Home » Hardware » Microsoft possui um belo museu particular de placas de vídeo

Microsoft possui um belo museu particular de placas de vídeo

Microsoft ama legado: a equipe de desenvolvimento do Direct3D possui um museu particular com centenas de placas de vídeo. 35 anos de história em mais de 400 GPUs dedicadas.

22 semanas atrás

Se há algo que a Microsoft ama é legado. Os programas que rodavam no DOS, em teoria, rodam no Windows 3.1. E os programas que rodam no Windows 3.1 em teoria rodam no Windows 95 e assim por diante, certo?

Mais ou menos. Devido a alguns problemas de compatibilidade, alguns jogos do DOS falhavam no Windows 95. Foi então quando a Microsoft resolveu criar um SDK específico para games, que incluía um belo pacote de APIs chamado DirectX.

Ao incentivar os desenvolvedores a usarem o DirectX para rodar jogos e outros aplicativos multimídia no Windows, a gigante de Redmond garantiu, em teoria, que os jogos mais antigos teriam menos problemas ao rodarem em versões mais recentes do sistema operacional. Um dos componentes do DirectX é o Direct3D (ou D3D), API que cuida da renderização de gráficos tridimensionais.

Pois bem, para garantir a compatibilidade dos jogos e aplicativos multimídia, a equipe da Microsoft responsável pelo Direct3D, nesses 24 anos, teve que testar tal API em centenas de modelos de GPUs: desde as dedicadas (placas de vídeo), passando pelas GPUs integradas em diversas placas-mãe e as mais recentes APUs / SoCs.

Em vez de guardarem tanta placa de vídeo em algum arquivo, eles resolveram pregar todas elas nas paredes, fazendo uma espécie de linha do tempo dos processadores gráficos dedicados.

Laguna_Direct3D_GPU_wall

O Corredor da História das GPUs (crédito: Direct3D)

A equipe Direct3D conseguiu organizar um corredor com nada menos que 402 placas de vídeo, representando 35 anos de história das GPUs dedicadas para desktop. Um verdadeiro museu particular de placas de vídeo. Por questões práticas, não acharam interessante colocar mais algumas centenas de placas-mãe nas paredes.

O item mais antigo é uma placa de vídeo ISA de 8 bits da IBM, 1501486 XM, que gerava sinal CGA. Foi um item lançado no mercado civilizado em 1983. É possível constatar que ao menos a equipe D3D deve ter incluído (ou tentado incluir) alguma compatibilidade com tal placa de vídeo balzaquiana no DirectX 2.0.

Um dos itens que o tio Laguna acha mais interessante é este abaixo.

Laguna_GeForce_3_Xbox

Trata-se de uma GeForce 3 utilizada no kit de desenvolvimento do Xbox original. Como na época em que a Microsoft anunciou a entrada dela no mercado de consoles, o DirectX Box ainda não possuía um hardware final na linha de produção, o jeito foi mandar aos desenvolvedores um computador desktop com o hardware mais próximo possível.

É interessante notar que o Xbox foi o palco de teste para a nVidia lançar logo a seguir, para os desktops, sua solução de GPU integrada para placas-mãe, os chipsets nForce. Os primeiros nForce consistiam de modelos tanto para processadores centrais AMD, quanto para CPUs Intel. Depois de a AMD adquirir a ATi, em 2006, a nVidia preferiu continuar com o nForce somente para processadores Intel.

Laguna_Xbox_nForce_Southbridge

nVidia nForce MCPX X3, a southbridge do primeiro Xbox (crédito: Diego3336)

Voltando ao Corredor da História das GPUs, o pessoal da Microsoft divulgou apenas algumas fotos em baixa resolução desse arquivo fantástico das placas de vídeo. Shawn Hargreaves, integrante do time de desenvolvimento do D3D, diz que tal museu estaria aberto para as visitas da equipe. O tio Laguna adoraria ir bater alguns papos cabeça com essa galera. E tirar melhores fotos.

Fonte: PC Gamer.

relacionados


Comentários