Home » Games » Roteirista do Left 4 Dead quer revolucionar sistema de matchmaking

Roteirista do Left 4 Dead quer revolucionar sistema de matchmaking

Colocando pessoas parecidas numa mesma partida, Chet Faliszek diz que o seu novo jogo quer mudar a maneira aleatória como o matchmaking funciona atualmente.

07/11/2019 às 8:30

Eu adoro jogos cooperativos. Poder encarar uma campanha ao lado de outras pessoas é algo que pode tornar a experiência muito mais divertida e até salvar títulos que de outra forma seriam no máximo medíocres. Porém, você já tentou organizar uma partida com jogadores aleatórios, utilizando o sistema de matchmaking dos jogos?

Left 4 dead 2 - Matchmaking

Se a resposta for positiva, existe uma grande chance de que o resultado não tenha sido muito bom, pelo menos em boa parte das vezes. Pessoas mal educadas, que muitas vezes só estão interessadas em fazer bagunças ou cujo estilo de jogo simplesmente não combina com o seu. Sabe aquele cidadão que sai correndo na frente do resto da equipe, só para concluir a missão o mais rápido possível? Então…

Pois foi pensando nisso que Chet Faliszek, ex-roteirista da Valve e que trabalhou na criação de jogos como Half-Life 2, Left 4 Dead e Portal passou a trabalhar numa solução. Atualmente desenvolvendo um jogo no seu novo estúdio, o Stray Bombay, o game designer revelou que a ideia é fazer com que os jogadores se encontrem de acordo com seus comportamentos e personalidade. Hoje tudo acontece de maneira aleatória, com os games nos incentivando a continuarmos jogando juntos caso os estilos tenham combinado numa partida anterior.

É como dizer ‘ei, tivemos um primeiro encontro, vamos nos casar.’ Isso está realmente ultrapassado. Mas se você souber, sessão após sessão, o que está acontecendo, poderá dizer ‘ei, essas pessoas jogam juntas, estão procurando por uma partida agora na quinta-feira, então vamos colocá-las juntas na sala e lhes dar a oportunidade de jogar novamente.’ Para nós, as métricas se tratam do social, não da habilidade.”

De acordo com Faliszek, atualmente ninguém tem feito o matchmaking de maneira social como eles, com o jogo que estão criando podendo aumentar ou diminuir a dificuldade das partidas de acordo com o histórico da equipe. Imagine por exemplo que você e seus amigos passaram por quatro partidas sem muitos problemas, então o título ajustará o desafio para que na próxima tudo seja muito mais desafiador.

Para chegar a tal resultado o pessoal da Stray Bombay contará com a ajuda de uma das fundadoras do estúdio, Kimberly Voll. Sendo uma ex-funcionária da Riot Games, ela tem doutorado em ciência da computação e se especializou em inteligência artificial e na psicologia dos jogadores.

Ainda sem um nome definido e sem uma data para ser lançado, o FPS está sendo desenvolvido com a Unreal Engine e Faliszek afirmou que a intenção deles não é disponibilizar algo tecnologicamente inovador. Mesmo assim, como não ficar empolgado com a promessa de que as partidas realizadas pela internet poderão vir a se tornar muito mais  interessantes do que aquilo que temos hoje?

Bom, como um grande fã do Left 4 Dead 2, fico na expectativa para que o trabalho da dupla nos entregue algo próximo do nível do que tínhamos na série da Valve. Contudo, por mais que esse conceito de matchmaking proposto por eles não se mostre tão bom quanto parece no papel, dado o histórico doFaliszek ao menos deveremos ter uma narrativa bem acima da média.

Fonte: VG247.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários