Mais Star Wars — Disney anuncia série live-action e nova trilogia para o cinema

rian-johnson

O diretor Rian Johnson (Os Últimos Jedi) ficará a cargo da nova trilogia

A Disney continua com seu plano de tornar Star Wars uma franquia infinita: o CEO Bob Iger revelou durante o último relatório financeiro da empresa, que depois foi confirmado pela LucasFilm que o diretor de Episódio VIII: Os Últimos Jedi Rian Johnson fechou um contrato para criar e produzir uma nova trilogia cinematográfica, bem como irão lançar uma nova série em live-action para seu futuro serviço de streaming.

Começando pela série de TV, já era evidente que a Disney se forcaria em prover conteúdos novos além de agregar material já existente sob seu guarda-chuva próprio ao mesmo tempo em que cancelou o contrato com a Netflix: a partir de 2019 (a princípio apenas nos EUA) todo o acervo cinematográfico da gigante será retirado do serviço de Reed Hastings e há grandes chances de que o conteúdo para a TV, desde séries infantis às produzidas pela ABC também acabem tendo o mesmo destino.

O anúncio de que o tal serviço próprio, que entrará no ar também em 2019 logo de cara contará com uma série exclusiva reforça essa possibilidade e mais, Iger disse no relatório que a Disney pretende lançar versões para a TV de filmes como Monstros S/A e High School Musical, bem como contar com uma nova propriedade da Marvel a ser exibida na plataforma; isso põe em cheque o futuro do acordo com a Netflix na criação de séries originais, até o momento apenas o que já foi garantido será lançado, as próximas temporadas de Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e Punho e Ferro e a nova Justiceiro (que estreia dia 17/11), e pode ser que não tenhamos mais nada além disso.

Especificamente sobre a série baseada em Star Wars nada muito útil foi dito, não há nenhuma informação sobre enredo, elenco ou equipe criativa; apenas que será uma série com atores (a primeira da franquia) ao invés de outra animação, lembrando que Star Wars Rebels será encerrada em 2018.

Por fim, Iger informou que o preço do serviço deverá ser inferior à da assinatura da Netflix, já que o acervo será consideravelmente menor. “O preço refletirá isso”, disse o executivo.

Já sobre o cinema, é evidente que a Disney pretende de fato manter os lançamentos da franquia Star Wars a um novo filme por ano pelo máximo de tempo possível, e enquanto caminhamos para o fim da nova trilogia em 2019 e a manutenção da série Uma História Star Wars, cujo próximo filme se centrará em Han Solo (há a possibilidade de termos mais filmes focados em Obi-Wan Kenobi, Yoda e Boba Fett), é preciso suprir a futura lacuna com mais histórias e para isso Rian Johnson foi mais uma vez convocado.

Ele irá escrever e produzir, junto com o parceiro Ram Bergman mais três filmes que serão totalmente à parte da saga dos Skywalker, centrado em um outro setor da galáxia até então jamais explorada em outras obras da franquia (Legends não conta) e com personagens completamente inéditos. A presidente da Lucasfilm Kathleen Kennedy está especialmente crente que a dupla entregará um material de qualidade, principalmente após o excelente resultado de Os Últimos Jedi, segundo ela e todos que trabalharam no filme.

Uma nova história fora da fórmula jedi contra sith, Aliança Rebelde contra Império ou Primeira Ordem pode ser algo muito bom de se ver, até para expandir os horizontes e mostrar que o universo de Star Wars é muito maior do que um novelão mexicano sobre os problemas internos da família mais disfuncional da galáxia. Rogue One já nos deu uma dose disso, e gostaria muito de observar outros persongens em outras situações. É esperar para ver.

Fonte: Variety.

Relacionados: , , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar