Home » Games » 10 jogos Beat 'em up que você precisa conhecer

10 jogos Beat 'em up que você precisa conhecer

Sendo um dos gêneros mais adorados de todos os tempos, os Beat 'Em Up marcaram época e hoje estão mais acessíveis do que nunca

30/08/2019 às 13:00

Meados da década de 80, época em que os filmes de luta surgiam em profusão no cinema e os fliperamas eram as máquinas mais avançadas para jogos eletrônicos. Essa junção de fatores fez nascer o Beat 'em up (também conhecido como brawler ou "briga de rua"), um dos gêneros mais populares daquele período e que por muitos anos fez a nossa alegria com títulos fantásticos.

Final Fight - beat em up

Tendo como sua principal característica o fato de termos que encarar um grande número de inimigos conforme avançamos pelas fases, boa parte dos jogos conhecidos como Beat 'em up ainda nos colocavam em ambientes urbanos, numa proximidade com a realidade que provavelmente contribuiu para a sua popularização.

Embora o pai do gênero seja considerado o jogo Kung-Fu Master, que a Irem lançou nos arcades japoneses em 1984, a paixão pelos Beat 'em up realmente explodiu com o lançamento do Double Dragon e o motivo para isso foi ele nos permitir encarar a aventura ao lado de um amigo. O fator cooperativo por sinal faz com que os jogos dessa categoria sejam lembrados com muito carinho mesmo mais de 30 anos após eles terem surgido.

E para te ajudar a conhecer um pouco mais desse estilo tão marcante e que poderá te render várias horas de diversão, elaboramos uma lista com alguns dos Beat 'em up mais importantes de todos os tempos. São títulos que precisam estar no currículo de qualquer pessoa que goste de videogames e que mesmo com suas jogabilidades um tanto simples e (para alguns) repetitivas, serviram para fundar os alicerces de muitos jogos de ação que temos hoje em dia.

Como me limitei a citar apenas 10 jogos, enxugar essa lista foi um desafio e tanto, o que me fez ter que deixar de fora vários jogos espetaculares, como o The King of Dragons, Comix Zone, The Simpsons Arcade Game, Splatterhouse, Dragon's Crown, Golden Axe e tantos outros. Mas vamos à ela:

Streets of Rage 2

Apesar da série não ter sido o primeiro contato que tive com um Beat 'em up, poucas são aquelas com que tenho uma ligação sentimental tão forte quanto a Streets of Rage. Com uma das trilhas sonoras mais marcantes da indústria (obrigado Yuzo Koshiro!), vez ou outra me pego cantarolando o tema de abertura do primeiro jogo, algo que imediatamente me remete a belas lembranças.

Melhorando tudo o que havia no seu antecessor, o Streets of Rage 2 não é apenas o melhor capítulo da franquia, mas um dos melhores do gênero e um jogo que mostrou a todos que o Mega Drive poderia competir com o Super Nintendo e até mesmo com os fliperamas.

Hoje o mundo volta a atenção para a chegada do promissor e tão aguardado Streets of Rage 4 e se você não aguenta mais esperar, uma boa dica é dar uma chance ao Streets of Rage Remake. Feito por fãs, esse jogo traz vários dos principais elementos que serviram para fazer com que a série conquistasse tantos admiradores.

Plataformas disponíveis: Windows, Mac OS, Linux, Arcade, Mega Drive, Game Gear, Master System, 3DS, Xbox One, Xbox 360, PlayStation 3 e PlayStation 4.

Final Fight

Eu não acho que seria exagero apontar o Final Fight como uma das maiores lendas da história dos videogames. Foi esse o jogo responsável por apresentar os Beat 'em up à muita gente (meu caso) e nunca esquecerei a primeira vez que o vi rodando em uma máquina numa lanchonete.

Tentar limpar as ruas de Metro City da temida Mad Gear Gang era uma tarefa para poucos e confesso que só fui consegui concluir a missão alguns anos depois, quando peguei uma versão do jogo para o SEGA CD. Destaque também para os bons Final Fight 2 e o Final Fight 3, mas que infelizmente ainda permanecem exclusivos do Super Nintendo.

Plataformas disponíveis: Arcade, SEGA CD, Super NES, Xbox 360, Xbox One, PSP, PlayStation 4 e outros.

Alien vs. Predator

Sendo responsável por realizar o sonho de todos que adoravam os filmes Alien e Predador, o jogo nos permitia escolher entre quatro personagens — sendo dois ciborgues e dois predadores — e o objetivo era simples: aniquilar todos os xeromorfos que  aparecessem pelo caminho.

Contando com gráficos belíssimos, personagens que ocupavam boa parte da tela e uma jogabilidade ágil, variada e que oferecia diversos golpes e movimentos, o jogo tinha tudo para se tornar um clássico e de fato conseguiu atingir esse status. Alien vs. Predator é um jogo que merecia ser remasterizado, mas que infelizmente não apareceu nem no Capcom Beat 'Em Up Bundle.

Plataformas disponíveis: Arcade.

Cadillacs and Dinosaurs

Lançado em 1993 e tendo sido baseado nos quadrinhos Xenozoic Tales, Cadillacs and Dinosaurs foi mais um jogo que ajudou a firmar a Capcom como a melhor criadora de Beat 'Em Up. Com gráficos muito bonitos e uma jogabilidade que nos permitia usar armas de fogo e sair na porrada com dinossauros, não é surpresa o jogo permanecer adorado ainda hoje.

A minha única decepção com o Cadillacs and Dinosaurs foi quando, depois muito tempo torrando uma bela grana nos fliperamas, ter voltado para casa todo feliz por ter alugando a versão criada para o SEGA CD. Com o subtítulo The Second Cataclysm, aquele jogo não tinha nada a ver com o que conquistou tantas pessoas nos arcades, sendo na verdade um rail shooter.

Plataformas disponíveis: Arcade.

The Punisher

Pegue um personagem durão que está sempre cercado pela violência, deixo-o na mão de uma empresa que dominava o gênero e permita que seja criado um jogo em um dos gêneros mais adorados da época (e que também girava em torno da violência). Pronto, você tem a receita para um sucesso e foi o que aconteceu com o fliperama The Punisher.

O jogo servia para contar a busca de Frank Castle por vingança e ao lado de Nick Fury ele teria que percorrer as ruas de Nova York até um confronto contra o Reio do Crime. O jogo ainda ganhou uma versão para o Mega Drive e embora esta seja inferior em todos os aspectos em relação a o que tínhamos nos fliperamas, ainda conseguia ser bem divertida.

Plataformas disponíveis: Arcade, Mega Drive.

Guardian Heroes

Podendo ser considerado o jogo mais complexo dessa lista, o pessoal da Treasure costumava se referir ao Guardian Heroes como um “fighting RPG” e a explicação para isso está na sua mecânica. Além de nos permitir evoluir os personagens, ele ainda nos colocava para escolher quais caminhos seguir conforme avançávamos pela aventura, recursos pouco comuns nos Beat 'Em Up.

Algo que fez com que o jogo não fosse muito conhecido foi o fato dele ter sido lançado apenas para o SEGA Saturn, mas felizmente isso foi contornado em 2011, quando uma versão remasterizada chegou de maneira digital ao Xbox 360. Como ele também funciona no Xbox One, se você tiver um desses consoles recomendo fortemente a aquisição desta obra de arte do gênero, ainda mais por ele ser vendido por míseros R$ 10.

Plataformas disponíveis: SEGA Saturn, Xbox 360 (retrocompatível com o Xbox One).

Captain Commando

Situado na mesma Metro City do Final Fight, mas no ano de 2026, Captain Commando se diferenciava dos outros títulos do gênero principalmente pela sua ambientação futurista e personagens um tanto bizarros. Basta dizer que só entre aqueles que podemos controlar temos um ninja, um alien parecido com uma múmia e um bebê a bordo de um mech e você já percebe que a criatividade da equipe responsável pelo jogo estava a mil.

Já o outro membro do grupo era o próprio Captain Commando, um personagem criado pela Capcom para divulgar a marca da empresa, com ele tendo aparecido no manual de diversos títulos para o Nintendinho, até que finalmente pudesse estrelar um jogo em 1991. O game ainda recebeu uma versão para Super Nintendo, que mesmo sendo inferior a o que tínhamos nos arcades foi motivo de orgulho para muitos donos do console.

Plataformas disponíveis: Arcade, Super NES, PlayStation, PlayStation 2, PlayStation 4, PSP, Xbox One e outros.

Dungeons & Dragons: Shadow Over Mystara

Sendo um dos primeiros Beat 'Em Up a adotarem elementos de RPG na sua mecânica, o jogo chamava a atenção das pessoas por permitir que, mesmo num fliperama, pudéssemos achar e equipar itens, além de ver os nossos personagens evoluir. Some a isso a possibilidade de dispararmos magias e de alcançarmos diferentes finais, e tínhamos ali algo muito diferente do que estávamos acostumados a ver em jogos assim.

Sendo a penúltima experiência da Capcom com títulos do gênero (o último foi o Battle Circuit), Shadow Over Mystara conseguiu fazer jus ao nome que carregava, conseguindo superar o Dungeons & Dragons: Tower of Doom e oferecendo aos jogadores uma experiência muito acima da média. Trata-se de um título para ser jogado muitas vezes, já que só assim poderemos conhecer tudo o que ele tem a oferecer.

Plataformas disponíveis: Arcade, Windows, Xbox 360 e PlayStation 3.

X-Men: The Arcade Game

De todos os jogos que citei aqui, este é o que considero com a pior jogabilidade, mas ainda assim, como não ter amado aquela máquina da Konami que nos colocava para comandar os mutantes da Marvel? Baseado no desenho X-Men: Pryde of the X-Men, o jogo nos permitia escolher entre seis personagens — Wolverine, Tempestade, Ciclope, Noturno, Cristal ou Colossus — cujo objetivo era parar os planos de Magneto.

Embora não fosse comum por aqui, existia uma versão do jogo que permitia que até seis pessoas jogassem ao mesmo tempo e por mais que desta forma o jogo se tornasse um tanto caótico, era uma experiência pela qual todos os apaixonados por Beat 'Em Up deveriam passar.

Plataformas disponíveis: Arcade, Xbox 360, PlayStation 3, iOS e Android.

Teenage Mutant Ninja Turtles: Turtles In Time

Sendo talvez a melhor contribuição da Konami para o gênero, esse jogo das Tartaruga Ninjas conseguiu conquistar até aqueles que não eram fãs do desenho na época. Turtles In Time tinha gráficos de ponta, uma jogabilidade refinada e dependendo da máquina, permitia que até quatro pessoas jogassem ao mesmo tempo.

Este foi mais um jogo que recebeu uma versão menos detalhada nos consoles, no caso o Super Nintendo, mas nem por isso ela deixava de divertir e acho que nunca saberei dizer quantas tardes passei com meus amigos diante da TV enquanto usávamos uma das tartarugas para acabar com a raça do Destruidor e sua turma.

Anos depois o Xbox 360 e o PlayStation 3 receberam o remake Teenage Mutant Ninja Turtles: Turtles in Time Re-Shelled e por mais que o jogo se esforçasse, não conseguiu repetir o brilho do original.

Plataformas disponíveis: Arcade e Super Nintendo.

relacionados


Comentários