Home » Ciência » Volvo está testando aqueles caminhões que a gente viu em Logan

Volvo está testando aqueles caminhões que a gente viu em Logan

21 semanas atrás

Depois de Wolverine Imortal eu fiquei compreensivelmente com uns três pés atrás para ver Logan, o que de certa forma tornou a experiência melhor ainda. Logan é magnífico, um final que nenhum outro personagem de quadrinhos teve, um filme que transcende o gibi ao mesmo tempo em que honra as grandes histórias. Logan é drama, emoção, aventura, é intimista e grandioso, e é... ficção científica.

A história se passa em um futuro próximo, nem utópico, nem distópico, mas um futuro plausível, baseado em extrapolações do que temos hoje e uma das partes que chama a atenção são os caminhões autônomos.

No filme eles aparecem com uma estética agradavelmente surrada, uma técnica usada pelo Guerra nas Estrelas original para tornar objetos mais "reais" ao invés da aparência imaculada até então norma no cinema de ficção científica.

Eles são basicamente plataformas para contêineres que se deslocam pelas rodovias. Eu tenho minhas dúvidas quanto à aerodinâmica, faz mais sentido uma frente que não seja uma parede reta, do contrário os caminhões teriam o mesmo cx de um Lada, mas no caso da Volvo isso não é tão importante.

O Caso da Volvo

À primeira vista parece que um desafortunado com um supercarro deu ré sem olhar pra trás e se entasbacou em uma carreta, mas é isso mesmo. É o Projeto VERA. A Volvo desenvolveu uma carreta autônoma, sem provisão para motorista, com propulsão elétrica e monitoramento remoto.

Claro, de ré parece um Batmóvel:

A ideia de um caminhão 100% autônomo é por demais atraente. Sem precisar parar para nada exceto abastecer, os ganhos de tempo seriam imensos, por mais que toda uma indústria ancilária acabe prejudicada, causando problemas para restaurantes, vendinhas e damas que trocam favores por dinheiro.

Na prática a Volvo sabe que isso não vai acontecer tão cedo, então está preparando o VERA para uma função mais simples, mas igualmente útil: interligar centros de logística a portos.

No caso eles firmaram uma parceria com a DFDS (Det Forenede Dampskibs-Selskab) uma empresa de logística da Dinamarca. Será criado um projeto-piloto interligando o Centro de Logística da empresa em Gotemburgo ao terminal de contêineres no porto.

Vários caminhões farão a rota, monitorados por um operador em uma torre de controle. A maior parte do trajeto será feita em estradas particulares e os caminhões não excederão a velocidade máxima de 40 km/h.

Por enquanto o Hugh Jackman não tem com que se preocupar, nem os caminhoneiros brasileiros, já que esse sistema jamais funcionará com nossas estradas e nosso trânsito, mas na civilização? É só questão de tempo, e quem não quiser ficar desempregado, abre-se uma excelente oportunidade, mais caminhões autônomos significam mais mecânicos, mais pessoal de logística para carga e descarga, mais gente vendendo e comprando produtos...

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários