Meio Bit » Arquivo » Games » Os grandes vencedores da E³ 2006

Os grandes vencedores da E³ 2006

16 anos atrás

Para surpresa geral, inclusive dos jornalistas especializados, foi a Microsoft. Eles já possuem mais 6 milhões de consoles vendidos e até o lançamento do Playstation 3, a projeção é de 10 milhões de unidades vendidas antes mesmo do primeiro consumidor colocar as mãos no PS3 ou no Wii.

A Sony anunciou um serviço de compra de música online através do PS3, mas isso já existe e não é realmente uma novidade. As pessoas continuarão usando o iTunes. A Microsoft apresentou a ampliação de um serviço que está palpável, o XBox Live Anywhere que integra o console, o Windows Vista e dispositivos móveis com Windows Mobile. Não existe outra empresa no mundo, atualmente, capaz de fazer isso.

Na linha de jogos casuais e divertidos, pontos para Microsoft novamente e para a Nintendo. Mas enquanto a Nintendo ainda precisa apresentar mais títulos, dezenas de jogos para Arcade estarão disponíveis para XBox 360. São jogos que basicamente não precisam de instrução alguma e vários de nós perdemos investimos várias horas das nossas vidas jogando eles.

Continue lendo e entenda porque a Microsoft tem a chance de virar líder no mercado de consoles.Em defesa da Sony, eles terão um player de Blu-Ray que já possui discos de 100GB e poderá alcançar 200GB. Interessante é que a Sony sequer mencionou as vantagens de se desenvolver jogos para o novo formato de mídia na apresentação pré-E³. Talvez o PS3 se encaixe no mercado como um player de Blu-Ray barato e que ainda por cima pode rodar games. A Microsoft contra-atacou anunciando um drive de HD-DVD para o XBox 360, como opcional, deixando o consumidor pagar mais em outro momento. A capacidade do HD-DVD é menor, 45GB, mas para jogos, ainda estou esperando algum que precise usar 2 DVDs para instalação.

Um aspecto relevante é a qualidade gráfica, tão boa para o marketing. No estágio atual, os jogos para Xbox 360 estão amadurecendo e devem ficar cada vez melhores, enquanto os desenvolvedores de games continuam a ganhar experiência no desenvolvimento e a maioria dos produtos anunciados serão lançados esse ano. A impressão de jornalistas especializados e pelos vídeos que assisti é que os jogos do Xbox 360 estão tão bons ou senão melhores que os apresentados para PS3, além de muito bem acabados. Essa percepção foi reforçada pela Activision, afirmando que os jogos sendo desenvolvidos para as duas plataformas são rigorosamente idênticos.

O outro ganhador foi a Nintendo, ainda atrás da Microsoft, dividindo corações e opiniões com o Wii. Os gráficos estão muito longe do PS3 e XBox 360, mas a interface e o controle foram uma sacada tão geniais que a Sony tratou de embutir um giroscópio às pressas no controle deles, copiando descaradamente e forma equivocada, a idéia da Nintendo. Por causa do hardware, um pouco melhor que o Gamecube, supõe-se que o preço será no máximo 200 dólares.

Em termos de apresentação para jornalistas a melhor foi a Nintendo. Ver Shigeru Miyamoto e Satoru Iwata jogando tênis com o Wii foi demais. Fiquei feliz em saber que o novo Zelda será lançado no mesmo dia de lançamento do console e com versão para Gamecube também, algo inédito. Quem viu os trailers, tem idéia de como a Nintendo consegue extrair o máximo do equipamento disponível e mudando a interatividade com o console.

Que preço é esse, cara-pálida?
Na guerra de preços, a Sony perdeu feio. O PS3 irá custar a bagatela de 600 dólares, caro em qualquer lugar do mundo. Um Xbox 360 hoje custa 400 dólares. E não fique surpreso se houver redução de preços estratégica na data de lançamento do console da Sony para roubar espaço na mídia e melar o lançamento. É claro que essa última parte é pura especulação, mas é só voltar no tempo e ver que praticamente todo lançamento de produto, algum concorrente faz isso, com reduções de preço entre 10% e 20%.

Assim que eu soube, pensei logo: 1 PS3 = 1 XBox 360 + 1 Wii. Sinceramente, nesse momento, eu ficaria com a segunda proposta. Ainda é cedo para dizer que o Playstation 3 será um fracasso de vendas, pois o mercado irá ditar os vencedores, mas o preço está extremamente proibitivo.

A Sony deve ter alguma carta na manga pois não são bobos. Mas os jogos precisam melhorar bastante em relação ao seu competidor que já está no mercado para convencer a elite do consumo. Definitivamente, o foco não é o mercado de massas, que está na faixa etária dos 15 aos 21 anos. Nos EUA, compra-se um carro usado por 700 dólares, por exemplo. Ou seja, o console completo irá custar em torno de 800 dólares para jogar 1 título exclusivo online. Isso é muito dinheiro e parece subsídio para o drive de Blu-Ray.

Com um preço desses e os jogos da concorrência são iguais e tão bons quanto em aspectos visuais a Sony pode acabar vendendo bem apenas nos mercados asiáticos. E eles ainda correm o risco de perder feio para a Nintendo. Com o preço de 1 PS3, compra-se 3 Nintendo Wii, um para você e 2 de presente.

E todo aquele poder de processamento do PS3, para onde foi?
Até o momento, alta resolução. Os jogos de PS3 poderão rodar em resoluções de até 1920 x 1280, mas apenas os abastados com aparelhos de TV com essa capacidade poderão ver os jogos em toda sua glória "hi-def". Aqui no Brasil, só monitores de computador profissionais possuem resolução tão alta. Nos vídeos disponíveis, faltaram efeitos de partículas e as texturas e shaders não me parecem melhores que os jogos de PC como FEAR. Mas como estão em fase beta, talvez seja acrescentado/melhorado nas versões finais.

O PS3 só vai realmente mostrar todo seu potencial uns 2-3 anos depois de lançado com o amadurecimento dos compiladores, revisões de hardware e técnicas de programação melhoradas. Eles já mostraram isso com o Ps2 e podem muito bem fazê-lo novamente. Resta saber se o mercado irá pagar o que eles estão pedindo. A Microsoft apresentou o que os consumidores realmente querem: jogos, muitos jogos e em estágios finais de desenvolvimento, tanto casuais quanto para gamers hardcore. Até o Natal desse ano, mais de uma dúzia de motivos para adquirir um XBox 360. A Nintendo apostará em preço, interface e jogabilidade, mas ainda será a grande incógnita no final de 2006. O potencial está palpável e quem jogou, não se arrependeu nem um pouco.

relacionados


Comentários