No Man’s Sky, ou o gigantesco universo sem ninguém

no-mans-sky-001

Não vou dizer que No Man’s Sky não impressiona, pois seria mentira. O ambicioso projeto da Hello Games é bonito e tudo mais, um título produzido proceduralmente usando a boa e velha matemágica e que rapidamente se tornou um fenômeno, o maior lançamento do Steam e candidato a um dos melhores títulos do ano de 2016.

Só que sejamos sinceros, a Hello Games mordeu mais do que podia mastigar. Uma série de problemas e promessas não cumpridas causaram um backlash violento, com muita gente pedindo reembolso do game tanto no Steam quanto na PSN. Lojas aceitaram cópias físicas de volta. Caos completo.

A Hello Games permanece lançando patches de atualização para corrigir os bugs e promete que o desenvolvimento de No Man’s Sky não parou. Só que a desenvolvedora anda bem menos ativa nas redes sociais: Sean Murray, fundador do estúdio indie está calado há 40 dias, talvez para evitar a fadiga de aguentar as reclamações e ataques, já que ele está sendo chamado de mentiroso para baixo.

Apesar dos pesares, uma parcela significativa dos jogadores permaneceu. Talvez os mais propensos a explorar o vasto universo criado pelo algoritmo desenvolvido pelo estúdio, ainda que ele não seja lá tão perfeito (há vários bugs) e os planetas não apresentem tanta variação quanto divulgado antes do lançamento. Ainda assim, esse pessoal estava jogando.

Pois é… estava. Só se passaram seis semanas desde o lançamento do game mas o número de jogadores ativos em No Man’s Sky caiu vertiginosamente, a um nível que é seguro afirmar que não há praticamente mais ninguém jogando. Um imenso universo com 18 quintilhões (!) de planetas absolutamente desabitado.

Os números são do site SteamSpy, que coleta e compila legalmente informações acerca dos games distribuídos pela plataforma da Valve. Desde o lançamento (12/08 para PC) até o dia 21/09, data consulta realizada pelo site Extreme Tech, o número de jogadores diários despencou de 212.604 para 2.145.

nms-peak

De novo: seis semanas. Ou mais precisamente, 40 dias. O site comparou o game com outros games indies como Subnautica e Don’t Starve e embora a audiência desses games seja muito menor em geral do que No Man’s Sky, ambos retém mais jogadores diários no Steam do que o “épico espacial” da Hello Games.

Isso se reflete em outros gráficos. A página do game no SteamSpy também aponta para a queda vertiginosa de canais do Twitch trazendo gameplays do título, de de 4.661 para 27; o número de espectadores então afundou de 206.191 para, bem… praticamente zero.

O fato é que No Man’s Sky gerou um hype absurdo, desde que fora anunciado em 2013 e a Hello Games não só não conseguiu cumprir com o que prometeu, como toda a novidade e empolgação em torno do game se esvaiu num ritmo alucinante. Hoje o jogo nada mais é do que um gigantesco ambiente sem jogadores.

É uma pena, ele poderia ter sido uma sensação, mas agora corre o risco de entrar para a história como o maior fiasco da história dos videogames e superar até mesmo E.T., do Atari 2600.

Fonte: Extreme Tech.

Relacionados: , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples