Home » Mobile » Hands on: Motorola Razr, o celular flip com tela dobrável

Hands on: Motorola Razr, o celular flip com tela dobrável

Passamos uma hora abrindo e fechando o Motorola Razr, o celular flip com tela flexível que chega ao Brasil em janeiro de 2020

18/11/2019 às 20:45

O Motorola Razr, o celular com tela flexível da Motorola só chega ao Brasil em janeiro de 2020, mas o Meio Bit já teve um gostinho do que vem por aí: tive a oportunidade de testá-lo por uma hora e, entre vários movimentos de abrir e fechar, conto minhas primeiras impressões sobre o bichinho a seguir.

Motorola Razr

Design

Sem rodeios, o visual impressiona. Começa desde a caixa, com design estiloso e projetada para funcionar como um alto-falante, ao estojo dos acessórios, que se parece com a caixinha de um par de óculos. A grande estrela é uma versão expandida do antigo Razr V3, um dos aparelhos mais clássicos de todos os tempos. Ele, até hoje, é referenciado como um design que muitos consumidores gostariam de ter de volta, compacto e que cabe no bolso confortavelmente.

O novo Motorola Razr é maior e mais pesado que o V3, mas a identidade visual está toda lá, desde a lombada inferior, que acomoda o leitor de digitais, o alto-falante, o microfone e as antenas, às curvas superior e inferior da tela, uma P-OLED de 6,2 polegadas e proporção 21:9, a mesma das telas de cinema.

Fechado, você tem disponível a tela G-OLED de 2,7 polegadas, protegida pelo vidro Gorilla Glass e interativa, chamada Quick View, que exibe notificações e permite algumas ações inteligentes (mais a seguir). A câmera principal, de 16 megapixels, fica logo abaixo da tela e é a indicada para as selfies, não a interna de 5 MP, suficiente para videoconferências, segundo a Motorola.

A novidade é a tela flexível, que não está fixa no painel. Diferente das soluções da Samsung e Huawei, a Motorola preferiu usar um recurso que ela chama de Zero Gap, permitindo o total fechamento do aparelho, sem criar espaços. Para isso, a tela desliza e forma uma espécie de "barriga" dentro da dobradiça, quando o Razr é fechado.

Dessa forma, o display não forma vincos proeminentes, embora a unidade testada tivesse uma ondulação, consequência da "barriga". Basicamente, a tela não estica completamente quando o celular está aberto.

Motorola Razr

Como a tecnologia de telas flexíveis/dobráveis ainda está em sua infância, ainda há muito a melhorar, mas é bom a Motorola e outros fabricantes ficarem de olho nesses detalhes.

Quanto à resistência, a empresa afirma que o Razr aguentará ao uso padrão e situações de estresse (leia-se usuários mostrando a tela que dobra para amigos todo o tempo), mas não informou quantos movimentos o display suporta antes de pifar.

Performance

A Motorola optou colocar um Snapdragon 710, principalmente porque a bateria é mais modesta e usar um chip mais potente exigiria mais energia, comprometendo o design, mas esse processador, aliado a 6 GB de RAM, entregam uma experiência de uso bem satisfatória. A tela em formato 21:9 é excelente para assistir filmes, ainda que o aparelho seja consideravelmente menor do que os modelos padrão de hoje em dia.

Motorola Razr

O som do Motorola Razr é suficientemente potente, as cores e o brilho da tela provido pelo OLED permitem que você aproveite seus filmes e vídeos favoritos com bastante conforto. O notch, que acomoda a câmera interna e alto-falantes é maior do que o normal, mas necessário para manter o design curvado e não criar um espaço sem uso no topo.

Mesmo jogos não é um problema: títulos como Ahphalt 9 Legends, entre outros famosos conseguem se adaptar muito bem ao formato do display sem adicionar bordas de nenhuma maneira. A única questão é a base, que oferece uma boa pegada ao concentrar o peso de um só lado.

Claro, se você não for do contra como o autor.

A Quick View, por sua vez, guarda truques interessantes. Alguns apps nativos da Motorola e outros do Google possuem recursos de continuidade, permitindo começar uma ação com o aparelho fechado e seguir de onde parou ao abri-lo. Apps de mensagens, o Gmail e outros estão incluídos.

Para fazer uma selfie com o Razr fechado, basta usar o clássico movimento da Motorola de girar o celular duas vezes com o pulso, que abre o app de câmera. Uma vez ativo, o botão Diminuir Volume passa a ser o disparador. Assim como outros apps, a câmera também é compatível com o recurso de continuidade.

Motorola Razr

Para tirar fotos com o celular aberto, a Quick View exibe animações para quem está sendo fotografado, bem como uma prévia após o clique. É um gimmick, só para demonstrar os recursos de duas telas do celular, mas não deixa de ser uma adição interessante.

No fim, você vai usar a câmera externa para quase tudo e nem vai lembrar da interna, a não ser quando receber uma chamada de vídeo.

Conclusão

Uma hora é muito pouco para avaliar se o Motorola Razr é um bom celular ou apenas se vende pela novidade, mas eu gostei do que vi. É um produto razoavelmente bem acabado, com uma proposta de inovação aceitável ao resgatar um form factor consagrado, inspirado no design de um dos maiores sucessos da Motorola em todos os tempos.

Nós teremos mais informações sobre o Motorola Razr apenas em janeiro de 2020, mas até lá, podemos dizer que este celular terá muito mais apelo entre o público do que seus concorrentes de telas dobráveis.

Sim, o novo Razr tem um "Modo Retrô", com direito a desativar o touch da "tela" superior

A Motorola não informa quanto o Razr vai custar aqui, mas se seguir a taxa de conversão padrão, os US$ 1,5 mil podem se converter em até R$ 10 mil no Brasil, talvez menos, já que ele será fabricado aqui. Seria interessante se chutassem o balde e o vendessem barato, mas como toda novidade custa caro...

No mais, ficaremos de olho para mais novidades.

Motorola Razr — Ficha técnica

  • Processador: SoC Qualcomm Snapdragon 710, octa-core Kryo com 2 núcleos Gold de 2,2 GHz e 6 Silver de 1,7 GHz;
  • GPU: Adreno 616;
  • Memória RAM: 6 GB;
  • Armazenamento interno: 128 GB;
  • Armazenamento externo: não expansível;
  • Tela interna: P-OLED de 6,2 polegadas e resolução de 2.142 x 876 pixels (373 ppi);
  • Tela externa (Quick View): G-OLED de 2,7 polegadas, proporção 4:3 e resolução de 800 x 600 pixels (370 ppi);
  • Câmera externa: 16 megapixels, abertura f/1,7, autofoco Dual Pixel com detecção de fase, Flash Dual-LED Dual-Tone, giroscópio e captura de vídeos em 4K a 30 fps;
  • Câmera interna: 5 megapixels, abertura f/2,0 e captura de vídeos em 1080p a 30 fps;
  • Sensores: proximidade, acelerômetro, giroscópio, bússola e leitor de impressões digitais;
  • Conectividade: 4G/LTE Dual-SIM, Wi-Fi 802.11a/b/g/n/ac, Bluetooth 5.0, AD2P, BLE, NFC, A-GPS, GLONASS;
  • Bateria: 2.510 mAh, com suporte a carregador rápido de 15 W;
  • Portas: USB-C 3.0;
  • Sistema operacional: Android 9 Pie;
  • Dimensões: 172 x 72 x 6,9 mm (aberto), 94 x 72 x 14 mm (fechado);
  • Peso: 205 g.

relacionados


Comentários