Home » Meio Bit » Miscelâneas » Traveler, uma máquina de escrever digital pra quem não quer levar o notebook

Traveler, uma máquina de escrever digital pra quem não quer levar o notebook

A máquina de escrever digital Traveler tem tela e-ink e Wi-Fi, e foi feita pra quem quer escrever em qualquer lugar, mas por algum motivo não quer levar o notebook.

03/10/2018 às 17:55

Desde os tempos de máquinas de escrever, algumas pessoas ficam tentando criar maneiras de recriar a experiência de escrever em um dispositivo portátil, sem perceber que um notebook faz exatamente a mesma coisa, e muito, muito mais. O Freewrite Traveler é mais uma tentativa de criar algo assim, na prática tentando um problema que ninguém mais tem faz um bom tempo, como o Cardoso gosta de falar.

Freewrite TravelerO Traveler é uma evolução da Freewrite original, também criado pela Astrohaus, e que o próprio Cardoso condenou com merecimento em seu post de alguns anos atrás. Pra quem estiver achando que ele é um concorrente do Hemingwrite, que o Ronaldo esculachou devidamente aqui, não se engane, os dois são obra do mesmo criador, Adam Leeb, um cara que definitivamente gosta da ideia que teve.

Mas nem tudo são pedras neste post, e um detalhe interessante é que o usuário pode programar metas por número de palavras ou tempo corrido e ir acompanhando o seu progresso enquanto escreve. Como ele nada mais é do que um teclado com uma tela e-ink de 6 polegadas, ele consegue ser bem leve, pesando cerca de 861 gramas.

Freewrite Traveler

A tela tem largura de 6 polegadas e ângulo ajustável, e o Traveler pode ser fechado e fica bem compacto, e assim pode ser levado tranquilamente na bolsa ou na mochila, o que como o nome diz, é justamente a proposta dele, ser levado com o usuário para onde ele for, e estar sempre disponível na hora em que ele quiser escrever seu próximo texto.

Mais do que essa portabilidade, acho que o grande benefício de um aparelho como este é que o usuário não vai poder usá-lo para acessar o Twitter ou outra rede social, assim ele tem o potencial de manter o redator ou escritor mais focado em seu material, sem oferecer distrações.

Não é nada que uma pessoa com um pouco de força de vontade não consiga fazer em seu processador de textos ou no Google Docs, basta querer. Quem quiser, também tem opções semelhantes no próprio notebook, como o Writer. Se a pessoa não tem foco, não é um dispositivo dedicado que vai dar jeito no problema, afinal de contas, o smartphone mora ao lado, e com ele, infinitas formas de procrastinar e deixar para amanhã o que deveria ser escrito hoje.

Voltando ao Traveler, todos os documentos que a pessoa digita nele são automaticamente salvos na memória interna, e também enviados para a nuvem assim que o aparelho estiver conectado a uma rede Wi-Fi, com suporte ao Dropbox, Evernote e Google Drive. A bateria dura até 30 horas de uso ou quatro semanas em stand-by, de acordo com informações da Astrohaus.

Segundo o Boing Boing, o teclado é mecânico, com teclas Cherry MX. Com um ajuste no software, vai ser possível usar o Traveler com teclados de outras línguas como o português.

Para quem acha que algo assim está fadado ao fracasso, a página da campanha do Traveler no site de crowdfunding Indiegogo mostra que não é bem assim, já que tem um monte de gente querendo uma máquina de escrever digital dessas. O Traveler já ultrapassou com sobras sua meta de US$ 50 mil, alcançando mais de US$ 211 mil até o momento em que escrevo este post, com o apoio de 660 investidores. A campanha ainda tem mais um mês pela frente.

Freewrite Traveler

Pra quem gostou da ideia de ter uma máquina de escrever digital, o Traveler tem preço sugerido de salgados US$ 600, mas pode ser comprada com valor promocional durante a campanha do Indiegogo por US$ 329. Quem apoiou a campanha de crowdfunding no começo, conseguiu comprar o seu por US$ 269. Os primeiros aparelhos Freewrite Traveler devem chegar nas mãos dos apoiadores em junho do ano que vem, com um lançamento global previsto para setembro de 2019, se tudo der certo.

Mesmo por este preço bem mais baixo que o oficial sugerido pela empresa, eu sinceramente ainda acho ele bem caro, fora que só será entregue ano que vem, na melhor das hipóteses, o que não me animaria em nada, caso eu quisesse comprar um. Quem quiser um teclado de verdade pro seu notebook, sem a frescura de querer um aparelho dedicado, existem algumas opções bem legais por aí.

Gosta de escrever tanto quanto eu, que digitei tantas palavras sobre algo que acho pouco prático, além de caro demais? Mais do que uma máquina de escrever digital, recomendo treino e dedicação pra se aprimorar na arte das técnicas de digitação, e assim conseguir escrever seus textos sem precisar olhar pro teclado. Sem ter essa habilidade que muitos consideram perdida, pra mim pelo menos seria bem complicado escrever mais do que alguns poucos parágrafos.

Saiba mais sobre o Traveler na Astrohaus.

relacionados


Comentários