Home » Mobile » Teclado que utiliza a câmera frontal será exibido pela Samsung na CES

Teclado que utiliza a câmera frontal será exibido pela Samsung na CES

Projeto nasceu em uma fomentadora e aceleradora de ideias chamada C-Lab, dentro da própria Samsung

25 semanas atrás

Na CES deste ano, que rola semana que vem em Las Vegas, a Samsung vai levar cinco projetos que nasceram dentro de sua incubadora de ideias chamada de C-Lab, incluindo um teclado virtual que sabe o que você digitou ao ler os movimentos dos dedos com a câmera frontal de um smartphone.

Samsung selfietype

O C-Lab é uma área dentro da Samsung que recebe ajuda (moral, financeira e o que mais precisar) da própria empresa para que ideias de seus funcionários possam virar produtos de verdade em algum momento, sem nenhuma distinção de quem é o colaborador ou qual área a pessoa trabalha - basicamente o fulano apresenta a ideia, as pessoas votam nela e a Samsung ajuda no restante. Eu explico como o C-Lab funciona neste post que escrevi quando fui para a Coreia do Sul, eu clicaria neste link se fosse você.

SelfieType

Neste ano, enquanto carros não voam, algumas ideias que cresceram lá dentro serão apresentadas pela Samsung em seu gigantesco estande dentro da feira. O que chama mais atenção é o SelfieType, que utiliza a câmera frontal de um smartphone para criar um teclado virtual em uma superfície.

Ele utiliza uma engine de inteligência artificial chamada SelfieType AI, que analisa o movimento dos dedos da pessoa e recria o que seria um teclado QWERTY completo, igual ao que você utiliza no seu computador. A Samsung diz que a ideia não exige nenhum hardware extra para o smartphone e pode ser utilizada em tablets, celulares e até computadores.

Eu só acho que seria bacana ter um teclado impresso, numa folha A4 mesmo e que servisse de gabarito pra você saber qual a distância correta entre as teclas, pra saber se um movimento para direita depois do “D” vai levar pro “G” ou direto pro “L”.

Hyler

hyler samsung

A segunda ideia tem o nome que está na linha acima e funciona como uma caneta digitalizadora. Ela armazena o texto que a ponta tipo-marca-texto viu ao passar pela linha que foi marcada. Parece algo bacana, mas ainda faltam informações sobre a utilidade, como se é a ponta que “vê” o texto, ou se a digitalização acontece de outra forma.

Becon

Este produto é um hardware que consegue analisar a condição da careca de um fulano ou uma fulana. A ideia é de ajudar no acompanhamento do problema de casa mesmo, com sugestão para solução e um gráfico que ajuda ao usuário entender quanto de cabelo já perdeu. O gadget é capaz de analisar dez detalhes diferentes, como densidade dos folículos, quantidade de pele morta, sensibilidade da área, temperatura e umidade, tudo com ajuda de aprendizado de máquina.

SunnySide

sunnyside samsung

Este projeto é uma espécie de janela que tem uma faixa de LEDs que ajuda qualquer serumaninho que precisa de alguma luz natural, mas não tem nenhuma onde está - quando faltam janelas, por exemplo. A fita analisa a luz solar do local (não sei como, a Samsung não explicou isso) e replica o que sabe pra dentro, acompanhando a quantidade de luz e até as cores - indo do branco do da hora do almoço, pro amarelo do entardecer e avermelhado do fim do dia.

O mais bacana e importante é que quem criou o projeto diz que a luz emitida consegue ajudar na produção de vitamina D pelo corpo, que precisa de luz ultravioleta B pra ser sintetizada pelo corpitcho. Tudo isso sem o problema que é a queimadura solar pra quem é sensível, ou a luz solar pros góticos mesmo. Curti.

Ultra V

O último projeto é uma pulseira que é capaz de monitorar a exposição do corpo aos raios UV do solzinho lá do céu, que ajuda o pessoal como falei o parágrafo acima, mas queima como também falei no parágrafo anterior. A pulseira faz a leitura da luz ultravioleta e sabe até mesmo quanto dessa luz foi utilizada pelo corpo para sintetizar a vitamina D. Parece bobeira, mas é ótimo pra quem precisa dessa vitamina e detesta luz solar, tipo eu.

A Samsung também deu a mão (entenda como recursos humanos ou dinheiro) pra ajudar quatro ideias que vieram de fora e nasceram em forma de startup, colocando a gigante coreana como incubadora mesmo. A lista inclui um robô que interage com pessoas e é chamado de piBo, um aplicativo que faz controle de exercícios físicos e tem o nome de FITT.

piBo

Um sensor que pode ser colocado em qualquer coisa que tem uma interface de uso e que transforma o movimento das mãos das pessoas, assim como o dos olhos, pra mover o que está na tela e isso tem nome de Vtouch. Por fim o Smoothy é um aplicativo que faz chamada de vídeo em grupo e com uso dos AR Emoji, que a Samsung inventou no Galaxy S9 e que não são tão famosos como a origem dessa ideia, lá na Apple com os iPhones.

Todas as ideias, projetos, gadgets e apps serão exibidos na CES, que acontece semana que vem em Las Vegas.

Com informações: Samsung.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários