Home » Mobile » Destaque » O Causo do Programador Preguiçoso

O Causo do Programador Preguiçoso

A preguiça reina entre programadores, a gente programa pra não ter que fazer as coisas manualmente, mas um russo (sempre eles) exagerou.
O sujeito automatizou boa parte do trabalho, inclusive a perigosa parte de avisar pra mulher que vai trabalhar até tarde…

3 anos atrás

lazy-couch-cat

Uma vez quando eu trabalhava como Analista de Sistemas me passaram uma tarefa bizarra: digitar planilhas. As gerentes de filiais mandavam por fax e os dados deveriam virar Excel no sistema. Eu estranhei pois as filiais eram informatizadas. A explicação? As gerentes não sabiam enviar e-mail com anexo, era assim o procedimento e pronto.

Como além de programador sou homem, tenho aquela glândula que identifica trabalho desnecessário. Fucei os faxes e reparei que os arquivos das gerentes estavam todos no servidor principal, ao lado da minha sala. Elas acessavam remotamente, editavam as planilhas, imprimiam e mandavam por fax. Foi assim por anos. 

Eu fiz um script para copiar as planilhas mais recentes de cada diretório, renomear e salvar na minha pasta de trabalho. Passava o dia piranhando na internet, com uma pilha de faxes na mesa, umas 4 da tarde colocava os arquivos num e-mail e mandava pra quem de direito. Sempre elogiavam a falta de erros de digitação.

Minha Ode à Preguiça foi superada quando descobri o causo de um russo (sempre eles) que trabalhava numa empresa como engenheiro de software. Era daqueles hackers das antigas, rato de terminal. Quando ele saiu da empresa foram dar uma faxina nos diretórios dele, e descobriram que 90% do trabalho do cara era automatizado. Ele tinha scripts rodando pra tudo.

Os melhores?

smack-my-bitch-up.sh verificava se a conta dele estava acessando o servidor em um dia de semana, depois das 9 da noite. Se fosse o caso escolhia uma desculpa aleatória de uma lista, e mandava um SMS pra esposa, com “Até tarde no trabalho, <desculpa aleatória>”.

Um cliente que ele não gostava vivia enchendo o saco. O tal russo escreveu o script kumar-asshole.sh para varrer os e-mails atrás de mensagens do tal Kumar, o DBA do cliente. Se achasse mensagens com palavras como help, trouble ou sorry, o script fazia um rollback do banco de dados pra versão em backup mais recente e respondia o e-mail com “sem problemas, cara. mais cuidado da próxima vez”.

hangover.sh mandava um e-mail dizendo “Não estou me sentindo bem, vou trabalhar de casa”, se fosse dia de semana e o sujeito não tivesse se logado no sistema até às 08:45.

O melhor de todos é o fuckingcoffee.sh. O script quando executado esperava 17 segundos, abria uma conexão SSH para a máquina de café (ninguém na empresa sabia que a máquina rodava Linux e estava na rede) e mandava uma série de comandos. Eles instruíam a cafeteira para preparar o caf… — latte médio e esperar 24 segundos antes de servir. 24 segundos era o tempo exato de andar da mesa do sujeito até a cafeteira.

Os scripts podem ser encontrados aqui.

A história, que é boa o bastante pra gente duvidar se é verdade, lembra muito os clássicos textos do Operador Bastardo do Inferno, uma série de textos excelentes, dos primórdios da internet.

Fonte: Business Insider.


Leia mais sobre: , , , , .


relacionados


Comentários