Meio Bit » Hardware » Dell CAMM é novo formato padrão de RAM em laptops

Dell CAMM é novo formato padrão de RAM em laptops

JEDEC aprova módulo CAMM da Dell como padrão de RAM DDR6 em laptops, no lugar do SO-DIMM; formato DIMM permanece em desktops

18/01/2023 às 10:36

A Dell conseguiu convencer a JEDEC de que seu novo módulo CAMM é o futuro dos laptops. Em decisão unânime, o consórcio que rege os padrões para o mercado de memórias de estado sólido decidiu que o novo formato se tornará o padrão em computadores móveis para DDR6 e LPDDR6, em substituição ao SO-DIMM, no mercado há 25 anos.

Os argumentos da Dell vão desde que o CAMM não é uma tecnologia proprietária, ao fato de que o SO-DIMM não conseguirá entregar velocidades mais altas do que as atuais do DDR5, o que a JEDEC concorda.

Módulo CAMM de memória RAM de 16 GB; Dell apresentou modelos de até 128 GB (Crédito: Wccftech)

Módulo CAMM de memória RAM de 16 GB; Dell apresentou modelos de até 128 GB (Crédito: Wccftech)

Vamos recapitular: em abril de 2022, a Dell introduziu no mercado o Precision 7670, um laptop voltado para clientes corporativos, que trazia uma novidade inusitada: os pentes de memória SO-DIMM tradicionais foram substituídos por um novo módulo de placa única, chamado CAMM (Compression Attached Memory Module, ou Módulo Anexado de Memória Comprimida).

Na época, todo mundo apontou a intenção da Dell de reduzir as opções de upgrade de seus notebooks a opções que não sejam as suas próprias, mas rapidinho a companhia se manifestou, ao revelar um plano um tanto ousado: a tecnologia foi introduzida de forma não-proprietária, ou seja, qualquer fabricante poderia replicar os módulos, e vender.

Isso foi feito porque a Dell posicionou o CAMM como um novo form factor padrão para memórias RAM substituíveis em laptops, a fim de aposentar definitivamente o SO-DIMM, citando uma série de vantagens sobre o formato "arcaico".

A Dell enumerou três características, que colocariam o CAMM à frente do SO-DIMM. A primeira delas, o formato compacto que usa o conector DGFF (Dell Graphics Form Factor), introduzido nas GPU proprietárias que não vingaram, ao abdicar do design pente/cartucho de videogame, permite que o módulo ocupe menos espaço, enquanto acomoda mais memória em uma única plaquinha.

Sua segunda vantagem elencada seria uma maior facilidade para executar reparos, o que é questionável: diferente do que ocorre com os SO-DIMM, o CAMM exige o uso de uma chave Philips para fixação à placa-mãe.

Comparação de 4 módulos SO-DIMM de 32 GB com um único CAMM de 128 GB; Dell defende que sua solução é mais rápida e ocupa menos espaço (Crédito: Reprodução/Dell)

Comparação de 4 módulos SO-DIMM de 32 GB com um único CAMM de 128 GB; Dell defende que sua solução é mais rápida e ocupa menos espaço (Crédito: Reprodução/Dell)

A terceira característica, considerada a mais importante, é a velocidade. Segundo a Dell, um módulo CAMM conectado via DFGG pode chegar a até 20 GHz de transferência, ou 20.000 MHz, quatro vezes mais rápido do que um pente DDR5 de 4.800 MHz, e mais de 3x mais veloz do que o limite teórico definido nas especificações, de 6.400 MHz.

O DFGG, chamado agora de Conector CAMM de Compressão para fins de generalização, suporta modelos de módulos de 16 GB a até 128 GB, os oficiais apresentados pela Dell, que afirma que este também pode ser usado como um dissipador de calor, mas na época, não elaborou sobre.

A Dell estava falando tão a sério, que apresentou o padrão do CAMM à JEDEC, de modo a estabelecer sua solução como o formato padrão de memória RAM para laptops, quando do lançamento do DDR6 e LPDDR6. O projeto foi submetido no formato de licenciamento RAND (Reasonable and Non-Discrimatory, ou Razoável e Não-Discriminatório), que permitem sua produção e comercialização por outros fabricantes, e forçam a Dell a contribuir ativamente com o desenvolvimento do padrão, em sintonia com outras empresas, tendo assim direito a uma comissão justa, na forma de royalties de valores não-abusivos.

Assim, o CAMM poderia ser estabelecido como um padrão da indústria, e a Dell levaria uma graninha, mas a fabricante estava tão comprometida, que submeteu o formato em caráter não-proprietário. Segundo Tom Schnell, engenheiro sênior da companhia e responsável pelo design do módulo, a intenção nunca foi ganhar dinheiro com o formato, e sim oferecer uma solução que ultrapassasse o teto de velocidade do SO-DIMM, que chegou ao limite, algo que a JEDEC já havia identificado.

Schnell diz que a Dell irá recuperar o investimento no CAMM com as vendas do módulo, e não com royalties, mesmo tendo que concorrer com inúmeras outras fabricantes.

 

Esquema de instalação de módulo CAMM (Crédito: Reprodução/Dell)

Esquema de instalação de módulo CAMM (Crédito: Reprodução/Dell)

Agora, o conselho da JEDEC decidiu, por unanimidade (o consórcio reúne 332 companhias, com pouco mais de 20 com direito a voto; entre os membros, destacam-se Intel, AMD, Nvidia, TSMC, ARM, Apple, Google, Microsoft, Foxconn, NEC, LG, Sony, Samsung, Texas Instruments, Micron, Meta e outras, além da Dell), aposentar o SO-DIMM em laptops a partir da próxima geração de memórias RAM, que deverá ser introduzida em 2024, em favor do CAMM. As especificações aprovadas estão na versão 0.5, mas segundo Schnell, a 1.0 deverá passar já no segundo semestre de 2023.

Do ponto de vista do usuário, nada muda. Cada transição de geração de memória RAM é acompanhada de um novo formato de pentes e conectores, no que a atual nunca é compatível com os slots anteriores, e vice-versa. A única mudança relevante será o formato e modo de instalação.

Por enquanto, a mudança afeta apenas laptops e não se aplica a desktops; assim, o padrão DIMM continuará no mercado por mais algum tempo. Do lado do consumidor, os primeiros laptops com RAM CAMM DDR6, de diversos fabricantes, assim como os módulos avulsos, devem chegar às lojas entre o segundo semestre de 2024 e o início de 2025.

Fonte: PC World

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários