Home » Indústria » iPhone respondeu por menos da metade das receitas da Apple

iPhone respondeu por menos da metade das receitas da Apple

Cada vez mais independente da receita do iPhone, no meio dos poucos números revelados a Apple teve receita menor entre abril e junho.

30/07/2019 às 22:45

A fabricante e designer do iPhone acaba de apresentar o relatório financeiro do terceiro trimestre fiscal de 2019 (Q3 FY 2019), período que correspondeu ao segundo trimestre civil deste ano, abrangendo os meses de abril a junho.

Vamos aos números:

Laguna-Apple-Q3-FY-2019-earnings

A vida financeira da Apple ainda é um mar de rosas (crédito: The Verge)

RELATÓRIO FINANCEIRO DA APPLE
Período →Q3 FY 2018
(abril a junho de 2018)
Q3 FY 2019
(abril a junho de 2019)
Diferença
ReceitaUS$ 53,265 bilhõesUS$ 53,809 bilhões+ 1,02%
LucroUS$ 11,519 bilhõesUS$ 10,044 bilhões– 12,8%

Este não é o primeiro trimestre de baixa no lucro da Apple, mas quem mandou ela comprar a divisão de modems da Intel?

Tá, o negócio só foi confirmado semana passada, então não conta. O que foi então que aconteceu?

Vamos ao sumário de receitas da Apple por setor:

SUMÁRIO DE RECEITAS DA APPLE
Período →Receita
Q3 FY 2018
Receita
Q3 FY 2019
diferença
em relação a
Q3 FY 2018
iPhoneUS$ 29,47 bilhõesUS$ 25,99 bilhões– 11,82%
iPadUS$ 4,63 bilhõesUS$ 5,02 bilhões+ 8,4%
MacUS$ 5,26 bilhõesUS$ 5,82 bilhões+ 10,69%
ServiçosUS$ 10,17 bilhõesUS$ 11,46 bilhões+ 12,64%
Outros produtosUS$ 3,73 bilhõesUS$ 5,53 bilhões+ 48%
TOTAL:US$ 53,27 bilhõesUS$ 53,81 bilhões+ 1,02%

Embora em relação ao mesmo período do ano anterior a receita tenha tido uma pequena alta, sua distribuição mudou. E muito: a queda absoluta na receita vinda dos iPhones fez com que, pela primeira vez em sete anos, o smartphone da Apple não respondesse por mais da metade da receita trimestral da empresa.

Lembrando que os recentes iPhones XS e XR consolidaram a elevação do patamar de preços dos smartphones da Apple, e vários concorrentes aproveitaram para aumentar os valores também. Vou tentar manter o meu velho iPhone 6S por mais tempo… pois 4 mil reais hoje não são o que eram em 2015.

Com isso tudo, os smartphones corresponderam por apenas 48,29% da receita da Apple no Q3 FY 2019. Pelo lado bom, as assinaturas dos serviços como Apple Music e outros produtos (como os fones de ouvido descartáveis AirPods) puxaram a receita geral para cima e compensaram o menor faturamento com os iPhones.

Otimista, o CEO Tim Cook disse que se as divisões de serviços, vestíveis e acessórios da Apple fossem integradas em uma empresa à parte, esta estaria entre as 50 mais valiosas do planeta na lista da Fortune. E provavelmente a Maçã de Cupertino atingirá valor de mercado de US$ 1 trilhão ainda esta semana. Aguarde e confie.

Enfim, Macs e iPads conseguiram belas altas em relação ao Q3 FY 2018, mas como a Apple não divulga mais os números de vendas, é difícil precisar se os aparelhos estão mais caros ou o povo substitui seus tablets e notebooks antes das férias de verão. Esconder o jogo realmente vale a pena.

Fontes: 9 to 5 Mac e Tech Crunch.

relacionados


Comentários