossauros da maneira mais realista que já havíamos visto, O Parque dos Dinossauros foi um fenômeno tão grande que até quem nunca ligou muito para cinema ficou interessado em assisti-lo.

Tecnicamente impecável, o longa conseguiu elevar os efeitos especiais no cinema a outro patamar, o que lhe rendeu um Oscar nesta área, além de outros para Mixagem de Som e Edição de Som. De fato, o trabalho realizado pela Industrial Light & Magic foi tão impressionante que mesmo hoje, 27 anos depois do seu lançamento, os répteis gigantes do Jurassic Park não parecem terem sido feitos no computador.

Menções Honrosas: Toy Story, O Estranho Mundo de Jack.

Além da Linha Vermelha

Filmes dos anos 90 - Além da Linha vermelha

Esta é provavelmente a indicação que mais gerará reclamações e por mais que eu também adore os outros filmes que citei como menções honrosas abaixo, sempre tive um carinho especial pelo Além da Linha Vermelha e o considerei um tanto subestimado.

Para muitos esta obra de Terrence Malick é arrastada demais, filosófica demais e até mesmo chata, mas sempre defendi que poucos filmes retrataram os terrores da guerra de forma tão crua — e na falta de outra palavra, bonita — como esse tocante longa metragem.

Lembro de certa vez ter ouvido alguém dizer que se existe um filme que parece uma poesia visual este é o Além da Linha Vermelha, e acredito que nada pode descrevê-lo melhor do que isso. Mais do que um ótimo filme dos anos 90, ele é uma verdadeira obra de arte.

Menções Honrosas: O Resgate do Soldado Ryan, A Lista de Schindler, A Vida é Bela.

relacionados


Comentários