Home » Engenharia » Em Honra da Apollo 17 hoje é Dia do MacGyver

Em Honra da Apollo 17 hoje é Dia do MacGyver

A NASA adora uma MacGyverizada, mas poucas foram tão descaradamente bem-sucedidas como o para-lama do jipe lunar da Apollo 17, destruído por um astronauta atolado e salvo por um bando de nerds criativos. Exatos 44 anos atrás.

3 anos atrás

macgyver1

A poeira lunar é uma desgraça. Se você acha que areia de praia entrando lá onde o Sol não brilha é ruim, imagine um negócio fino como talco, eletricamente carregado e em baixa gravidade. Ela entranha, gruda cola de um jeito que ninguém imaginava, exceto Arthur Clarke, que a descreveu perfeitamente em Os Náufragos do Selene, excelente livro de 1961 que recomendo fortemente.

O pessoal da Apollo 17 já chegou avisado dos problemas da poeira lunar, tanto que seu jipe lunar era equipado com paralamas, que tinham bastante sucesso em conter a poeira.

1280px-apollo15lunarrover

Há 3 desses descansando na superfície lunar, deixados pelas Apollos 15, 16 e 17. O último foi o mais ousado, chegaram a se afastar 20 km do módulo de pouso, o que se você parar para pensar causa um extremo cagaço.

Eram veículos com baterias não-recarregáveis com autonomia de 92 km, mais de 3× o uso planejado, extremamente leves e com alguns recursos revolucionários. Ao invés de um sistema de direção complicado, as curvas eram feitas variando-se a potência nas rodas, cada uma tinha um motor individual.

A NASA providenciou até carteira de motorista para os astronautas:

james_webb_lunar_drivers_license

A NASA só não contava com um idiota desastrado chamado Eugene Cernan, que além de ter sido o último Homem a pisar na Lua, tem o mérito questionável de ser o primeiro vândalo espacial.

Esse atolado durante a Apollo 17 sem-querer meteu um martelo no para-lama do pobre jipinho, que não havia sido projetado para isso. A peça quebrou e os astronautas descobriram que mesmo sendo o para-lama traseiro, a baixa gravidade e a inércia faziam com que em movimento CHOVESSE poeira nos ocupantes.

Eles tentaram consertar, e não deu muito certo, até que o pessoal de terra entrou no circuito. Esses caras:

81972-mailbox

A missão: usando material disponível e não-essencial, MacGyverizar um conserto para o para-lama do jipe. Eles conseguiram, mas para isso os astronautas precisariam juntar:

1 - Duct Tape, a fita adesiva sem a qual não existe programa espacial (dica: o Brasil não tem Duct Tape);

2 - mapas laminados da superfície Lunar;

3 - prendedores de lâmpadas de leitura do Módulo Lunar;

4 - a perna deste cara:

20a6dcp

De posse de quase todo o material, eles limparam o máximo possível as peças, já que a poeira lunar era mortal pra fita adesiva, e improvisaram um para-lama novo. Resultado? PERFEIÇÃO, como se tivesse saído da concessionária:

ducttape_apollo17_big

É feio mas funciona, e no final trouxeram de volta o para-lama improvisado, está em exposição no Smithsonian:

nasm-a19760010000_ps03

O bicho em ação? Nesta sequência da Apollo 16, estabilizada e restaurada para remover Stanley Kubrick da cena vemos o jipe lunar em toda sua glória:


britoca — Lunar Rover (LRV) on the Moon - Apollo 16 - HD Video Stabilized

A MacGyverizada da Apollo 17 foi no dia 12 de dezembro de 1972. Dois dias depois Eugene Cernan fecharia a porta do Módulo Lunar, decolariam e seria a última vez que Humanos colocariam os pés em nosso vizinho cósmico.

Leia mais sobre: .

relacionados


Comentários