Home » Software » Prepare-se: o Windows 7 só tem mais um ano de vida

Prepare-se: o Windows 7 só tem mais um ano de vida

Suporte estendido do Windows 7 para usuários finais será encerrado em janeiro de 2020; empresas poderão pagar por atualizações até 2023

13 semanas atrás

O Windows 7, a versão do sistema operacional da Microsoft mais popular desde o XP está prestes a ser derrubada do telhado: o suporte estendido será encerrado no dia 14 de janeiro de 2020, e a partir dessa data, os usuários finais não mais receberão atualizações de segurança.

Desktop / Windows 7

Lançado em 2009, o Windows 7 foi uma mea culpa da Microsoft, que viu seus planos naufragarem em relação ao Vista. O então sucessor do XP foi desenvolvido tendo em mente computadores novos, por isso ele exigia recursos consideráveis para a época. A ideia de Redmond era forçar todo mundo a comprar computadores novos, e como a maioria se recusou, o sistema foi muito mal recebido. A crise de 2008 também ajudou a melar os planos.

No fim, a Microsoft mudou sua mentalidade e decidiu que "menos é mais". O Windows 7 foi o resultado de uma otimização de código massiva, ao ponto dele rodar tranquilamente em máquinas otimizadas para o Windows XP. Isso e outros fatores (a repulsa ao Windows 8 e 8.1, por exemplo), ajudou a mantê-lo vivo por uma década, e os usuários se recusavam a migrar para o Windows 10.

Como consequência, o Windows 10 só ultrapassou a base instalada de usuários do Windows 7 em novembro de 2018, de acordo com o site NetMarketShare; na última medição, o primeiro respondia por 39,22% do market share entre usuários da Microsoft, contra 36,9% do segundo. A principal preocupação da Microsoft é o mercado corporativo, ela não quer que aconteça o mesmo que com o XP.

Assim, o suporte estendido do sistema, iniciado em 2015 foi fixado em cinco anos para usuários finais, e todas as versões do Windows 7 deixarão de receber atualizações de segurança a partir de 14 de fevereiro de 2020. Para estes a alternativa será migrar de sistema, preferencialmente para o Windows 10, e claro, se necessário atualizar seus dispositivos.

Para usuários corporativos, a Microsoft manterá as Atualizações Estendidas de Segurança (ESU) para as licenças por volume das versões Professional e Ultimate até janeiro de 2023, mas não só tal opção de suporte é paga, como será cobrada por máquina e o valor será reajustado anualmente. A intenção de Redmond é forçar as empresas a avaliarem o que é melhor e mais barato, se manter o Windows 7 e pagar por atualizações, ou migrar para o Windows 10 de uma vez.

O suporte estendido ao Windows 8.1 será encerrado em 10 de janeiro de 2023, enquanto o Windows 10 possui um regime diferente: cada nova versão conta com 18 meses de suporte para usuários finais e corporativos, sendo a exceção os pacotes lançados no segundo semestre; estes recebem atualizações por 30 meses, mas apenas nas versões Enterprise e Education. Já as versões Enterprise LTSC/LTSB continuam com o ciclo fixo de cinco anos de suporte base, e mais cinco de estendido.

Assim, a Microsoft vai se preparando para fechar as cortinas do Windows 7, enquanto incentiva todo mundo, público e empresas a abraçarem de vez o Windows 10.

Com informações: Ars Technica.

Leia mais sobre: , , .

relacionados


Comentários