Home » Indústria » Uber e Lyft pioram trânsito e colocam mais carros na rua, dizem estudos

Uber e Lyft pioram trânsito e colocam mais carros na rua, dizem estudos

Ao contrário da expectativa, apps como Uber só pioraram o trânsito de grandes cidades dos EUA, aumentando o número de carros nas ruas, segundo dois estudos.

1 ano atrás

Dois estudos diferentes mostram que o trânsito das cidades dos Estados Unidos está piorando ainda mais com o Uber e o Lyft, pois as pessoas estão usando os apps de transporte para substituir caminhadas, percursos feitos de bicicleta ou então de ônibus ou outro meio de transporte público. Pois é, ao invés de retirar carros das ruas, como seria a utopia inicial, na prática os aplicativos de corridas estariam aumentando ainda mais este número.

O estudo mais recente é o do especialista em trânsito Bruce Schaller, que mostra que os aplicativos transportaram 2,61 bilhões de passageiros em 2017, um aumento de 37% em relação a 2016. Ao somar este número ao de usuários de táxi normais, o total vai ultrapassar os usuários de ônibus do país até o final deste ano. 70% destes usuários do Uber e Lyft estão nas nove cidades com área metropolitana mais densa dos Estados Unidos: Boston, Chicago, Los Angeles, Miami, Philadelphia, São Francisco, Seattle e Washington D.C., além é claro de Nova York.

60% dos usuários de aplicativos de corridas usariam transporte público, andariam ou pegariam uma bicicleta para fazer a corrida, se o app não estivesse disponível, enquanto 40% tirariam o carro da garagem ou pegariam um táxi. Schaller também se mostra pessimista com os veículos autônomos, que para ele, irão apenas repetir os padrões atuais, aumentando o tráfego das cidades ainda mais.

O estudo de Bruce Schaller confirma os dados da pesquisa da UC Davis, coordenada pela Dra. Regina R. Clewlow, que mostra que nas cidades americanas, de 49% a 61% das corridas feitas com aplicativos simplesmente não seriam feitas, pois seriam trocadas por caminhadas, passeios de bicicleta ou pelo uso do transporte público.

É claro que muitas pessoas que tinham carros os venderam para usar apenas apps, mas acho os dois estudos bem interessantes por levantarem estas questões. Ao redor do mundo, as cidades e os governos vêm lidando com os aplicativos de transporte de diferentes formas. Vale lembrar que aqui no Brasil, o Uber e seus concorrentes como 99, Cabify e outros, foram regulamentados pela Câmara dos Deputados este ano.

Também é bom destacar que tanto o Uber quanto o Lyft estão investindo em transporte por bicicletas, o Uber com o Jump, um serviço de aluguel de bicicletas elétricas, e o Lyft com seu sistema Lyft Bikes, criado a partir da compra da empresa Motivate, especializada no ramo.

Diminuir o trânsito das grandes cidades dos Estados Unidos é um grande desafio, e existem vários projetos mirabolantes para tentar resolver o problema, como por exemplo o Loop do Elon Musk ou a startup Zoox, que quer lançar um sistema de carros autônomos robóticos em menos de 2 anos.

Saiba mais sobre o estudo de Bruce Schaller. Clique aqui para ler o paper (PDF).

Saiba mais sobre a pesquisa na UC Davis. Clique aqui para ler o paper (arquivo PDF).

relacionados


Comentários