Home » Games » A decepcionante Libertadores do FIFA 20

A decepcionante Libertadores do FIFA 20

A Copa Libertadores e a Copa Sul-americana enfim chegaram ao FIFA 20, mas com tantas limitações que é difícil não ficar decepcionado com as adições

17 semanas atrás

No final de 2019 os jogadores de FIFA 20 foram surpreendidos com uma ótima notícia. A partir de março, o jogo de futebol receberia uma atualização que adicionaria a Copa Libertadores ao título e chegado o tão aguardado dia, uma palavra pode resumir o sentimento de muitos que não viam a hora de encarar a maior competição do continente: decepção.

Fifa 20

Disponibilizado gratuitamente para todos que possuem o jogo no PC, Xbox One e PlayStation 4, o DLC de fato trouxe muitas características do torneio, como uma interface que imita a vista nas transmissões pela TV, torcidas cantando algumas músicas dos seus respectivos times e até mesmo a adição de dois novos estádios: o Libertadores de América, do Independiente; e o El Cilindro, do Racing. Sim, nada do palco da final de 2020, o Maracanã.

Outra novidade muito bem vinda foi a inclusão de equipes que estavam presentes apenas no eFootball PES 2020, como o Flamengo, Palmeiras, São Paulo — você não, Corinthians —, Racing Club, Boca Juniors, River Plate e Vasco, sendo este disponível na Copa Sul-americana. Esses times estão representados com seus uniformes e escudos reais, o que poderia fazer com que fosse muito divertido assumir o comando de um deles, mas é aí que começam os problemas.

Como alguns já desconfiavam, a EA Sports não conseguiu garantir os diretos sobre o uso de imagem dos jogadores que atuam por aqui e assim os times brasileiros continuam apenas com atletas fictícios. Isso deu origem a figuras bizarras como um meio-campista do Palmeiras chamado Laranjo; um lateral esquerdo do Botafogo de nome Lafortiscinho; um zagueiro do Santos batizado como Vieirundinho; ou o ataque do último campeão da Libertadores, formado por Prazeracinho, Oswaldinato e Paiva.

Hoje tem gol do Oswaldinato!

Como por aqui as empresas precisam negociar os direitos de imagem com cada jogador, eu já temia que algo assim fosse acontecer e por isso nem posso dizer que foi uma grande surpresa constatar a ausência dos atletas. Eu poderia viver tranquilamente com o problema ao encarar o modo Carreira, já que com o tempo poderia ter uma equipe formada apenas por jogadores reais que contratasse, mas é aí que chegamos a aquela que talvez seja a principal bola fora do DLC.

Acontecesse que embora a EA tenha dito que poderíamos chegar a Libertadores ou a Sul-americana através do modo Carreira, isso só será possível com os times que já estavam presente no FIFA 20. Ou seja, quer escolher um dos times brasileiros que chegaram agora e encarar o campeonato nacional com eles? Infelizmente não será possível.

Algo parecido vale para o Boca Juniors ou o River Plate, que embora estejam fielmente retratados no modo Copa Libertadores, no Carreira continuam aparecendo como Buenos Aires e Nuñez, respectivamente. Para piorar, o jogo até nos dá a opção de substituir os clubes que disputarão um torneio nacional no Carreira, mas como essas recentes adições não aparecem em nenhuma liga — nem mesmo no Resto do Mundo — infelizmente não existe uma forma de selecioná-los.

Infelizmente a Electronic Arts não explicou o motivo para essa limitação, mas é provável que ela esteja relacionada a negociação feita com os clubes. Vale lembrar que diversas equipes tem fechado acordos de exclusividades com a Konami, mas de olho no dinheiro que a EA estava lhe oferecendo, a Conmebol encontrou uma maneira de contornar a situação e até chegou a pressionar os clubes para que ele aparecessem no FIFA 20. Tudo leva a crer então que a empresa americana só pode aproveitar tais equipes dentro dos modos que recriam os torneios sul-americanos.

Isso posto, só tenho a lamentar a maneira como a Libertadores e a Copa Sulamericana foram implementadas no FIFA 20. Foram meses aguardando essa atualização, crente que eu poderia encarar uma Carreira estando no comando do meu time de coração, para então descobrir que além de não poder fazer isso, vencer a principal competição das Américas só seria possível controlando um bando de atletas que nada tem a ver com aqueles que vemos nos campo reais.

Pode ser que isso mude na próxima versão do simulador de futebol da EA, mas como os clubes nacionais parecem mais interessados em contratos de exclusividade que só nos prejudicam e devido ao imbróglio envolvendo o licenciamento de imagem dos atletas que jogam por aqui, desconfio que o problema ainda se arrastará por algumas edições.

É uma pena, mas enquanto clubes, jogadores, as entidades que “cuidam” do nosso futebol e as desenvolvedoras não entrarem num acordo decente, para mim a única solução parece continuar brincando de manager lá pela Inglaterra, pela Espanha ou até mesmo na Argentina.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários