Home » Games » Por ambiente menos tóxico, padre lança servidor de Minecraft

Por ambiente menos tóxico, padre lança servidor de Minecraft

Visando oferecer um ambiente livre de pessoas tóxicas, um padre americano usou seu conhecimento em tecnologia para lançar um servidor de Minecraft.

02/12/2019 às 8:00

Eu sempre digo que uma das piores coisas que pode acontecer a um jogo online, é ter seus servidores invadidos por trapaceiros ou pessoas com comportamento tóxico. No segundo caso, o problema se torna ainda pior quando se trata de um título tão adorado por crianças como o Minecraft e pensando nisso um padre americano resolveu agir.

Minecraft

Conhecido como Jesuíta Digital ou PadreSJ, Robert Ballecer sempre foi um apaixonado por tecnologia. Tendo estudado engenharia da computação na Santa Clara University e usado seu conhecimento para ajudar outros clérigos a se conectarem digitalmente com outras pessoas, durante muitos anos ele foi o apresentador de diversos programas no TWiT.tv, se tornando uma espécie de celebridade mesmo para quem não é muito ligado a religião.

Após perceber como os jogos online podem servir como ambientes para que alguns destilem todo o seu ódio contra as pessoas, Ballecer usou sua conta no Twitter para perguntar qual jogo os seguidores gostariam de ver num servidor controlado por ele: Team Fortress 2, ARK Survival Evolved, Rust ou o Minecraft.

O vencedor foi o jogo criado por Markus “Notch” Persson, com 64% dos votos e assim nasceu o Minecraft.digitaljesuit.com, um espaço onde o padre espera que as pessoas possam expressar toda a sua criatividade sem precisarem se preocupar com ataques de estranhos.

De acordo com Ballecer, “não se trata da tecnologia, não é nem mesmo sobre jogar,” mas “sobre reunir pessoas que talvez levem seus relacionamentos para o mundo real” e quem já conheceu pessoalmente alguém que antes só mantinha contato pela internet, sabe que os games podem ser uma ótima ferramenta para fazer novas amizades.

Mas não pense que a missão do padre será fácil. Pelo Twitter mesmo ele já admitiu que os ataques ao seu servidor começaram e ao conversar com o canal Rome Reports, o Jesuíta Digital contou sobre a dificuldade inicial que algumas pessoas tem em aceitar um padre falando sobre tecnologia.

Num primeiro momento, havia muitas pessoas que estavam bastante hesitantes, porque você vê esse cara com um colar [branco] falando sobre as últimas ofertas do Google ou como passar fibras óticas pelo Atlântico. E eles não entendiam, eles diziam, ‘espere um minuto, essas duas coisas não andam juntas.’ Mas após um tempo eles perceberam, ‘ok, ele sabe do que está falando, ele é apenas um padre.’ E, finalmente, esse era o ministério que eu estava tentando fazer.

Quanto ao servidor de Minecraft criado pelo padre Robert, ele está funcionado como em período de testes e não existe uma previsão para que o Vaticano o reconheça como oficial, se é que um dia isso acontecerá. Eu até tenho minhas dúvidas em relação a como ele fará para manter o ambiente limpo do comportamento tóxico e por isso acredito que se os pais querem tem um maior controle sobre com quem seus filhos estão jogando, o ideal seria que as partidas online acontecessem apenas com amigos — o que definitivamente não é garantia de muita coisa, eu sei.

Fonte: VG247.

relacionados


Comentários