Home » Mobile » A maioria dos antivírus para Android não protege o usuário

A maioria dos antivírus para Android não protege o usuário

Em testes realizados por site, apenas 9,2% dos antivírus disponíveis para Android detectaram todos os malwares; nem o Google Play Protect passou no teste

18 semanas atrás

Uma organização chamada AV-Comparatives testou 250 antivírus disponíveis para dispositivos Android, e constatou algo preocupante: apenas 80 apps conseguiram barrar em média até 30% dos malwares, e somente 9,2% do total detectaram todas as pragas.

Trocando em miúdos, a maioria dos apps do tipo, disponíveis na Play Store não é confiável.

Bad Droid / antivírus

A pesquisa realizada teve como alvo diversos aplicativos que prometem eliminar vírus, malwares e outras pragas de celulares e tablets Android, desde os de companhias estabelecidas no mercado de segurança, a outros bem menos conhecidos; a ação foi motivada pelo lançamento em 2017 de um app chamado Virus Shield, que embora prometesse passar a vassourinha em qualquer malware presente no Android, não fazia nada além de exibir uma barra de progresso.

Entraram na roda apps de empresas como Kaspersky, McAfee, AVG, ESET, Avira, Symantec, P-Safe e F-Secure, estas com produtos para computadores já bem conhecidos e consagrados, e desenvolvedoras menores. Entraram também no teste soluções nativas, no caso o Google Play Protect, presente em todo dispositivo Android, e o Gerenciador de Dispositivos da Samsung. Os testes foram realizados em um Galaxy S9 rodando Android 8.0 Oreo, e num Google Nexus 5 rodando a versão 6.0 Marshmallow, voltada a executar apps que não conversam bem com as versões mais recentes do robozinho.

A metodologia do teste era simples: uma série de malwares e pragas eram inseridas deliberadamente nos aparelhos, e para serem considerados minimamente aptos a fazerem o que prometem, os antivírus precisariam identificar e barrar mais de 30% deles, sem nenhum tipo de falso positivo disparado. E bem, o resultado foi um desastre.

Como era de se esperar, antivírus de grandes companhias de segurança, como todas acima citadas, foram capazes de barrar 100% das pragas, principalmente por utilizarem o método de checagem em tempo real. No entanto, apenas 23 dos 250 apps testados atingiram tal marca, ou 9,2% do total. Ao fim dos testes, 138 apps conseguiram detectar menos de 30% dos malwares, e alguns não fizeram absolutamente nada.

O mais preocupante é saber que o Google Play Protect é menos eficaz do que o alardeado, tendo bloqueado 68,8% dos malwares. O Gerenciador da Samsung, por sua vez, detectou 97,7% das pragas.

A AV-Comparatives explica que esse número ruim é consequência do método de detecção: cerca de 55% dos apps testados utilizam listas de malwares conhecidos, e não fazem varreduras de código; assim, uma vez que elas não sejam constantemente atualizadas, o app vai com o tempo se tornando cada vez mais ineficaz.

Embora a pesquisa revele uma realidade bem feia do Android, onde nem mesmo a solução nativa do Google é plenamente confiável, ela serviu para reforçar a imagem de companhias já experimentadas em soluções de segurança para computadores, por entregarem o mesmo nível de qualidade no Android. Em suma, se você vai instalar um antivírus em seu celular, é preferível optar por apps de velhos conhecidos.

Com informações: AV-Comparatives, ExtremeTech.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários