Meio Bit » Entretenimento » Roteirista está preocupado com possível série do Mass Effect

Roteirista está preocupado com possível série do Mass Effect

Para ex-roteirista da BioWare, série baseada em Mass Effect sofrerá com falta de atenção aos personagens e roteiro sem possibilidade de escolhas

36 semanas atrás

Nos últimos dias os fãs de Mass Effect ficaram em polvorosa e o motivo? O Amazon Studios estaria perto de fechar um acordo para produzir uma série televisiva baseada na tão adorada franquia criada pela BioWare. Mesmo sem que maiores detalhes tivessem sido revelados sobre a adaptação, a mera possibilidade foi suficiente para atiçar a imaginação de muita gente.

Mass Effect Legendary Edition

Crédito: Divulgação/EA

Com a qualidade das produções da Amazon tendo aumentado com o passar do tempo e com o serviço contando com uma série de ficção científica tão elogiada quanto a The Expanse, a expectativa para algo no mínimo no mesmo nível obviamente foi enorme. Tanto que entre aqueles que se empolgaram estava Gennifer Hutchison.

Roteirista da série de O Senhor dos Anéis que está sendo produzida pelo próprio Amazon Studios, ela também escreveu episódios para as aclamadas Breaking Bad e Better Call Saul, e ao saber da matéria publicada pelo site Deadline, usou sua conta no Twitter para dizer que iria fazer algumas ligações. Logo depois Gennifer tratou de esclarecer que tudo não passava de uma brincadeira, que ela não sabia de nada e que aquilo tinha sido apenas uma publicação de uma fangirl.

Mas enquanto alguns adoraram a possibilidade, nem todos a viram com tanto otimismo. Boa parte dessas pessoas se mostraram céticas devido as muitas péssimas adaptações de games que temos visto serem feitas há bastante tempo. Porém, há alguém com argumentos bem interessantes para justificar a sua preocupação com este possível projeto.

Após ter trabalhado gerenciando um hotel e tratando o design de jogos como um mero hobby, em 1999 Daivid Gaider foi convidado por um amigo a fazer parte de uma empresa que estava em ascensão, a BioWare. Foi lá que ele teve a oportunidade de escrever o roteiro do Baldur's Gate II: Shadows of Amn, tendo trabalhado depois no Star Wars: Knights of the Old Republic e em toda a série Dragon Age.

Mass Effect

Crédito: Divulgação/EA

Tendo deixado a desenvolvedora em 2016, hoje ele cuida da Summerfall Studios e encontrou um tempinho para dar sua opinião sobre esta tentativa de adaptar o Mass Effect como uma série. Pelo Twitter, Gaider disse o seguinte:

Estou aliviado em ver que o acordo Mass Effect/Amazon é para uma potencial série de TV e não um filme. Mesmo assim, a possibilidade (e o mesmo para o Dragon Age) me faz estremecer um pouco, ao contrário de muitos fãs que parecem... empolgados?

A mensagem foi o início de um fio onde o roteirista lista alguns pontos para justificar a sua declaração, com o primeiro deles sendo uma importante escolha que fazemos assim que iniciamos tanto em um Mass Effect quanto em um Dragon Age: o personagem que controlaremos.

Para David Gaider, uma série obviamente terá que nos apresentar a um protagonista e ao retratá-lo como sendo homem ou mulher, imediatamente a adaptação alienará boa parte da base de fãs que tinha muita esperança de que o escolhido ou escolhida fosse o seu preferido.

Mass Effect

Crédito: Divulgação/EA

Já o segundo aspecto citado pelo roteirista vai pelo mesmo caminho, mas falando sobre como os protagonistas desses jogos são criados para representar uma folha em branco, com o jogador tomando as decisões e moldando suas personalidades. Porém, como estamos falando de uma mídia passiva, os personagens terão suas histórias e personalidades previamente definidas, o que na opinião dele “será estranho”. Gaider explicou:

Você acha que estou errado? Considere como MUITO da história é transferido para os companheiros. Eles são os códigos através dos quais o jogador obtém a maior parte do seu envolvimento emocional. Por si só, os protagonistas do Dragon Age e do Mass Effect são... bem chatos. Isso não vai dar certo.

E pense nesses companheiros. Pense no QUANTO a base de fãs está ligada a eles. Agora considere o fato de que não existe uma maldita maneira de uma única história abranger todos eles igualmente. Pense nos gritos de raiva quando o companheiro X for relegado a uma breve aparição... ou ele nem sequer aparecer.

Mesmo reconhecendo que uma série daria muito mais espaço do que um filme, opinião também defendida pelo diretor do Mass Effect: Legendary Edition, Mac Walters, o ex-roteirista da BioWare seguiu afirmando que mesmo nos jogos apenas alguns desses personagens dão as caras, tudo para que possam ser devidamente desenvolvidos.

Ainda segundo David Gaider, ao remover grande parte dos personagens que nos acompanham durante as aventuras e eliminar o engajamento emocional que apenas as tomadas de decisões permitem, tais adaptações se tornariam séries bastante comuns. Para piorar, ele acredita que isso faria com que uma grande parcela do público, no caso os fãs, ficaria descontente com o tratamento dado à série, com eles ficando indignados antes mesmo da obra ser lançada.

Por fim, o roteirista fez questão de deixar claro que tais problemas surgiriam dependendo da maneira como essas séries forem criadas. Uma saída seria “apenas” situá-las nos universos do Mass Effect e Dragon Age, fugindo de adaptações diretas. Ainda assim, tal escolha traria suas próprias complicações, como por exemplo a dificuldade em apresentar aqueles enormes e complexos universos para quem nunca jogou um capítulo das franquias.

Crédito: Divulgação/EA

Estes são argumentos que realmente precisam ser levados em consideração, principalmente por terem sido feitos por alguém com tanta experiência na área. Como de costume, a chance de uma adaptação dessas franquias não funcionar corretamente é muito grande e como bem disse David Gaider, as pessoas envolvidas nesta possível série do Mass Effect precisarão de muita sorte.

Contudo, eu adoraria ver esse trabalho ser realizado e o que me dá alguma esperança é a boa série baseada em The Witcher. Mesmo sendo jogos com estilos um pouco diferentes, gostei muito da produção estrelada por Henry Cavill e nem cheguei a sentir falta de não poder tomar decisões enquanto o caçador de monstros avançava em sua aventura.

Eu sei que nem todos conseguem separar as coisas e nem acho que seja um erro, mas ao assistir uma série ou filme faço isso sem esperar ter o controle do que acontecerá no roteiro. É óbvio que alguém como David Gaider sabe disso, mas estamos falando de mídias distintas, logo, com propostas bastante diferentes.

relacionados


Comentários