Home » Hardware » Facebook passará a coletar dados da Oculus para exibir anúncios

Facebook passará a coletar dados da Oculus para exibir anúncios

Até que demorou: Facebook coletará dados de usuários que usam dispositivos Oculus ligados à conta na rede social, para a exibição de anúncios

13/12/2019 às 9:00

A promessa do Facebook de não coletar dados da Oculus acabou: a companhia alterou os Termos de Privacidade da divisão responsável pelos óculos de Realidade Virtual, onde informações dos usuários passarão a ser compartilhadas através do login na rede social, para a óbvia exibição de anúncios.

David Paul Morris / Mark Zuckerberg usando um Oculus Rift / Bloomberg / facebook oculus

Quando o Facebook e a Oculus VR (hoje Facebook Technologies, que usa o nome-fantasia Oculus) anunciaram o processo de aquisição em março de 2014, muita gente se sentiu traída pela startup, em especial os que financiaram o Oculus Rift original via financiamento coletivo; ao mesmo tempo, o FUD de que a rede social em algum momento passaria a coletar os dados dos usuários se instalou, e convenhamos, de forma justificada.

O Facebook e a Oculus passaram anos tranquilizando os consumidores, dizendo que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa, e até o então CTO John Carmack (que se afastou da Realidade Virtual) não acreditava que a privacidade dos usuários estava em risco. Por outro lado, o programador foi minimamente sensato ao dizer que se você não quer ter seus dados coletados, devia ter o direito de impedir o processo, já visualizando uma possível mudança de ideia do Facebook.

Agora, cinco anos depois o Facebook se tocou de que ter uma plataforma e não coletar dados através dela não faz sentido, de forma semelhante ao que aconteceu com a aquisição do WhatsApp. A diferença é que a mineração de dados não será obrigatória, o usuário poderá dissociar a conta Oculus de seu perfil na rede social; quem o fizer sim, terá dados coletados e receberá anúncios direcionados em troca.

Oculus / oculus facebook

A justificativa para o compartilhamento de dados entre a Oculus e o Facebook, segundo a empresa visa "criar mais experiências sociais" em Realidade Virtual, como o Facebook Horizon, plataforma de imersão e rede social em RV que será lançada oficialmente em 2020. A empresa quer usar os acessórios não como um dispositivo apenas para jogos, mas para proporcionar uma interatividade similar à ideia do Holodeck.

Os novos termos esclarecem quais dados são coletados:

  • Dados dos apps de RV, para a recomendação de apps similares;
  • Lista de amigos do Facebook, para sugerir se conectar a eles em jogos e experiências;
  • Convites para eventos recebidos ou criados pelo usuário;
  • Informações pessoais, como nome e metadados de mensagens em conversas;
  • Fotos e conteúdos relacionados, incluindo legendas, curtidas e comentários;
  • Informações sobre sua atividade geral na plataforma Oculus, para a exibição de anúncios relacionados.

O usuário que já usa o perfil do Facebook com seu dispositivo Oculus poderá remover a integração a qualquer momento, mas alguns dados ainda serão compartilhados: contas marcadas como abusivas, por exemplo, receberão sanções tanto no Facebook quanto no Oculus.

No fim das contas, quando uma empresa diz que "nunca" irá coletar dados de um novo serviço adquirido, mantenha em mente que a frase continua com "até o dia em que mudarmos de ideia", o que eventualmente sempre acaba ocorrendo.

Com informações: Oculus.

relacionados


Comentários