Meio Bit » Games » Clássico Colossal Cave Adventure ganhará versão em 3D

Clássico Colossal Cave Adventure ganhará versão em 3D

Mais de quatro décadas após o seu lançamento, o adventure de texto Colossal Cave Adventure está sendo refeito e o melhor, pelos fundadores da Sierra Online

20 semanas atrás

Quando se trata de jogos que foram muitos influentes na indústria, poucos podem se orgulhar por terem um peso tão grande quanto o Colossal Cave Adventure. Lançado em 1976, foi ele quem estabeleceu algumas bases aproveitadas até hoje, mas só agora teremos a oportunidade de explorá-lo em três dimensões.

Colossal Cave Adventure

O Colossal Cave Adventure rodando em um terminal VT100 (Crédito: Reprodução/Autopilot/Wikimedia Commons)

Mas antes de falar sobre o remake que está sendo produzido por Ken e Roberta Williams, é preciso explicar a importância do Colossal Cave Adventure para a indústria de games, o que nos leva direto para o início dos anos 70.

Naquela época, Will e Patricia Crowther eram um casal de programadores e espeleólogos, passando parte do tempo no Mammoth Cave National Park, um complexo de cavernas conhecido como o mais extenso do mundo. Durante uma dessas expedições, Patricia encontrou uma ligação entre o lugar e o sistema de Flint Ridge e ansiosos para compartilhar seus registros, eles decidiram criar um mapa vetorizado do lugar, para depois utilizar um terminal de teletipo e enviá-lo para o computador localizado na Bolt Beranek and Newman Inc. (BBN), onde Will trabalhava.

Aquele ficou conhecido como um dos primeiros mapas de cavernas já feitos para computador, mas o que levaria o sujeito a criar um jogo baseado nas suas experiências em cavernas foi um daqueles acasos que a vida nos reserva.

Após se separar de Patricia em 1975, Will deixou a espeleologia e devido a uma mistura de tempo ocioso e saudade das filhas, ele começou a trabalhar num jogo baseado em texto usando a linguagem Fortran e uma teleimpressora. Aproveitando aquele mapa que tinha desenvolvido anos atrás, sua memória e elementos de fantasia saídos de campanhas de Dungeons & Dragons, ele planejou um jogo que fosse acessível a todos.

Para chegar ao seu objetivo, Will Crowther desenvolveu um sistema que permitia ao jogador utilizar palavras em inglês para realizar as ações necessárias para explorar as cavernas. No fim, ele escreveu cerca de 700 linhas de códigos, além de outras 700 linhas descrevendo as 66 salas, com o jogo ainda reconhecendo quase 200 palavras para comandos.

Na década de 70, isso era imersão (Crédito: Reprodução/ Kevin Black/DOSGames)

Após mostrar o que considerava a versão final para alguns amigos do trabalho, Crowther resolveu tirar férias e deixou sua criação no mainframe da BBN. O que ele não poderia imaginar era que alguém encontraria o jogo e o espalharia por outras empresas e universidades.

Dois detalhes curiosos sobre aquela aventura virtual é que Will Crowther não lhe deu um nome, mas como a tela inicial mostrava a frase "WELCOME TO ADVENTURE!!", muitos passaram a se referir ao jogo como Adventure, Advent (devido a um arquivo chamado assim) ou Colossal Cave Adventure, nome que acabou pegando. Além disso, naquela época muitos computadores não tinham monitores, o que forçava os jogadores a recorrerem a teleimpressoras conectadas às máquinas.

Mas apesar do relativo sucesso alcançado por Crowther, o pulo do gato só aconteceria depois que um sujeito chamado Don Woods tivesse contato com o jogo. Estudante da Stanford University, ele ficou fascinado com a experiência e pensou que poderia torná-la ainda melhor, adicionando mais elementos de fantasia, alterando quebra-cabeças e tornando o jogo mais complexo.

Após entrar em contato com o criador e conseguir o código-fonte, Woods elevou as linhas de código para 3.000, com o novo mapa passando a contar com 140 locais e a lista de vocabulário saltando para 293. Além disso, ele fez com que a campanha parecesse mais com um jogo, ao contrário da versão de Crowther, que tinha um maior foco na espeleologia.

O resultado rapidamente caiu no gosto do público e aquele que é considerado o pai dos adventures inspiraria jogos como Zork, Adventureland, Mystery House, Rogue e Adventure. Mesmo os RPGs beberam da sua fonte e se não fosse pela genialidade de Will Crowther, talvez nunca tivéssemos um Maniac Mansion, um The Secret of Monkey Island ou os muitos clássicos lançados pela Sierra On-Line.

Mais de quatro décadas depois...

Colossal Cave 3D Adventure

Primeira imagem do Colossal Cave 3D Adventure (Crédito: Divulgação/Cygnus Entertainment)

E por falar na empresa fundada por Ken e Roberta Williams, em 2021 a dupla havia revelado estar trabalhando num novo jogo na sua nova casa, a Cygnus Entertainment, e após se referirem ao projeto apenas como The Secret, eles resolveram acabar com o mistério.

Batizado como Colossal Cave 3D Adventure, o novo jogo aproveitará o conceito proposto por Will Crowther há 46 anos para nos colocar para explorar uma caverna em primeira pessoa. Feito com a engine Unity, o título será disponibilizado tanto para PC quanto para dispositivos de realidade virtual e podemos esperar encontros com ursos, cobras, piratas e até trolls.

Através de uma nota divulgada à imprensa, Ken explicou de onde surgiu a motivação para ele e sua esposa recriarem o clássico:

Enquanto estava preso por causa da pandemia, escrevi um livro sobre os velhos dias da Sierra. Seu sucesso me surpreendeu e trouxe tantas memórias dos nossos dias criando jogos. Isso me levou a investigar como os jogos modernos são feitos e simplesmente comecei a programar usando a engine Unity por diversão.

Eu estava procurando algo interessante para programar quando a Roberta sugeriu o Colossal Cave Adventure. A Roberta começou a trabalhar adaptando-o para o 3D e eu montei uma equipe. À medida que cavamos cada vez mais fundo no jogo, descobrimos camadas de complexidade que explicam por que o jogo se tornou um fenômeno da indústria. Seus elementos de ação, humor, um sistema de pontuação, elementos de aventura, personagens interessantes, um grande mundo a ser explorado e mais. Este é realmente um jogo que encantará a nova geração e que será 100% diferente de tudo o que vi no mercado atualmente.

Arte conceitual do Colossal Cave 3D Adventure (Crédito: Divulgação/Cygnus Entertainment)

Mesmo estando afastados do desenvolvimento de jogos por mais de duas décadas, Ken e Roberta Williams possuem um enorme conhecimento da área e claramente demonstram uma grande paixão por este novo projeto. Se com o Colossal Cave 3D Adventure eles conseguirão conquistar tanto a nova geração quanto aqueles que cresceram admirando seus adventures, teremos que esperar até a nossa primavera para saber.

Da minha parte, mesmo nunca tendo jogado o original, fiquei bastante interessado em conhecer esta nova versão. Contudo, apesar de ela abandonar a navegação apenas por texto e apostar em imagens 3D, espero que a essência não seja perdida, afinal estamos falando de um título que em 2019 entrou para o World Video Game Hall of Fame e acredito que sua história deveria ser respeitada.

Fonte: PCGamesN

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários