Home » Ciência » Usina solar da Arábia Saudita e Softbank seria a maior do mundo, mas não verá a luz do dia

Usina solar da Arábia Saudita e Softbank seria a maior do mundo, mas não verá a luz do dia

A usina solar da Arábia Saudita e Softbank iria custar US$ 200 bilhões e seria a maior do mundo, mas foi oficialmente cancelada sem maiores explicações.

42 semanas atrás

A maior usina solar do mundo, que seria construída pela Arábia Saudita e o grupo Softbank nos próximos anos, infelizmente foi cancelada. Ao invés da usina, que custaria US$ 200 bilhões e iria produzir três vezes mais energia do que a necessidade da Arábia Saudita, o país vai estudar outros investimentos em energia sustentável.

Usina solar da Arábia Saudita e Softbank seria a maior do mundo, mas foi cancelada. Imagem: Picture-Alliance / DPA

Segundo o Deutsche Welle, representantes do SoftBank não quiseram comentar o cancelamento do projeto, mas o grupo japonês e o fundo de investimentos da Arábia Saudita ainda contam com uma parceria juntos, o Vision Fund, então o clima entre as duas partes certamente deve continuar bastante amistoso, apesar da usina solar gigante que acabou de ir pro brejo.

O Vision Fund seria um dos financiadores do projeto cancelado, mas não está parado, muito pelo contrário, está em plena atividade. O fundo já levantou US$ 100 bilhões para investir em países do Oriente Médio, África, Ásia e Américas Central e do Sul (Brasil lamentavelmente ainda não incluído), com foco na criação de empregos e em causar um impacto real, apostando principalmente em empresas de tecnologia e energia renovável.

Masayoshi Son da Softbank e o Príncipe Salman da Arábia – Foto: Bloomberg

Em março deste ano o CEO da Softbank, Masayoshi Son e o Príncipe Mohammed bin Salman anunciaram a usina solar com toda a animação do mundo em Nova York, como você pode ver na foto acima, mas o projeto acabou indo por água abaixo. Vale destacar que mesmo quando foi apresentado, o projeto já estava sendo visto com desconfiança por algumas pessoas.

Uma coisa é certa, esta usina solar não foi cancelada por falta de verba, e sim por uma questão de estratégia, afinal, dinheiro não é, nunca foi e nunca será problema para nenhum dos dois envolvidos. O Softbank tem capital de sobra, vide seu plano de investir centenas de bilhões de dólares em empresas de tecnologia, em parcerias com Apple e com o próprio governo da Arábia Saudita. Enquanto isso, os sauditas investiram US$ 1 bilhão na Lucid Motors, uma concorrente da Tesla, ou seja, o dinheiro também não está faltando.

Os representantes da Arábia Saudita disseram que “estão trabalhando em outra estratégia mais ampla e prática para estimular o uso de energias renováveis”, dando a entender que o projeto não seria tão prático quanto foi vendido em sua apresentação.

De qualquer maneira, o histórico recente da Arábia Saudita deixa claro que eles não vão ficar parados por este percalço, e devem seguir sua meta de buscar soluções viáveis para não ficar tão dependente dos combustíveis fósseis. O projeto arquivado era parte do plano de metas Visão 2030, tocado pelo ministro de energia, indústria e recursos minerais da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, que acumula o cargo com o de chefe do conselho da Saudi Aramco, a estatal petroleira saudita.

Os próximos planos para o uso de energia renovável na Arábia Saudita devem ser anunciados em uma conferência de investimentos que acontecerá em outubro na capital Riad. Energia solar não é uma solução mágica (que os digam as tais estradas solares), e sem investimento, não tem como se alcançar bons resultados, então vamos aguardar para ver qual a próxima jogada do ministro da energia da Arábia Saudita.

relacionados


Comentários