Mais Star Wars — Disney anuncia outra trilogia para o cinema e várias séries para streaming

A Disney deixou bem claro anos atrás que pretende fazer de Star Wars uma franquia infinita. O motivo é simples, o universo criado por George é muito, muito maior que as mazelas familiares dos Skywalker e é possível extrair um sem número de histórias da galáxia muito, muito distante. É possível explorar não só personagens e acontecimentos familiares aos fãs que nunca foram mostrados (como a série Uma História Star Wars vem fazendo), como adentrar em regiões não conhecidas ou ir muito para a frente ou para trás na linha temporal. Basicamente não há limites, a Casa do Mickey pretende criar conteúdo para sempre e nem você, nem eu nem ninguém consumirá tudo em vida.

E ela vem preparando o terreno desde já. Além da trilogia principal para o cinema já em curso e a animação Star Wars Rebels, que será encerrada em breve há planos para a sub-franquia Uma História Star Wars abordar histórias de Obi-Wan Kenobi, Yoda e Boba Fett, entre outros personagens e situações (um focado em Mace Windu e outro num jovem Palpatine, ainda sob a tutela de Darth Plagueis seriam bem interessantes), já está agendada uma nova trilogia capitaneada por Rian Johnson, diretor de Episódio VIII: Os Últimos Jedi e que abordará outro núcleo de personagens em uma parte não explorada da galáxia até então.

Ontem porém, a LucasFilm anunciou oficialmente mais uma trilogia cinematográfica, separada da principal e da de Rian Johnson que abordará ainda outros personagens e locações, que será escrita e produzida por D.B. Weiss e David Benioff, responsáveis por Game of Thrones; ainda não há uma janela de lançamento para nenhum dos primeiros filmes das novas séries, os únicos confirmados até o momento são a provável bomba Han Solo: Uma História Star Wars (24 de maio) e Star Wars: Episódio IX (20 de dezembro de 2019, ainda sem subtítulo).

E tem o novo serviço de streaming exclusivo que a Disney está preparando, que contará com novos conteúdos da matriz para a TV. Até então já sabíamos da existência de uma série em live-action pela primeira vez na história, mas ontem, durante o anúncio de lucros aos investidores o CEO Bob Iger revelou que a plataforma contará não com uma, mas “algumas” séries exclusivas baseadas em Star Wars. Basicamente será uma overdose de jedis, siths, stormtroopers, escumalhas rebeldes e agregados.

A informação veio de Clayton Sandell, correspondente da ABC (emissora subsidiária da Disney):

O executivo não deu detalhes, se são séries com atores ou animadas (elas seriam séries além da primeira já confirmada ou não, nada foi dito) mas disse que uma vez que o sinal verde seja dado, a Disney fará um anúncio oficial. Ao mesmo tempo, Iger deu maiores detalhes sobre o acordo com a Netflix que se encerrará em 2019 e a nova plataforma de streaming a ser lançada também no próximo ano, ao que todos pensavam significar uma debandada dos conteúdos da casa de Reed Hastings e Ted Sarandos.

Eis o que o CEO disse:

  • o serviço da Disney não vai agregar tudo da empresa, a companhia irá inicialmente focar em qualidade e conteúdo original dedicado, ao invés de popula-lo com todo o acervo da matriz, Pixar, LucasFilm e Marvel Studios, seja de cinema ou TV/streaming;
  • o acordo com a Netflix termina no fim de 2019 e a retirada do catálogo não será feito de uma vez, e é preferível mantê-los no ar em algum lugar do que sumir com tudo e não disponibiliza-los depois. Ou seja, ainda levarão uns bons anos para tudo ser retirado, se o for visto que provavelmente acordos individuais ainda serão negociados.

Nada foi dito sobre o Hulu, que a Disney vai controlar se a compra da Fox for concluída; atualmente ele é um distribuidor de conteúdo da empresa e caso o Mickey passe a deter 60% do serviço, ele poderia muito bem ser posicionado como uma opção de distribuição do que o novo serviço não agregar (se a Netflix for mesmo excluída da brincadeira). Claro que isso demandaria torna-lo um serviço global, mas isso é até simples de fazer.

Por enquanto ainda não há data fixa para o lançamento do serviço de streaming da Disney, nem se ele terá alcance global ou não; Iger disse apenas que o preço da mensalidade será “significantemente menor” do que o praticado pela Netflix, logo só nos resta aguardar.

Fonte: Polygon.

Relacionados: , , , , , , , , , , ,

Autor: Ronaldo Gogoni

Profissional de TI auto-didata, blogueiro que acha que é jornalista e careca por opção. Autor do Meio Bit e Portal Deviante, podcaster/membro fundador/Mestre Ancião do SciCast e host/podcaster do Sala da Justiça.

Compartilhar

Aproveite nossos cupons de desconto:

Cupom de desconto Asus, Cupom de desconto Frio Peças, Cupom de desconto Mundo da Carabina, Cupom de desconto JBL, Cupom de desconto Costa Cruzeiros, Cupom de desconto Loja do Mecânico, Cupom de desconto Staples