Home » Entretenimento » Os 11 piores remakes de filmes já feitos

Os 11 piores remakes de filmes já feitos

25/10/2019 às 18:07

Remakes de filmes não são necessariamente ruins, algumas histórias precisam ser atualizadas para que as novas gerações as apreciem, filmes como Além da Eternidade e Endiabrado são remakes e são ótimos, mas por outro lado alguns remakes e reboots são puro lixo. E como a gente adora chafurdar...

1 - Karatê Kid (2010)

O filme original faz parte da memória afetiva de toda uma geração, Pat Morita ensinou muito sobre humildade, paciência e como explorar mão de obra infantil. O Mestre Miyagi era o zelador que todo mundo gostaria de ter. Aí chega Hollywood e resolve fazer um remake, mas hey, aonde está o dinheiro? Na China. Quem é o grande nome das artes marciais? Jackie Chan? Beleza, mas ele luta Kung Fu, não Karatê, que é uma arte marcial japonesa. Ah, é tudo a mesma porcaria ninguém vai notar a diferença. E vamos enfiar o filho do Will Smith pra agradar o cara.

2 - Amanhecer Violento (2012)

Anos 80, guerra fria, Red Dawn, um filme que trabalha na paranóia de uma invasão russa, que por motivos complexos é bem-sucedida, e acompanhamos um grupo de jovens que formam uma força de resistência contra os invasores. WOLVERINES!!!! Um clássico até hoje. Ei, já que estamos fazendo remakes de filmes, que tal esse? Ah, mas russos não estão na moda. Vamos usar... a China. É, uma invasão chinesa!

Aí depois do filme pronto alguém se lembra que a China é um excelente mercado e que o filme seria banido, e ainda poderia rolar consequências pro estúdio. A saída? Como japa é tudo igual (vide ítem acima) mude com CGI as bandeiras e insígnias chinesas para... Coréia do Norte. Sim, é mais fácil uma invasão MARCIANA acontecer do que a Coréia do Norte ter condições de organizar uma operação em grande escala invadindo os EUA mas...

3 - Desejo de Matar (2018)

O ano é 1974, a criminalidade nas grandes cidades americanas está no auge, um filme mostra um cidadão de bem™ que tem sua vida destruída pela bandidagem reagindo e se tornando um vigilante. Paul Kersey barbariza, no primeiro filme mata 11, no segundo 16, no terceiro manda 75 vagabundos pra vala, yay. Pura catarse, o público adora, Desejo de Matar faz o maior sucesso, mesmo quando matam o Risadinha.

2018. Vamos fazer um remake, mas em 2018 um remake de filme não pode ofender minorias, não pode promover vigilantismo, o protagonista tem que apanhar pra não parecer invencível. Resultado: Um filme onde Bruce Willis mata 4 ou 5 sujeitos, a maioria em legítima defesa, todos diretamente relacionados com a morte de sua esposa. Tiraram todo o tempero do filme, virou um filme de tiroteio genérico.

4 - A Feiticeira (2005)

Ah Samantha, a Feiticeira que era a esposa perfeita, oito temporadas, de 1964 a 1972, e até hoje não sei como ela fazia aquele balançar de nariz. Uma sitcom bela, recatada e do lar, com os melhores efeitos especiais que o dinheiro atrás das almofadas do sofá podia comprar. Remakes de filmes podem ser loteria, mas esse é sucesso garantido, seria impossível estragar esse remake, certo?

Will Ferrell é um ator decadente que tem a oportunidade de participar de um... remake d´A Feiticeira, mas precisa de uma protagonista. Ele encontra Nicole Kidman e a convence a aceitar o papel, mas HEY, falta história. Que tal se a personagem da Nicole fosse uma bruxa... DE VERDADE?

5 - A Múmia (2017)

O filme de 1999 com Brenda Fraser é delicioso, a dose certa de humor, aventura e sustinhos. Nem de longe é o primeiro filme de Múmia, temos uma longa dinastia que vem desde o primeiro A Múmia de 1932 com Boris Karloff. Então, é hora de mais um, certo?

Melhor ainda, está na moda universos conectados, então vamos enfiar Jekill e Hyde nesse filme, junto com o Tom Cruise. Vamos criar uma história SÉRIA sobre uma múmia egípcia revivida por uma maldição, afinal é isso que millenials adoram, histórias místicas sem nenhuma explicação racional. Ah sim, não esqueça da diversidade, transformem a múmia em mulher, e não esqueça de fazer ela gostosona, não tem como dar errado:

6 - Conan, O Bárbaro (2011)

Que tal pegar um clássico do cinema bárbaro, que funciona por causa dos efeitos práticos, do orçamento apertado, do roteiro enxuto de Oliver Stone (ele mesmo) e da interpretação estóica de Arnold Schwarzenegger, e fazer um remake com um ator inexperiente que fazia um bárbaro genérico em Stargate Atlantis, enfiar uma cópia do roteiro original e muita, muita CGI de 3a categoria?

Eu te desafio a chegar ao fim do trailer sem perder o interesse.

7 - Psicose (1998)

O original de Hitchcock é perfeito, impecável, não há o que mexer. Talvez por isso Gus Van Sant tenha escolhido refilmar a história cena a cena. É um trabalho exaustivo de reconstituição, eu reconheço, mas no final NADA de novo foi acrescentado, e as partes que tornam o filme datado não funcionam nem são aceitas em 1998.

O remake de Psicose é um exercício de técnica sem nenhum mérito artístico, basicamente atualizaram o layout mas mantiveram o conteúdo. É um filme absolutamente desnecessário. E se você acha que estou exagerando na idéia de que refizeram cena a cena, veja isto...

8 - Total Recall (2012)

Um clássico de 1990, Arnold, Marte, mutantes, Sharon Stone, damas que trocam favores por dinheiro com três peitos, pirâmides alienígenas, táxis-robôs. A receita pro remake bem-sucedido está pront-ok ok tirem TUDO ISSO, coloquem o Colin Farrell  como protagonista e façam a história se passar toda na Terra, com certeza todo mundo que assistiu o primeiro vai adorar rever a história sem essas partes extras.

9 - Carrie, a Estranha (2013)

O filme de Brian de Palma baseado na obra de Stephen King é um clássico do terror, e como todo clássico, não há muito no que mexer. Já viu pra onde estamos indo, né? O remake de 2013 não acrescenta nada, a história é atualizada mas nem a estrutura nem as premissas, nada muda.

Chloe Moretz é bonita demais pra ser desajustada e perseguida no colégio, e a direção de Kimberly Peirce segue todos os caminhos seguros, garantindo que você vai terminar de ver o filme com a sensação de "eu já vi esse filme".

10 - Evil Dead (2013)

Evil Dead, de 1981 é um clássico do terrir, feito com orçamento de conserto de geladeira e a inventividade de Sam Raimi, é imitado até hoje em produções muito mais caras; Bruce Campbell é um canastrão adorável, e ensinou a todo mundo a lição: Nunca leia em voz alta textos de livros encapados com pele humana.

O desnecessário remake de 2013 é um filme de terror sério, o que o torna completamente genérico e sem-graça. Ao menos Bruce e Sam nos deram a deliciosa série Ash vs Evil Dead.

11 - A Hora do Pesadelo (2010)

Freddie Kruger funcionava por um motivo simples: A gente assistia para ver como ele iria matar os jovens, ninguém se importava com as vítimas. Freddie era um assassino sobrenatural bem-humorado, criativo e auxiliado por efeitos práticos. Seu lado assassino de verdade meio que foi jogado pra debaixo do tapete.

No remake de 2010 Freddie é assassino e molestador de criancinhas,  isso é repetido o tempo todo e acaba tirando a graça do personagem, e por mais que Jackie Earle Haley seja bom, ele não chega aos pés do Robert Englund, que inexplicavelmente não foi chamado para ser o Freddie de novo.

Menção Honrosa:

Como você deve ter reparado na imagem de abertura, Ghostbusters, a aberração de 2012 que é meio remake, meio reboot e conseguiu alienar tanto os fãs do filme original quanto o público novo, conseguindo o feito de marcar todos os pontos negativos possíveis de um remake de uma franquia com público fiel, mas o pessoal do Honest Trailers explicou melhor do que eu poderia:

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários