Home » Internet » Twitter anuncia medidas contra deepfake e mídias manipuladas

Twitter anuncia medidas contra deepfake e mídias manipuladas

Mídias manipuladas para prejudicar outros, como deepfake e vídeos editados fora de contexto, serão marcados e terão alcance reduzido no Twitter

05/02/2020 às 10:00

O Twitter anunciou nesta terça-feira (04) um plano para conter o compartilhamento de conteúdo de mídia manipulado, de deepfakes a imagens e vídeos editados ou tirados de contexto, com o intuito de prejudicar indivíduos ou grupos.

Como forma de combater a desinformação, tais mensagens poderão ser assinaladas  ou ter seu alcance reduzido, entre outras sanções a quem as compartilhar.

PhoMIX-Company / Twitter / Pixabay

A medida do Twitter, que entra em vigor a partir de março, visa banir ou reduzir sensivelmente o alcance de vídeos, imagens ou qualquer outro tipo de mídia que tenha sido manipulada com a intenção de causar danos, desde denegrir um usuário a incitar confusão, pânico e reações de ódio e violência em massa.

Segundo a rede social, após realizar pesquisas junto aos usuários, foi constatado que 9 em cada 10 pessoas acham que tais mídias devem ser sinalizadas, e mais de 90% acreditam que se tal conteúdo possui o potencial de causar danos, ele deveria ser removido da rede social.

Assim, o Twitter delineou uma série de procedimentos que passarão a ser tomados a partir do dia 5 de março de 2020: de forma geral, o usuário não poderá mais publicar nenhum tipo de mídia sintética/manipulada de forma deliberada. Os critérios de identificação são os seguintes:

  1. A mídia recebeu inserções ou sobreposições de áudio e vídeo, como deepfakes;
  2. A mídia foi editada (enquadramento, cortes, alteração na sequência, etc.) que a difere da fonte original, de modo a alterar seu contexto;
  3. A mídia representando uma pessoa real é simulada, por exemplo, com um ator se passando pelo alvo.

O conteúdo do tweet todo é analisado, não só a mídia: segundo o Twitter, será levado em conta o texto e metadados ligados à mídia, o usuário que a postou e os sites e grupos aos quais o perfil é ligado.

Embora não tenha dado tal informação, essa medida deixa claro que os usuários que compartilham mídias manipuladas não estarão livres de sanções, correndo inclusive o risco de serem banidos da rede social por violação dos Termos de Serviço.

O contexto do compartilhamento também será levado em conta, mas não explica se por exemplo, um perfil que repassar um vídeo para a frente como uma denúncia será ou não penalizado.

Mensagens potencialmente perigosas, capazes de induzir a manifestações de violência contra um indivíduo ou grupo, ou voltadas a intimidar ou a calar outros perfis, poderão ser apagadas uma vez que forem identificadas como sintéticas; outras poderão receber um dou mais de um dos tratamentos seguintes, ou todos eles, dependendo de cada caso:

  1. O tweet será marcado com um aviso de mídia manipulada;
  2. O tweet exibirá um aviso antes que outro usuário curta ou dê um RT;
  3. O tweet terá sua visibilidade reduzida e/ou não poderá ser recomendado;
  4. O tweet será ligado a uma página com mais explicações e contexto adicional sobre a mídia.

Segundo Del Harvey, vice-presidente de Confiança e Segurança do Twitter, as medidas valem para todo mundo, embora seja fato notório de que a rede social tem lado, e o time de revisores entrará em ação para combater qualquer tipo de mídia manipulada, independente de quem a esteja propagando e quem seja o alvo dos ataques.

Por outro lado, o Twitter admite que "pode" cometer erros, mas que estão dedicados a fazer o recurso "funcionar direito". Isso, só saberemos com o tempo.

Com informações: Twitter, The Verge, Mashable.

relacionados


Comentários