Home » Ciência » Margaret Hamilton homenageada pelo Google usando a Lua e 107 mil espelhos

Margaret Hamilton homenageada pelo Google usando a Lua e 107 mil espelhos

Margaret Hamilton, cientista de computação do Projeto Apollo é homenageada pela equipe do Google Maps, usando a Lua, Inteligência e uma Usina de Energia Solar

31/07/2019 às 19:25

Muita gente espalha memes com a imagem de Margaret Hamilton dizendo que ela programou o software da Apollo 11, outros dizem que a clássica foto é ela do lado do código que escreveu, mas isso é diminuir sua contribuição.

Ela foi muito mais do que uma programadora, sem desmerecer os programadores, exceto os programadores ASP, morte a eles.

Maggie desenvolveu metodologias inteiras, como detalhado neste artigo, mas sua grande contribuição foi graças a sua melhor beta-tester: Lauren, sua filha.

Sim, Margaret de vez em quando levava a filha para o trabalho no MIT, pois se aqueles banheiros segregados que mostram em Hidden Figures não existiam na NASA no tempo do Projeto Mercury, a vida das mulheres de todas as cores não era exatamente um mar da tranquilidade de rosas, e na falta de uma creche, Lauren ficava brincando nos simuladores.

Margaret Hamilton e parte da equipe do MIT

Uma hora algo esquisito ocorreu: O simulador travou. Lauren, como todo usuário (idade é irrelevante aqui) fez algo que não deveria ter feito: Rodou o programa P01, usado no pré-lançamento. Esse programa já havia sido executado, quando foi rodado com a nave já em vôo, o computador, que já não era muito esperto, ficou completamente confuso com os parâmetros desalinhados, o primeiro estágio que não existia mais e a estranha velocidade com que a plataforma de lançamento se movia, e deu kernel panic, embora na época o kernel ainda não tivesse sido inventado.

Você acha que foi o primeiro a colocar comentários engraçadinhos no código-fonte?

Hamilton percebeu que aquilo poderia ser um problema, escreveu um memorando detalhando o bug e especificando os métodos de tratamento de erro para, caso o programa seja executado fora de ordem, o sistema identifique e não permita.

A resposta da NASA foi "Não se preocupa, astronautas são inteligentes, eles nunca vão rodar um programa fora de ordem".

Ela reclamou, explicou que usuário é usuário, que acidentes acontecem, que todo mundo erra. "Eles não erram, são astronautas".

Não adiantou, e ela esperou o inevitável. Na quinto dia da missão da Apollo 8 Jim Lovell selecionou o programa P01 por engano, e claro, o computador travou. A NASA foi atrás de Margaret com a maior cara de bunda da História, ela fez a maior cara de "eu te disse" de todos os tempos, e repassou pra equipe a tarefa de criar as rotinas de tratamento de erro.

Quando um bug nos procedimentos manteve um radar acionado durante o pouso da Apollo 11, sobrecarregando os computadores e gerando o famoso erro 1202, foram as diretrizes de Margaret Hamilton que mantiveram o sistema funcionando, evitando que o pouso fosse abortado e a missão terminasse em fracasso, ou pior, que o computador travasse nos momentos finais e Neil e Buzz se esborrachassem na Lua.

Ao contrário de muitas histórias semelhantes, Margaret Hamilton nunca foi negligenciada, suas contribuições sempre foram reconhecidas, respeitadas e ela recebeu muitas honrarias, de prédios a doutorados honorários, mas nada tão importante quanto ter sua própria figura de Lego:

Hoje em dia ela é uma velhinha ativa e propositiva, que foi acordada com um telefonema bem estranho: Um grupo do Google resolveu homenageá-la usando uma fazenda solar gigante em Ivanpah, no Deserto do Mojave. De noite.

A instalação normalmente usa espelhos controlados por computador para direcionar a luz do Sol para uma torre concentradora que produz mais de 400MW de energia para os moradores da Califórnia. O tributo seria feito de noite, com a Lua cheia. Os espelhos seriam precisamente posicionados para no momento certo refletir o luar formando uma imagem.

Isso envolve uma tonelada de cálculos, o ângulo de cada espelho precisa ser preciso, levando em conta não só a posição da Lua como a do observador, do contrário o reflexo não gerará a imagem correta.

Os técnicos que controlam o espelho de Israel sequer sabiam se daria pra ser feito, mas como bons nerds, encararam isso como desafio, e -spoilers- eles conseguiram!

A imagem, com 3.6Km2 de área ficou perfeita, e no final Margaret Hamilton ainda ganhou uma cópia da foto!

Leia mais sobre: , , , , .

relacionados


Comentários