Home » Games » Blizzard e a insatisfação com a atual postura da Activision

Blizzard e a insatisfação com a atual postura da Activision

De acordo com relatos internos, a ordem atualmente na Blizzard seria cortar gastos e pelo jeito os profissionais não estão satisfeitos com isso.

51 semanas atrás

É inevitável. Sempre que uma grande editora adquire um estúdio, o maior temor por parte dos fãs é de que as pessoas que trabalham na desenvolvedora passem a ter a sua liberdade criativa afetada. Isso já aconteceu inúmeras vezes e por mais que alguns executivos afirmem que isso poderá garantir o futuro da empresa, o temor é mais do que justificado.

Mas quando olhamos para a Blizzard e a Activision, esse perigoso controle parece nunca ter atingido fortemente a criadora de títulos World of Warcraft, Diablo e StarCraft. Tudo bem, alguém poderá dizer que suas produções perderam qualidade, que o Diablo III não é tão bom quanto o antecessor, mas tente equipará-la as situações de uma Rare, uma Westwood Studios ou uma Bullfrog Productions e ficará fácil perceber a diferença.

Pois de acordo com relatos ouvidos pelo Kotaku, já seria possível ver sinais de que a situação estaria mudando, com a relação entre as duas empresas desagradando alguns funcionários da Blizzard. Tudo teria começado quando Amrita Ahuja assumiu o cargo de diretora financeira do estúdio e já na primeira reunião com a equipe, deixou claro que o objetivo das empresas pelos próximos anos seria economizar.

Esse foi o primeiro ano em que escutamos que a prioridade seria cortar custos e tentar não gastar muito,” revelou uma fonte anônima que teria participado da reunião. “Foi apresentado como, ‘não gastem dinheiro naquilo que não for necessário’.

Se pensarmos bem, esse é um conselho que faz todo o sentido e que deveria ser seguido não apenas profissionalmente, mas por todos nós em nossas vidas. Porém, quem decide aquilo que é considerado desnecessário? Será que criar um protótipo de um Diablo no estilo de um Dark Souls é jogar dinheiro fora? E se arriscar pelo saturado mercado de multiplayer FPSs, criando um jogo focado em equipes e colocar no mercado o que ficou conhecido como Overwatch?

É claro que olhando em retrospectiva, não resta dúvida de qual aposta foi a certa, mas não é disso que vivem as desenvolvedoras de games, de apostas? Ou seja, ao deixar claro que a Blizzard precisa reduzir custos, não estaria o novo diretor financeiro já começando a podar a criatividade da sua equipe e forçando-os, mesmo que inconscientemente, a não se arriscar?

Ao ser procurada pela imprensa americana, a Blizzard através de um porta-voz disse que eles continuarão sendo uma empresa guiada pelo desenvolvimento e que todos os títulos que já lançaram são representações apaixonadas das ideias dos seus funcionários.

A nossa esperança, portanto é para que isso continue acontecendo, com a Blizzard não venha a se tornar mais um estúdio que ficará conhecido por ter sido vítima da ganância do gigante que passou a controlá-lo.

relacionados


Comentários