Home » Demais assuntos » O Xiaomi Mi Mix Alpha surpreende com tela pra todo lado

O Xiaomi Mi Mix Alpha surpreende com tela pra todo lado

A inovação tem preço e chega bem perto dos R$ 11,7 mil (sem considerar impostos ou taxas de importação)

24/09/2019 às 13:41

Este é o Xiaomi Mi Mix Alpha, um smartphone que ninguém pediu, com mais tela do que qualquer pessoa pode querer em qualquer momento da vida, mas que é um deleite em design e que mostra a capacidade asiática - neste caso é chinesa - de criar aparelhos que saem da curva e da caixinha. Isso é incrível, mas com preço estratosférico que acompanha a inovação.

xiaomi mi mix alpha abre

Não é de hoje que a linha Mix é quase que um quartinho separado apenas para as criações em estágio de conceito, mas que de alguma forma tentam espaço no mercado. Ela já removeu bordas quando isso não era bem um grande negócio, até brincou com som saindo da tela. Agora a tela é...o aparelho quase que todo.

Mi Mix Alpha com tela pra (quase) todo lado

O display está na parte da frente, em boa parte da traseira e nos dois lados, cobrindo...180,6% da frente do gadget - o Galaxy Note 10, que já tem quase que nenhuma borda, tem 90,9% da frente feita de tela. O que não é tela, é um conjunto de titânio e cerâmica na parte de cima e inferior, com vidro reforçado por safira na tira traseira. É um wrap de celular, que resolve o problema de câmera frontal (não tem, né) e cria três desafios gigantescos: pegada, experiência de uso e autonomia da bateria.

xiaomi mi mix alpha animado

Fico imaginando como deve funcionar o sistema de toque, já que ainda não temos uma forma de utilizar o smartphone com ele flutuando na nossa frente. O celular precisa ser muito entendido das coisas pra notar que em certo momento quero ver a tela na frente, noutro a tela traseira, mas de noite a lateral pode ser boa como rádio relógio. Sei lá, é tudo confuso e novo.

xiaomi mi mix alpha animado de lado

O que mais chama atenção é a tela, mas a Xiaomi não disse quase nada sobre ela. A empresa falou que é curvada pra todo lado e que sua concepção fez mudar a forma de montar o aparelho. Ok, isso é o óbvio. Não sabemos nada sobre tipo de tela (certamente alguma variante de OLED), quanto de brilho ela tem, qual é a resolução de todo o conjunto e nem nada além de que ela é bem bonita.

Resolução que vale mais do que ouro

Falando em resolução, o conjunto de câmeras trabalha com sensor de, pasmem, 108 megapixels e que foi criado com ajuda da Samsung. A ideia principal não é de ter uma foto pra colocar num outdoor, mas sim de juntar pixels pra melhorar a qualidade de imagem - Motorola vem fazendo isso na linha One. Também entra o mundo de zoom digital que faz um recorte na imagem e entrega menos megapixels, com aproximação e sem perder qualidade com arquivo final de, sei lá, 12 megapixels - saudades Nokia PureView.

De pé, com tela pra todo lado

O sensor secundário é mais humano e tem 20 megapixels com lente ultrawide, com um terceiro pra zoom de duas vezes e resolução de 12 megapixels. A Xiaomi nunca fez microfones que prestam em seus aparelhos, mas certamente deve ter algo bom por aqui - já que ele chama tanta atenção em praticamente tudo.

Do lado de dentro fica o melhor do mundo em hardware, ao menos até dezembro, quando a Qualcomm fará seu evento no Hawaii pra lançar os próximos Snapdragons. A sopa de letrinha engloba: Snapdragon 855+, 12 GB de RAM, 512 GB de memória interna e carregamento de até 40 watts, que enche a bateria de 4.050 mAh. Eu, sinceramente, acho pouca carga pra tanta tela.

Carregador é rápido

Senta, que ele é muito caro

Tudo isso tem um preço que é um chute no estômago. A Xiaomi vai cobrar ¥ 19.999 pelo Mi Mix Alpha, que é o dinheiro da China, que traduzido em dolores fica em mais ou menos US$ 2.800, que traduzido pra nossa forte (cof cof) moeda, fica pertíssimo de R$ 11,7 mil e olha que nem considerei impostos ou taxas de importação.

Mesmo com lançamento marcado e com preço, a produção será pequena e isso corrobora pro nome “conceito” que está no vídeo de apresentação acima. É muito caro, é muito além do tempo, é muito inovador e tanta inovação sempre tem um preço alto. Eu curti, mas não teria e fico com sérias dúvidas sobre como deve ser a pegada do aparelho e quanto tempo dura essa bateria, com tela ligada pra todo lado e (aparentemente) o tempo todo.

A pergunta que fica é: tem capinha pra esse celular?

Com informações: Xiaomi.

Leia mais sobre: , .

relacionados


Comentários