Compra da Fox é boa para a Disney e ruim para todos os outros

mickey-fox

Agora que a empolgação inicial da compra da 21st Century Fox pela Disney está passando, analistas estão avaliando o impacto que uma fusão de tal porte causará no mercado de entretenimento e sem muita surpresa, as perspectivas iniciais não são boas.

Num primeiro momento todos concordam qua a Disney está concentrando poder demais em suas mãos: enquanto alguns comemoram o retorno do controle criativo das franquias X-Men e Quarteto Fantástico para as mãos da Marvel Studios, é preocupante saber que algumas das franquias mais lucrativas do cinema e TV (Simpsons, Planeta dos Macacos, Kingsman, Alien, Avatar, Family Guy, etc.) tenham se somado ao já imenso portfólio da The Walt Disney Company, o que lhe permite tomar decisões estratégicas controversas.

Num caso recente e bastante polêmico, a Disney baniu o jornal Los Angeles Times de suas cabines de imprensa por conta de um artigo que a companhia não gostou, e ele só caiu depois de uma série de veículos criticarem a atitude. Com mais propriedades nas mãos, a casa do camundongo ficará ainda mais poderosa e casos como esse poderão se tornar mais comuns, afinal quem vai encarar um leviatã de frente?


1997stathis — UNLIMITED POWER YIHA STAR WARS

É preciso lembrar que agora a Disney detém 60% do Hulu e com isso, controle sobre a plataforma de streaming que muito provavelmente será posicionada como uma final direta da Netflix, sem contar o outro serviço que terá acesso a suas produções exclusivas.

A gigante poderia muito bem manter um apenas nos EUA e fazer do outro um serviço global, privando qualquer outra plataforma de exibir conteúdos da Disney, Pixar, Marvel, Lucasfilm e agora, também da Fox. A concentração de poder prejudica o mercado e tira do consumidor a possibilidade de escolher por um melhor serviço para assistir o que quer.

Isso sem contar a iminente dança das cadeiras e demissões que ocorrerão de forma inevitável. No último dia 14, data em que a Disney e Fox anunciaram a conclusão do negócio o presidente da companhia e CEO da Fox Networks Group Peter Rice, os co-diretores da Fox TV Gary Newman e Dana Walden e o CEO da FX Networks John Landgraf vieram a público em uma reunião interna de modo a tranquilizar os funcionários, mas a verdade é que nem mesmo os seus cargos estão garantidos.

Segundo o analista e crítico da Disney Rich Greenfield, cortes de cargos redundantes serão feitos de cima para baixo e totalizarão uma economia de US$ 2 bilhões, com uma dispensa de 5 mil funcionários dos mais diversos setores que pedem escalar a até 10 mil, incluindo aí altos executivos.

Walden e Newman, por exemplo comandam tanto a Fox TV, comprada no pacote quanto a Fox Broadcasting, que permanece sob controle dos Murdoch e provavelmente não serão expatriados, com grandes chances do subgrupo ser absorvido pela ABC; já Landgraf é uma incógnita: ele é um produtor com um Emmy na prateleira é seria interessante a Disney mantê-lo, mas séries como Sons of Anarchy e American Horror Story não são produtos exatamente alinhados com seus valores.

Enquanto muitos funcionários e executivos eventualmente serão dispensados, quem pede garantir um pezinho na Disney é justamente o CEO da 21st Century Fox James Murdoch; fontes próximas indicam que ele tem interesse em conseguir um cargo de confiança na gigante utilizando seu conhecimento à frente da SKY, o que poderia lhe render uma ocupação importante no mercado internacional.

A incógnita é se ele seria colocado abaixo de Andy Bird, o atual líder para o mercado exterior da Disney ou não; já a “nova Fox”, que reúne as emissoras como Fox News, Fox Business e outros empreendimentos seria controlada por Rupert e Lachlan Murdoch.

Há de se levar em conta que a aquisição da Fox ainda depende da aprovação do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que embora ande empacando a compra da Time Warner pela AT&T as chances favorecem a Disney: esta não é uma operadora e logo não detém infraestrutura para ela sozinha controlar os meios de distribuição de seu conteúdo, dependendo de acordos com outros.

Ainda assim, condições anteriormente impostas à Comcast quando da aquisição da NBCUniversal começarão a expirar em breve e dada a situação atual da FCC, que é pró-companhias pode ser que o negócio seja mesmo fechado, o que não será bom nem para a concorrência e nem para o consumidor. Só para a Disney mesmo.

Fontes: Daily BeastThe Hollywood Reporter.

Relacionados: , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples