Home » Mobile » Student Voices: nem o LinkedIn está livre dos Stories

Student Voices: nem o LinkedIn está livre dos Stories

O LinkedIn quer atrair um público mais jovem, e pra isso resolveu apelar pros Stories, disponíveis pra estudantes americanos pelo Student Voices

44 semanas atrás

O LinkedIn inacreditavelmente resolveu adicionar o recurso de Stories ao seu app, com o objetivo de atingir um público mais jovem. Depois do Facebook colocar o recurso copiado originalmente do Snapchat em quatro de seus apps, e ter o exemplo seguido pelos apps do YouTube e Google, só faltava mesmo essa.

Por enquanto os Stories só estão disponíveis dentro do LinkedIn através da função Student Voices, criada para alunos de universidades nos Estados Unidos, mas a iniciativa não vai parar por aí, já que eles pretendem oferecer o recurso para outros perfis de usuários, de acordo com as informações que foram passadas ao Tech Crunch.

Student Voices é o novo recurso estilo Stories do Linkedin

Dentro dos Student Voices (ou Stories), os estudantes podem gravar vídeos curtos (por enquanto ainda não é possível compartilhar fotos) e colocar neles adesivos virtuais com as marcas das suas universidades, além de algumas hashtags sugeridas ou qualquer texto que eles queiram compartilhar.

Os Stories do Student Voices ficam reunidos em uma Campus Playlist de cada universidade, supostamente para mostrar tudo o que está acontecendo no campus naquela semana, isso se alguém efetivamente estiver usando a função. A ideia é que os estudantes usem a velha nova ferramenta pra mostrar suas experiências na universidade e em seus estágios, além de eventuais projetos que apresentem em feiras.

Segundo o TC, os vídeos ficarão visíveis por sete dias, depois serão automaticamente apagados do Campus Playlist, mas permanecerão nos perfis dos usuários que os postaram, salvos em sua atividade recente. A gerente de produto do LinkedIn, Isha Patel, disse ao TC que acredita que o uso deste recurso pode ser bom para os estudantes.

Nas palavras dela, os Student Voices são “uma ótima forma para estudantes criarem seu perfil e terem este conteúdo autêntico que mostra quem são eles, e quais são as suas experiências acadêmicas e profissionais. Ter estes vídeos em seus perfis pode ajudar os estudantes a crescerem sua rede, se preparem para a vida depois de formados e ajudar a potenciais empregadores a saberem mais sobre eles.”

Será que isso será realmente bom pra alguém conseguir um emprego? Eu tenho minhas dúvidas, mas o LinkedIn acredita que sim. Vale lembrar que eles oferecem desde 2015 aos estudantes americanos a possibilidade de ser um LinkedIn Campus Editor, e neste post, eles dizem que exercer esta função tem ajudado bastante os estudantes em suas buscas pelo emprego perfeito.

Não deve demorar muito para que o recurso seja aplicado em empresas, possivelmente para mostrar os bastidores de determinados projetos, algo que pra mim faz até mais sentido do que Stories postados de uma faculdade ou universidade. De qualquer maneira, é bom a gente se acostumar com o recurso, inclusive acredito que seja só questão de tempo até o Student Voices chegar nas nossas instituições de ensino. Do jeito que as coisas andam, daqui a pouco até app de banco vai ter Stories. Sinceramente não duvido nada.

No mesmo texto do TC, eles citam este post de uma usuária do FB, que descobriu várias pequenas mudanças feitas ontem pelo LinkedIn de olho na garotada, como a inclusão de reações e comentários em GIFs, entre outras. Não sei se vai dar certo, mas a estratégia de conseguir novos usuários entre os mais jovens está bem definida.

Antes de terminar, queria lembrar de alguns outros posts sobre o LinkedIn aqui no MB: já fazem 8 anos que eles chegaram oficialmente ao Brasil, 5 anos desde que Bill Gates começou a escrever lá como colunista, e 2 anos que a rede social foi comprada pela Microsoft por uma verdadeira fortuna, muito mais inclusive do que o valor desembolsado na compra da Nokia.

relacionados


Comentários