Meio Bit » Games » Gran Turismo e o fim das exclusividades nos consoles

Gran Turismo e o fim das exclusividades nos consoles

Kazunori Yamauchi fala sobre a possibilidade de o Gran Turismo 7 ser lançado para PC e com isso vemos mais uma marretada no muro da exclusividade

9 semanas atrás

Embora os fãs mais fervorosos (leia-se, fanboys) não gostem da ideia, a verdade é que a era das exclusividades nos consoles nunca esteve tão perto de acabar. Com a Microsoft tendo adotado a política de lançar seus jogos simultaneamente no PC, a Sony ainda prefere esperar alguns meses para fazer o mesmo e uma série que pode estar perto de fazer sua estreia nos computadores é a Gran Turismo.

Gran Turismo 7

Crédito: Divulgação/Polyphony Digital

Podendo ser considerada um dos últimos grandes exclusivos da empresa japonesa, o clamor por adaptações dela para o PC tem sido ouvido há muitos anos, o que é justificável. A série Gran Turismo foi a porta de entrada para muitas pessoas quando se trata de jogos de corrida que pendem para a simulação, o que consequentemente fez com que elas desenvolvessem uma ligação afetiva com a criação da Polyphony Digital.

O problema é que boa parte daquele público não se manteve na família PlayStation e ter a franquia disponível nos computadores poderia ser a maneira ideal de voltar a ela. Então, quando a Sony passou a liberar alguns dos seus exclusivos, o sonho de um GT mais acessível se tornou mais fácil de ser realizado.

A boa notícia para os interessados é que ao ser questionado se o último capítulo da série pode fazer o mesmo caminho de alguns dos outrora exclusivos do PlayStation, Kazunori Yamauchi foi categórico e disse que sim. Logo depois o criador da série explicou por que o PC poderia ser uma boa opção para o jogo.

“O Gran Turismo é um título muito afinado,” disse Yamauchi. “Não há muitas plataformas que poderiam rodar o jogo em 4K/60 fps nativamente, então uma maneira de tornar isso possível é restringindo a plataforma. Não é um assunto muito fácil, mas é claro que estamos analisando e considerando isso.”

Obviamente, qualquer desenvolvedor sempre quer ter acesso a uma plataforma parruda, onde poderia entregar o jogo tecnicamente mais avançado possível. Porém, a justificativa dada por Kazunori Yamauchi cai por terra ao lembrarmos que o Gran Turismo 7 recebeu uma versão para o PlayStation 4 e no caso do primeiro modelo daquele videogame (não Pro), o jogo só alcança 1080p (com 60 fps, é verdade).

Crédito: Divulgação/Polyphony Digital

De qualquer forma, a revelação de que o PlayStation Studios estaria cogitando finalmente oferecer um capítulo da franquia no PC não chega a ser uma grande surpresa. Nos últimos anos eles fizeram isso com algumas das marcas mais poderosas da empresa, como Uncharted, Horizon Zero Dawn, Marvel’s Spider-Man, LittelBigPlanet (através do Sackboy: Uma Grande Aventura) e até mesmo o God of War se desvencilhou das amarras da exclusividade.

Logo, aproveitar uma plataforma em que o público costuma ser tão apaixonado pela simulação parece ser um movimento natural. Por outro lado, pode ser justamente a grande oferta de títulos do gênero — e com alguns deles se aproximando muito mais do realismo do que a série da Polyphony Digital — aquilo que pode causar algum temor na Sony.

Ao olhar para franquias como um Assetto Corsa, iRacing, rFactor, Automobilista ou mesmo a agora finada Project Cars, pode ficar a impressão de que algo como o Gran Turismo não terá muito espaço entre a “Master Race”. Também não ajuda o fato de um novo Forza Motorsport estar previsto para chegar no segundo trimestre de 2023.

No entanto, temos que levar em consideração que o público a que os jogos da Sony se destinam é aquele que não está à procura de algo tão técnico e exigente quanto os títulos supracitados, ficando mais no limite entre uma jogabilidade arcade e a simulação. Além disso, existe toda a questão sentimental já mencionada e por mais que a série tenha evoluído muito desde o seu início lá em 1997, há muito nela que ainda remete ao jogo que apareceu no primeiro PlayStation.

O bom e velho teste para tirar carteira (Crédito: Divulgação/Polyphony Digital)

Sendo assim, acredito ser apenas uma questão de tempo até que a Sony anuncie que o GT7 está chegando ao PC e quando isso acontecer, a família PlayStation perderá a exclusividade de um dos seus últimos pilares. Mas enquanto os fanboys lamentarão o fim dessa exclusividade e externarão na internet todo o seu ódio contra a empresa que juraram defender até o fim de seus dias, o resto comemorará a queda de mais uma barreira.

No entanto, essa é uma luta que se desenrolará por um bom tempo. Assim que soubermos que jogar Gran Turismo num PC se tornará realidade, será o momento de torcer para que o mesmo aconteça com o Ghost of Tsushima, com o Bloodborne, com os jogos do Team ICO, com a fantástica série Ratchet & Clank ou com os inFamous.

Talvez um dia olharemos para trás e nos lembremos sem nenhum saudosismo de quando a exclusividade ainda era o padrão. Pode ser que cheue o momento em que até mesmo a Nintendo resolva ceder à ideia de alcançar um público maior adotando o PC, mas quanto a isso eu já não guardo muita esperança.

relacionados


Comentários