Home » Games » Crash Team Racing Nitro-Fueled — Review

Crash Team Racing Nitro-Fueled — Review

Respeitando o original e contando com uma beleza visual impressionante, Crash Team Racing Nitro-Fueled é um jogo que deveria servir de exemplo para futuros remakes.

20 semanas atrás

Em setembro de 1999 a Naughty Dog lançou um jogo para PlayStation que tinha uma duríssima missão: desafiar uma das séries mais adoradas da indústria e que fundou um gênero, a Mario Kart. Aproveitando o universo de um personagem que buscava se tornar mascote do console da Sony, Crash Team Racing poderia acabar sendo apontado como um mero clone da super bem sucedida franquia da Nintendo, mas ele conseguiu ser muito mais do que isso.

Repleto de pistas bastante coloridas, um punhado de personagens carismáticos e uma jogabilidade que embora não inovasse oferecia muita diversão, aquele jogo rapidamente conquistou uma legião de fãs. Percebendo o clamor para que o CTR fosse relançado, a Activision  deixou nas mãos da Beenox a dura tarefa de refazer o jogo e para a alegria de todos os fãs, o trabalho foi muito bem executado.

Com versões para Nintendo Switch, PlayStation 4 e Xbox One, Crash Team Racing Nitro-Fueled é o tipo de remake que gostaríamos de ver sempre, pois consegue respeitar o material original, aproveitar o poderio das máquinas mais modernas e ainda adicionar algumas novidades. Mas antes de falar delas, vale explicar porque o marsupial mais famoso dos games entrou para o mundo das corridas.

Uma ameaça vinda do espaço

Tudo ia muito bem na Terra até o dia em que Crash e sua turma receberam a visita de Nitros Oxide. Autoproclamado o corredor mais veloz da galáxia, o alienígena decidiu vir ao nosso planeta nos desafiar para uma estranha competição. Nela o melhor piloto poderia encarar o vilão em uma corrida e caso o nosso representante vencesse, Oxide nos deixaria em paz. Porém, se ele vencesse transformaria a nossa casa num enorme estacionamento e nos escravizaria.

Parece uma história bizarra? Pois é mesmo e no fundo tudo não passa de um motivo para encararmos diversas pistas e adversários em corridas cheias de perigos. O nosso objetivo será conseguir quatro chaves que darão acesso à batalha final, ou melhor, prova final e para isso teremos que derrotar quatro chefes, que por sua vez serão desbloqueados após vencermos os quatro estágios da sua área.

Mas além das provas normais, o jogo ainda nos coloca para realizar diversas tarefas nas fases por quais já passamos, como coletar um certo número de cristais antes do tempo acabar, pegar as letras CTR que estão espalhadas pelas pistas (e ainda vencer a prova) ou disputar uma corrida contra o relógio, quando precisaremos dar três voltas dentro do tempo estipulado. Tudo isso server como uma maneira de expandir a vida útil do jogo, com os itens recebidos nos dando acesso a outras pistas e desafios.

Já para aqueles que não se importam muito com esse tipo de “campanha”, o Crash Team Racing Nitro-Fueled ainda conta com multiplayer local e online, além de uma modo arcade, onde o que importa é simplesmente correr ou disputas contra outros corredores em arenas. De acordo com a Activision, há planos para abastecer o jogo com conteúdo adicional gratuito com o passar do tempo e isso inclui novos personagens, pistas e veículos.

Muitas opções de personalização

E se há algo do qual não podemos reclamar em relação a este remake é o conteúdo que ele traz. Contando com 25 corredores e 31 pistas vindas direto do Crash Team Racing e do Crash Nitro Kart, ele ainda adiciona a possibilidade de personalizarmos tanto os karts quantos os personagens.

No caso dos carrinhos será possível mudar o chassi, as rodas e ainda adicionar adesivos ou alterar a pintura. Já os personagens poderão ter as suas cores alteradas ou até mesmo usar skins que mudam consideravelmente suas aparências.

Para aqueles que gostam de deixar o jogo com a sua cara, o Crash Team Racing Nitro-Fueled é um prato cheio, mas é justamente aí que entra um dos seus maiores problemas. Conseguir desbloquear tudo o que o jogo tem a oferecer será uma tarefa hercúlea, já que boa parte dos itens precisarão ser adquiridos através de uma loja interna e o preço cobrado por eles é muito alto.

Para entender melhor, imagine que cada personagem é vendido por 1500 Wumpa Coins, sendo que uma vitória nas corridas lhe renderá algo entre apenas 20 e 80 moedas, dependendo da pista. Porém, há itens que podem custar mais de quatro vezes este valor e ao calcularmos as moedas que precisarão ser gastas para termos diversas skins, pinturas ou adesivos, o resultado é que precisaremos dedicar muito tempo correndo.

Isso poderia ser um indicativo de que a editora tentará lucrar um pouco mais vendendo pacotes de moedas, mas eles garantem que microtransações não serão adicionadas o título.

Um primor técnico

Mas além de manter a jogabilidade sólida (e divertida) do original, o grande destaque do Crash Team Racing Nitro-Fueled é a sua parte técnica, especialmente a visual. Com todas as pistas sendo muito bonitas e estando repletas de detalhes, por várias vezes senti vontade de parar o kart apenas para poder apreciar os cenários e por mais que isso possa parecer não fazer muito sentido num jogo de corrida, acho que um Modo Foto seria muito bem-vindo.

Tal cuidado com a aparência também pode ser visto nos personagens, todos com animações muito legais e texturas cheias de detalhes. Talvez o ponto negativo nesse aspecto seja apenas o fato de que mesmo num Xbox One X notei algumas pequenas quedas na taxa de atualização de frames e mesmo não chegando a ser algo gritante ou que prejudique a experiência, acontece.

Já em relação a parte sonora, o destaque vai para a excepcional dublagem em português, as novas versões das músicas e até os efeitos sonoros. Para que você tenha noção do nível de dedicação por parte da equipe da Beenox, cito como exemplo uma corrida que acontece numa estação espacial e num determinado trecho damos um salto em que ficamos fora da redoma que cobra a pista, portanto no espaço. Nesta parte o som fica bem abafado, um detalhe que provavelmente passará despercebido por muitos, mas que achei muito bacana.

O jogo de kart que todos queriam

Eu sei que ao fazer tal afirmação corro um tremendo (e talvez desnecessário) risco de ser odiado pelos fãs da Nintendo e mais especificamente pelos adoradores dos Mario Kart, mas ao jogar o Crash Team Racing Nitro-Fueled, o que rondava a minha cabeça a todo momento era a sensação de que com esse jogo nas mãos, eu não precisava mais do game de corrida do encanador.

Com isso eu não quero dizer que o título da Activision é melhor que um Mario Kart 8 Deluxe, apenas que ele conseguiu suprir a minha vontade de jogar algo no estilo. Tudo bem, os personagens deste CTR pode não ter o peso de um Mario, Bowser ou Peach; desbloquear os seus extras pode ser exageradamente trabalhoso ou a diferença de dificuldade entre o modo fácil e normal parece grande demais, mas no fim das contas, o Crash Team Racing Nitro-Fueled é um remake de altíssimo nível e com potencial para nos entreter por muito e muito tempo.

relacionados


Comentários