Home » Entretenimento » Aladdin: Gênio de Will Smith não será azul, mas tudo bem

Aladdin: Gênio de Will Smith não será azul, mas tudo bem

Imagens da versão live action de Aladdin mostram pela primeira vez o Gênio de Will Smith, que não será azul

39 semanas atrás

A versão live action de Aladdin que está sendo dirigida por Guy Ritchie para a Disney teve suas primeiras fotos oficiais divulgadas na matéria de capa da Entertainment Weekly dessa semana, mostrando finalmente o ator Will Smith como o Gênio mais simpático de todos.

As imagens são mostram Will caracterizado como si mesmo, deixando de lado a pele azul do personagem no desenho original, quando o personagem era dublado pelo inesquecível Robin Williams. A tonalidade do Gênio pode até causar uma estranheza inicial nos fãs mais velhos do filme de 1992, mas o uso da imagem do ator faz todo o sentido, pois não faria muito sentido eles contratarem alguém tão famoso, engraçado e caro quanto o Will Smith só para escondê-lo atrás de um personagem 3D.

Capa da Entertainment Weekly mostra Will Smith pela primeira vez como o Gênio na versão live action de Aladdin

De qualquer forma, a matéria da EW deixa claro que a opção por recriar completamente o Gênio foi de Guy Ritchie, que quis encontrar uma forma de substituir o eterno Robin Williams. Eu entendo a dificuldade do diretor, já que a atuação de Williams no papel foi maior do que a vida, foi uma verdadeira força da natureza.

Nas palavras de Guy Ritchie: “A coisa grandiosa do papel do Gênio é que ele é essencialmente uma hipérbole de quem o ator individual realmente é, então o papel funciona como uma plataforma e uma tapeçaria para que um ator possa preencher com suas botas.” Não importa qual lado você escolha para enxergar, mas a escolha por Will Smith para um papel tão querido e difícil faz mesmo muito sentido, já sem o saudoso Robin Williams, existem pouquíssimos atores de hoje em dia que teriam tanto carisma e humor para emprestar ao Gênio.

O ator passou a acreditar que seria possível fazer atingir algo parecido com o voo de Williams, sem no entanto, copiá-lo. Nas palavras de Mr. Smith: “Robin Williams preencheu o personagem com uma versão atemporal de si mesmo. Comecei a me sentir mais confiante de poder entregar algo que era uma homenagem a ele mas era musicalmente diferente. Só o sabor do personagem seria diferente o suficiente para seguir em uma pista diferente, sem tentar competir.”

Cartaz da versão live action de Aladdin

O cartaz e até um teaser do filme já haviam sido divulgados pela Disney, mas sinceramente não consegui escrever um texto completo só sobre estes materiais. O pôster só mostrava a lâmpada, e o trailer simplesmente não mostrava o Gênio. Dessa vez, no entanto, podemos efetivamente imaginar como será a nova versão, na qual Will Smith vai soltar a voz, e certamente, vários raps durante as clássicas músicas do filme.

Mesmo sendo um gênio super-poderoso, Will Smith de outros atores para contracenar em cena, assim no papel de Aladdin/Príncipe Ali, o filme traz Mena Massoud da série do Jack Ryan. Como Jafar, está escalado o ator Marwan Kenzari, que apesar do nome, é um ator holandês. Não consegui descobrir quem faz o papel de Iago, feito com maestria na versão original por Bob Hoskins, se alguém souber, favor nos informar nos comentários.

Princesa Jasmine e Aladdin em imagem da Entertainment Weekly da versão live action de Aladdin

A Princesa Jasmine é Naomi Scott (a Ranger rosa do último filme Power Rangers), que também será uma das Panteras no próximo filme inspirado na velha série Charlie's Angels. O filme nem estreou ainda mas causou algumas polêmicas, a começar por Naomi ser uma atriz inglesa, e não natural do Oriente Médio, região onde a história se passa, mas eu prefiro esperar o filme estrear ou pelo menos assistir um trailer de verdade antes de criticar a escolha.

Outras críticas vieram quando o nome de Billy Magnussen foi confirmado no elenco como um novo personagem, Príncipe Anders, um possível rival romântico para o Príncipe Ali, uma decisão que levou a acusações de whitewashing. Também causou bastante revolta online o fato de atores brancos terem sido maquiados para se misturarem melhor em cenas de multidão em cenas da cidade de Agrabah.

Já que falei na cidade fictícia de Aladdin, acho que vale citar que ela foi criada inteiramente do zero, para tentar recriar o clima do desenho original da Disney da forma mais fiel possível. Essa não era a primeira opção da produção, mas após algumas tentativas frustradas de encontrar uma locação para a cidade no Marrocos, a produção decidiu criar sua própria e ensolarada Agrabah em um estúdio do tamanho de dois campos de futebol na chuvosa região de Surrey, na Inglaterra.

Polêmicas à parte, a Disney aposta forte em Aladdin, que faz parte de um grandioso pacote para conquistar o público mais novo (e seus pais), ao lado das versões live action de O Rei Leão e Dumbo, além de Toy Story 4 e Artemis Fowl, isso pra não falarmos em Capitã Marvel e Vingadores: Ultimato.

Estamos falando de vários lançamentos com grande potencial de bilheteria, e todos chegarão nas telas de cinema no próximo ano. A Disney acredita tanto no sucesso de Aladdin, que o filme foi um dos seis destaques do mega stand da Disney na CCXP, em um ambiente que mostrava a lâmpada do Gênio.

Aladdin e a lâmpada do Gênio

O roteiro do novo filme foi escrito a quatro mãos por Ritchie e John August, inspirados é claro no roteiro da animação original de Ron Clemens, Ted Elliot, John Musker e Terry Rossio. A versão live action de Aladdin chega aos cinemas em maio do ano que vem.

Clique abaixo para ver o teaser mostrado alguns meses atrás.

relacionados


Comentários