Home » Áudio e vídeo » Japão dá início às transmissões de TV em 8K via satélite

Japão dá início às transmissões de TV em 8K via satélite

Emissora estatal NHK inaugura canal com transmissão regular de conteúdo em 8K via satélite; meta é popularizar o formato até as Olimpíadas de 2020

03/12/2018 às 9:00

Enquanto boa parte do mundo ainda assiste TV no formato 1080p (se tanto), no Japão o 8K já vem sendo estudado desde 1994, uma época em que nem o DVD era muito popular. Os primeiros testes com o formato foram exibidos em 2006 pela NHK e a Mitsubishi, e de lá para cá os japoneses vêm trabalhando para viabilizar a transmissão em 4320p.

E às 10 horas da manhã (horário local) último sábado (01), a emissora estatal deu mais um passo rumo ao futuro, iniciando as transmissões via satélite do primeiro canal do mundo com conteúdo em 8K.

Warner / Cena de 2001: Uma Odisseia no Espaço / 8K

A tecnologia envolvida é um despropósito: as transmissões em 8K possuem quatro vezes mais resolução do que o 4K e 16 vezes mais que o 1080p. Além disso, o formato possui suporte para um sistema de áudio de 24 canais (22.2), a fim de propiciar o máximo de imersão em som e imagem ao espectador.

Como nem tudo é perfeito, as TVs compatíveis que estão disponíveis no mercado atualmente ainda não possuem o padrão HDMI 2.1 implementado, que dará suporte a 8K e HDR dinâmico; portanto, para fazer uso da nova tecnologia é preciso conectar quatro cabos HDMI para vídeo e outro cabo para o áudio.

Ah sim, o consumidor também precisa de uma antena e receptor específicos.

Comparação de som 22.2 com 5.1 / 8K

Comparação de um sistema de som 22.2 com o tradicional 5.1

Claro que 8K ainda não será uma realidade para o público por um bom tempo, mesmo no Japão, mas disponibilizar um canal com suporte ao formato agora é importante para viabilizar a popularização do mesmo, como é desejo do governo japonês – afinal, a NHK é uma estatal. Outras emissoras do país também já estão se movimentando, atualmente já existem 17 canais que fazem transmissão em 4K via satélite.

A meta é popularizar o 8K até o início das Olimpíadas de Tóquio em 2020, oferecendo hardware plenamente compatível e conteúdo suficiente para incentivar a adoção por parte do espectador japonês. Isso exige obviamente que os custos se tornem mais civilizados dentro de um prazo de dois anos, o que sabemos, é algo muito difícil de acontecer.

A própria NHK oficialmente abriu os trabalhos do 4320p via satélite em 2016, mas as primeiras TVs só chegaram ao mercado a cerca de um ano atrás.

O canal lançado no último sábado é o “batismo de fogo” do 8K, e por isso mesmo a Sharp começou a vender em novembro os primeiros modelos de TVs com o receptor embutido. O problema: os preços começam em US$ 6,6 mil no modelo de 60 polegadas. Sendo bastante sincero, o formato vai permanecer como um brinquedo de gente rica por um bom tempo.

Quanto ao conteúdo, a NHK vem promovendo desde 2016 transmissões-teste de concertos, eventos esportivos e outras atrações locais, mas para a estreia do canal a emissora fez um pedido à Warner Bros., para exibir “uma das obras primas do cinema”.

Recentemente o estúdio reescaneou os negativos de 70 mm originais de 2001: Uma Odisseia no Espaço para uma versão em comemoração aos 50 anos do filme, sem tratamentos digitais e resolução sem igual. Assim a NHK conseguiu, através de uma parceria, ser o primeiro canal de TV a exibir a nova versão em 8K, via satélite.

Para março, a emissora promete repetir o feito com My Fair Lady (1964), estrelado por Audrey Hepburn.

A NHK fará mais demonstrações do formato 8K pelo país, como forma de impulsionar a adoção da tecnologia e torna-la acessível, de modo que boa parte dos japoneses possam ver os Jogos Olímpicos realizados em casa com o máximo de qualidade, e sem vender um rim para isso.

Com informações: NHK.

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários