Home » Hardware » Aeroporto de Londres suspende voos após uma invasão de drones [ATUALIZADO]

Aeroporto de Londres suspende voos após uma invasão de drones [ATUALIZADO]

Aeroporto de Gatwick está fechado a várias horas, após drones serem vistos sobrevoando os arredores; é o segundo incidente em 17 meses

27 semanas atrás

Atualização 21/12/2018, 12:45: O aeroporto de Gatwick voltou a operar às 6:35 da manhã desta sexta-feira (21), horário brasileiro de verão, após mais de 24 horas fechado para pousos e decolagens.

Segue abaixo a notícia original.


Os britânicos andam tendo problemas constantes com drones nos últimos tempos. Depois da presepada monumental da Marinha de Sua Majestade, quando um curioso conseguiu pousar um quadricóptero civil no convés do HMS Queen Elizabeth, alguns espíritos de porco estão atazanando a vida de muita gente ao forçar o fechamento do Aeroporto de Gatwick, em Londres, que já dura várias horas.

Toby Melville / Aeroporto de Gatwick / Reuters / drones

O aeroporto em questão é o segundo mais importante da capital inglesa, ficando atrás apenas do de Heathrow; segundo estimativas, cerca de 45,6 milhões de passageiros transitaram por ele em 2017fonte.

Tudo começou às 21:00 horas de quarta-feira (19) no horário local (19:00 no horário brasileiro de verão), quando "várias fontes" afirmaram ter visualizado pelo menos menos dois drones, sobrevoando os arredores.

Segundo Chris Woodruff, COO do aeroporto, o procedimento normal para tal situação é declarar o espaço aéreo como "não seguro", o que na aviação é traduzido como "não vai subir ninguém", permanecendo fechado para pousos e decolagens até segunda ordem; ainda que drones sejam bem menores que os aviões comerciais, dependendo da pancada os danos podem ser bem, bem sérios.

O voo TM136 das Linhas Aéreas de Moçambique, que fazia o percurso Maputo-Tete no dia 05 de janeiro de 2017 é um excelente exemplo:

O fechamento durou várias horas, levando ao cancelamento de pelo menos 40 voos e ao atraso de vários outros, mas às 3:45 do horário local (1:45 por aqui), a situação foi declarada como normal e o aeroporto foi reaberto.

Claro, não durou: às 8:00 (6:00 no Brasil), novos avistamentos foram feitos e o aeroporto foi outra vez fechado para voos. Até a publicação deste texto, a situação permanece inalterada.

A situação é a seguinte: os voos com destino ao aeroporto de Gatwick estão sendo desviados para outros em toda a Inglaterra, ou até mesmo para a França, enquanto os que esperam partir de lá estão ou presos nos aviões, ou abarrotados nos terminais.

A recomendação da equipe responsável é "evitar Gatwick", os passageiros devem checar o status de seu voo antes de sair de casa junto à companhia aérea, em busca de possíveis remanejos ou mesmo reembolsos.

Não há previsão de quando a situação será resolvida, e até o presente momento, a polícia não tem a menor ideia dos grinches que estão infernizando o Natal de passageiros e profissionais.

Esta não é a primeira vez que Gatwick é "visitado" por drones: em 02 de julho de 2017, um avistamento similar levou ao fechamento do aeroporto por 14 minutos, que foi o suficiente para causar um transtorno considerável. O Serviço de Tráfego Aéreo do Reino Unido (NATS) chegou a divulgar um vídeo, mostrando o impacto que o drone causou:

O caso de hoje, no entanto é bem mais grave e pode levar a consequências futuras desagradáveis para todos os envolvidos, inclusive para quem possui e utiliza seus drones de maneira responsável. Quanto ao aeroporto, ele precisa urgente de uma solução para evitar novas invasões.

Com informações: The New York Times, Digital Trends.

Leia mais sobre: , , , .

relacionados


Comentários