Home » Mobile » Google desiste de produzir tablets, mas manterá suporte

Google desiste de produzir tablets, mas manterá suporte

Google estaria produzindo dois novos tablets, que foram cancelados; suporte a produtos de terceiros rodando Android e Chrome OS será mantido

21 semanas atrás

O Google bem que tentou, mas finalmente jogou a toalha e desistiu do mercado de tablets. Informações sobre a desistência circulavam desde o início da semana internamente e começaram a vazar, culminando na confirmação oficial nesta quinta-feira (20).

Entretanto, diferente de alguns veículos que andaram anunciando o "tabletpocalipse" e a vitória do iPad, tal medida diz respeito apenas ao hardware do próprio Google e não ao suporte de software a terceiros.

Google / Pixel Slate / tablets

O informe oficial foi divulgado em primeira mão pelo site Computer World, que recebeu a notícia diretamente do Google. Na nota, a companhia informa que não mais produzirá tablets, ou seja, produtos de tela touch de grandes dimensões, com teclados destacáveis ou que não possuem o periférico (ainda que possam usar acessórios sem fio). Assim, laptops 2 um 1 como o Pixelbook continuam nos planos da gigante das buscas, bem como a linha Pixel de smartphones.

Ainda assim, allguns veículos entenderam a mensagem como uma total desistência do Google do mercado de tablets, tanto na produção de hardware quanto no suporte de software para produtos próprios e de terceiros, o que acabaria por matar a categoria de dispositivos Android e Chrome OS de parceiros comerciais e indiretamente, daria a vitória à linha iPad da Apple por W.O.

Para encerrar a confusão Rick Osterloh, vice-presidente sênior da divisão de Hardware do Google foi ao Twitter e esclareceu o que será feito de agora em diante:

A divisão irá de fato se focar em laptops mas manterá normalmente o suporte a tablets tanto de seus produtos já lançados, como o Pixel Slate, quanto de OEMs em todos os setores (comercial, corporativo e educacional), independente de rodarem Android ou Chrome OS. Portanto, não jogue fora o seu Galaxy Tab S5e novinho. No que tange a smartphones, obviamente nada muda.

Fontes próximas ao Google informam que a empresa estava desenvolvendo dois novos modelos de tablets, mas após uma reunião na última quarta-feira (19) foi decidido cancelar ambos e remanejar a equipe para outros setores; parte dos funcionários teriam sido migrados para a divisão de laptops.

Embora o Brasil tenha sido bem-servido de tablets Android de diversos fabricantes, o mesmo não pode ser dito pelo Google: o único produto lançado oficialmente pela empresa no país foi o ASUS Nexus 7, em uma trapalhada que nunca foi explicada direito: lotes que seriam destinados a clientes corporativos caíram sabe-se lá como nas mãos de redes varejistas, que venderam os aparelhos ao público final; a ASUS se viu forçada a "lançar oficialmente" o tablet por R$ 999, mas findo o estoque, o aparelho não foi reposto.

A desistência do Google é compreensível: as vendas de tablets caem ano após ano (nem o iPad vende mais como outrora), e hoje apenas Apple e Samsung levam o setor a sério; as demais ensaiam um ou outro lançamento vez ou outra mas no geral, ninguém fora as duas citadas possuem maiores aspirações em vender tablets.

O Pixel Slate, o último tablet de Mountain View foi lançado em outubro de 2018 (três anos após o Pixel C) com uma tela de 12,3 polegadas de 3.000 x 2.000 pixels, rodava Chrome OS com interface para toque, executava apps de Android e Linux e tinha preço sugerido a partir de US$ 599.

Com informações: The Next Web, Computer World.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários