Home » Games » Microsoft » Phil Spencer diz não gostar de conteúdo exclusivo nos consoles

Phil Spencer diz não gostar de conteúdo exclusivo nos consoles

Chefe da divisão Xbox diz não gostar de pagar para ter conteúdo exclusivo no console e admite a ironia das suas palavras.

3 anos atrás

cuphead

Por mais que eu não goste muito desta estratégia, sempre acharei que os exclusivos são o que definem uma plataforma. Ter acesso a certos jogos apenas naquela plataforma é — ao menos para mim — o que realmente diferencia um Switch de um Xbox One ou um PlayStation 4 de um PC.

A Microsoft por sua vez parece pensar um pouco diferente, com os jogos que seriam exclusivos para o seu console hoje aparecendo também nos computadores e embora relatos garantam que a empresa estaria oferecendo uma boa grana para a Bluehole manter o PlayerUnknown's Battlegrounds apenas no Xbox One por mais tempo, há pessoas importantes na empresa que não gostam muito disso.

Quem falou sobre o tema foi Phil Spencer, que durante sua passagem na Brasil Game Show criticou especificamente os conteúdos por download exclusivos.

As pessoas sempre me perguntam sobre isso; Já disse publicamente… Eu não gosto da ideia ou da prática de pagarmos para que outras plataformas não possam jogar ou usar uma certa arma em um jogo, ou fazer isso em um certo nível.

 

Sei que digo isso e, com a história do Xbox — os DLCs com janela de exclusividade para o Call of Duty — entendo que os dedos sejam apontados diretamente para o Xbox. Eu só posso ser quem sou. Não é a melhor resposta de relações públicas, mas não gosto disso.

Ultimamente tenho tentado tomar um pouco de cuidado com as entrevistas de Phil Spencer, pois não sei até onde ele está sendo sincero e até onde suas declarações são feitas apenas para agradar o público, uma forma de “jogar para a torcida”. Isso posto, é difícil não olhar para tais palavras e não desejar que mais pessoas na indústria pensem da mesma forma. No entanto, será que ele agiria da mesma maneira se estivesse liderando a geração?

De qualquer forma, Phil Spencer sempre me pareceu um executivo que gosta de videogames, alguém que pelo menos diante de um microfone está sempre olhando para os assuntos pelo ponto de vista do consumidor e por isso não consigo deixar de admirá-lo.

Enfim, admito que quando se trata de exclusivos eu costumo ter sentimentos conflitantes. O problema é que embora eu também odeie não poder jogar um título ou parte dele apenas por não possuir a plataforma em que ele está disponível, compreendo a adoção desta estratégia pois é justamente a exclusividade que me faz comprar um console.

Fonte: Gamespot.

relacionados


Comentários