Meio Bit » Games » A dura missão de resgatar o prestígio da BioWare

A dura missão de resgatar o prestígio da BioWare

Em carta aberta, gerente da BioWare fala sobre as dificuldades enfrentadas em 2021 e a tentativa de fazer o estúdio voltar a ser admirado pelos fãs

32 semanas atrás

Quando em junho de 2021 Gary McKay assumiu o cargo de gerente geral da BioWare, ele estava dando início a um dos maiores desafios da sua carreira. Comandar um grande estúdio nunca será fácil, mas no caso daquele que já foi visto como um dos principais quando se trata de RPGs, além do executivo ter que cuidar de todos os aspectos da empresa, ele ainda teria que restaurar uma imagem que anda bastante arranhada.

Mass Effect - BioWare

Crédito: Divulgação/BioWare

Fundada no Canadá em 1995 pelos médicos Ray Muzyka, Greg Zeschuk e Augustine Yip, com o passar dos anos a BioWare se especializou na criação de um dos gêneros de jogos mais adorados do planeta. Além disso, o estúdio mostrou ser capaz de produzir excelentes títulos baseados em franquias já estabelecidas, como Dungeons & Dragons e Star Wars.

Sempre focada na qualidade, conseguir a admiração de boa parte do público foi uma consequência natural, mas as estruturas daquela desenvolvedora começaram a tremer em 2007, quando tivemos o anúncio de que ela estava sendo adquirida pela Electronic Arts. Para muitos, aquele seria o início do fim e embora isso não tenha acontecido, há alguns anos a BioWare parece respirar por aparelhos.

Do conturbado desenvolvimento do Dragon Age 2 até o muito criticado desfecho dado para a trilogia Mass Effect, as pessoas não conseguiam deixar de ver a péssima influência da EA se espalhando pelos corredores da empresa. Parecia que a BioWare havia perdido o seu encanto, mas ainda haveria um título que ficaria marcado como o símbolo daquela decadência, o Anthem.

Após ter criado uma grande expectativa ao ser mostrado na E3 de 2017, o título surgiu como uma possível redenção da BioWare, uma nova franquia que nos colocava a bordo de armaduras voadoras e que contava com uma qualidade visual de cair o queixo. O resultado, no entanto, foi uma experiência insossa, repetitiva e que nem de longe lembrava o padrão de qualidade que havia elevado a empresa ao panteão das grandes desenvolvedoras de games. A situação foi tão feia, quem nem mesmo a tentativa de recriar o jogo foi levada adiante.

Com a saída de vários profissionais chave e diante de um estrago tão forte, restava à EA duas opções: dar à BioWare o mesmo destino de outros estúdios que eles compraram, que seria fechar as portas e realocar parte dos funcionários; ou seguir apostando numa retomada, algo que o CEO Andrew Wilson afirmou que seria o objetivo.

Crédito: Divulgação/BioWare

Se isso realmente acontecerá, ainda não sabemos, mas de acordo com uma publicação feita esta semana por Gary McKay, todos dentro da BioWare estão dedicados a recuperar o prestígio que a empresa já possuiu. Segundo ele, 2021 foi um ano muito difícil devido a COVID-19, o que fez com que o estúdio passasse por reformulações e oferecesse uma maior flexibilidade a seus funcionários.

Continuar trabalhando sob a pressão de uma pandemia mundial não foi fácil. Tivemos que adotar novas ferramentas, processos e maneiras de nos comunicar. Estamos todos equilibrando tempo pessoal e trabalho e cada pessoa tem lidado com sua própria situação única. O maior desafio continua sendo a incerteza de tudo isso, o que dificulta a vida de todos e torna mais difícil planejar o futuro.

Entre as mudanças está a não necessidade de novos funcionários terem que se mudar para as cidades de Austin, nos Estados Unidos, ou Edmonton, no Canadá. Além disso, enquanto parte dos profissionais já voltaram para os escritórios, outros ainda estão trabalhando remotamente. Mesmo assim, McKay elogiou seus comandados por eles terem conseguido lançar um dos títulos mais bem avaliados no ano passado, que foi o Mass Effect: Legendary Edition.

Agora, a próxima aposta da empresa recairá na expansão Legacy of the Sith, para o MMO Star Wars: The Old Republic e que tem previsão de lançamento para o dia 15 de fevereiro. Porém, o que a maior parte dos fãs estão aguardado são os novos capítulos das séries Dragon Age e Mass Effect. No caso do primeiro, Gary McKay afirmou que o título será focado numa experiência single-player, nos oferecendo escolhas que realmente importem para a história.

Já em relação a nova “ópera espacial”, o executivo sugeriu que as pessoas deem mais atenção à imagem abaixo. Divulgada no último N7 Day (7/11), ela teria ao menos cinco pistas escondidas, todas indicando o que podemos esperar para o futuro do universo Mass Effect.

Por fim, McKay garantiu que eles estão focados em recuperar a confiança dos fãs e que isso só será possível “entregando o tipo de jogos pelos quais eles ficaram conhecidos e garantindo que eles sejam da mais alta qualidade.” Segundo ele, a missão da BioWare é “criar mundos de aventura, conflitos e companheirismo que inspirem você a se tornar o herói da sua própria história.

Como grande admirador de muitos jogos criados sob o selo da BioWare, torço muito para que Gary McKay obtenha sucesso e consiga nos devolver um pouco do que esta empresa já foi. Porém, que isso não será nada fácil, não tenho a menor dúvida.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários